Afinal, o que é glúten?

“Nossa, mas tudo tem glúten!”
“Arroz tem glúten?” 
“Coitada, você não pode comer nada.”
Gente, eu posso comer tudo, tudo que não tem glúten, ok!!???!!??!

Mas afinal, o que é glúten?

Se eu ganhasse um real a cada vez que tenho que responder essa pergunta eu estaria milionária, mesmo com a moeda desvalorizada…rsrsrs

As vezes pra fugir dessa pergunta escondo que tenho intolerância e fico sem comer em silêncio, principalmente em dias que não tem yoga e a paciência está um pouco curta.

O Glúten é o nome dado a proteína encontrada em alimentos como trigo, cevada, centeio e aveia. Na realidade o perigo está em algumas partes do glúten que recebem nomes diferentes para cada cereal como:

  • no Trigo é a Gliadina;
  • na Cevada é a Hordeína;
  • na Aveia é a Avenina e
  • no Centeio é a Secalina.

observação: o malte é um produto da fermentação da cevada, portanto ele também contém traços de glúten.

Pessoas com intolerância ou doença celíaca não absorvem ou digerem essa proteína, ela danifica o intestino delgado e prejudica a absorção de nutrientes dos alimentos.

​​Para nós, o único tratamento é uma dieta totalmente livre de glúten para sempre, sim TODO O SEMPRE. Assim como o diabético não pode consumir açúcar, nós também não podemos consumir glúten. Veja abaixo uma lista de alimentos, naturalmente, isentos de glúten:

  • CEREAIS: arroz, milho, painço e os pseudocereais quinoa, amaranto, trigo sarraceno.
  • FARINHAS e FÉCULAS: farinha de arroz, amido de milho (tipo “maisena”), fubá, farinha de mandioca, fécula de batata, farinha de soja, polvilho, araruta, flocos de arroz e milho.
  • MASSAS: feitas com as farinhas permitidas.
  • VERDURAS, FRUTAS E LEGUMES: todos, crus ou cozidos.
  • LATICÍNIOS: leite, manteiga, queijos e derivados (se não houver intolerância à lactose).
  • GORDURAS: óleos e azeites.
  • CARNES: bovina, suína, frango, peixes, ovos e frutos do mar.
  • GRÃOS: feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja.
  • SEMENTES OLEAGINOSAS: nozes, amêndoas, amendoim, castanhas da Amazônia e caju, avelãs, macadâmias, linhaça, gergelim, abóbora, etc.

observação: verifique sempre o rótulo de produtos industrializados, muitas vezes os alimentos, mesmo não contendo glúten, podem apresentar traços da proteína devido ao processo de fabricação ou na inclusão de outros componentes com glúten.

Mesmo depois de explicar sobre o que é e onde encontramos glúten as pessoas continuam olhando pra gente como se fossemos ETs. Isso acontece porque somente na década de 1950 o pediatra holandês Willem-Karel Dicke relacionou a Doença Celíaca à ingestão de glúten. Apesar do termo ter surgido em 200 D.C.

Há estimativas que 1% da população tenha doença celíaca. Não se engane pelo dígito, é uma quantidade considerável de pessoas com a mesma restrição que a nossa no mundo todo. Não sinta-se só, juntos vamos aprender a conviver e ensinar as pessoas a nos respeitar e a cuidar de nossa saúde.

Para saber mais acompanhe a Fenalcebra e Alcebra de seu Estado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.