Uma Dentista em uma startup

Formada há 10 anos em odontologia pela Universidade de Pernambuco, nunca imaginei que minha vida me levaria por caminhos tão diversos.

Após a conclusão de meu curso, passei por um início de carreira atuando clinicamente em consultórios odontológicos, até o dia em que arrumei as malas e fui morar em São Paulo com meu marido.

Lá eu tive que me reinventar, afinal de contas estava na capital dos dentistas e sem nenhum tipo de indicação para começar a atuar em minha área. Fiz cursos na área de Auditoria Odontológica e especialização em Odontologia do Trabalho em Bauru, interior de SP.

Daí, comecei a trabalhar em uma área mais burocrática, gerenciando uma clínica de médio porte e em momentos livres trabalhando na área de Auditoria em uma operadora de planos odontológicos.

Após 2 anos, retornamos para Recife, onde tive a experiência de trabalhar em um PSF (Programa de Saúde da Família) no interior, lá eu aprendi muito e pude ter contato com uma realidade bem difícil de trabalhar com pessoas carentes que mostravam-se sempre gratas por tudo que eu fazia por elas.

Quando meu contrato com a prefeitura acabou, voltei a clinicar na capital e em seguida ingressei numa grande operadora odontológica, onde fiquei por 3 anos e 8 meses.

Nesse emprego eu pude vivenciar diversas experiências no atendimento aos clientes. Trabalhava com 16 Estados do Norte e Nordeste, em atendimentos de solicitações e resolução de queixas dos beneficiários e profissionais que faziam parte do plano.

O mais difícil era ter que lidar com beneficiários que em sua maioria estavam sentindo dor e precisavam que seus problemas fossem resolvidos com urgência.

O grande entrave eram as localidades onde não possuíamos rede de atendimento e nestes casos tínhamos que negociar diretamente e de forma particular com profissionais que não eram cadastrados ao plano e que, dependendo do interior, nunca nem tinham ouvido falar da operadora.

Assim, eu atendia desde demandas mais simples, até casos mais complexos como reclamações abertas na ANS (Agência Nacional de Saúde) que eram passíveis de multas altíssimas se não fossem resolvidas, bem como demandas de Reclame Aqui, Liminares, Procon, ouvidorias, etc.

Após o relato de minha trajetória, muitas pessoas podem se perguntar, mas o que uma dentista está fazendo em uma startup? A resposta é bem simples para mim.

Estou fazendo o que fiz desde o primeiro dia que atendi em uma clínica lá na Universidade de Pernambuco, lidando com pessoas, tendo empatia por todas as situações que surgem, solucionando problemas e esclarecendo dúvidas.

Em dois meses na Even3 eu já aprendi mais sobre sucesso do cliente do que em todo o meu tempo lidando com pessoas. Eu já tinha experiência e vivência, mas não tinha noção de que este universo é tão mais amplo e cheio de possibilidades como agora.

Hoje eu tenho a chance de estudar mais, me aperfeiçoar e o principal de tudo, fazer parte de um local com uma cultura e uma mentalidade com a qual me encaixo. Encerrei 2018 vislumbrando um mundo de possibilidades e com a oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis no modo de agir, trabalhar e pensar.

E existe coisa melhor do que fazer parte de um ambiente onde você se identifica com seus colegas de trabalho e sempre tem alguém ali ao lado disposto a te ajudar, um lugar onde você é incentivada a crescer, estudar e ter liberdade de questionar e opinar? Não mesmo!

O sucesso do cliente faz parte da minha rotina e como com tudo até agora, eu sou só gratidão ❤