Um trem para Bangladânia

O Brasil queria ligar suas duas maiores cidades com um trem-bala. Uma obra de bilhões de dólares para ser inaugurada até a Copa do Mundo. Um empresário italiano acusado de fraude e um político brasileiro se apresentaram como solução, encenando uma peça de mistérios até hoje indecifrados.

Leandro Demori
May 15, 2015 · 35 min read

O vexame húngaro

O projeto italiano

Laranja madura

Para esta reportagem, eu entrei em contato com a Salini-Impregilo, empresa que liderou o consórcio que construiu a ferrovia Milão-Turim, a mesma que Gori e Juquinha visitaram em 2004. A companhia garantiu que não consta o nome da Italplan entre as empresas membros do consórcio.

Uma montanha de lixo


Colônia de moscas

De volta à Toscana

Na província de Arezzo, um juiz da comarca de Montevarchi — cidade de 22 mil habitantes no interior da Toscana, vizinha à sede da Italplan — determinava o congelamento das contas da embaixada no Banco do Brasil para pagamento de uma parcela de 15,7 milhões de euros à Italplan.



Onde estão os envolvidos?

O trem-bala

Gostou? Clique em recommend.



>>> assine sua Newsletter | Siga em TwitterFacebook

Leia outra história de Bang:

Dorvalino, Marçal, Nízio e Arnaldo são alguns dos indígenas e fazendeiros que perderam a vida em uma centenária disputa por um dos solos mais férteis do Brasil.

Bang

True tales from the extreme

Leandro Demori

Written by

Jornalista. Editor-executivo do Intercept Brasil. Autor de “Cosa Nostra no Brasil, a história do mafioso que derrubou um império”.

Bang

Bang

True tales from the extreme