Siga em frente, vire à direita ou esquerda depois do viaduto. Bem-vindo, amigx, você chegou à Floresta!

Foto: Charles Tôrres/BH uma foto por dia

Não cresci no bairro onde moro atualmente. Nasci lá na ZN, zona norte de Beagá, vivi no Santa Amélia até sair da casa dos meus pais, e hoje vivo "orgulhosamente" no Floresta (ou na Floresta, como todo mundo diz). Na rua onde Carlos Drummond de Andrade viveu com seus pais em 1920 e que, para chegar em casa, optava por cruzar os arcos do viaduto Santa Tereza. Não do modo convencional, usando os calçadões, mas por cima: escalando 14 metros de altura, na melhor definição “vida loka”. Infelizmente não vivo na casinha do "maior de todos", já demolida. E morro de pânico só de pensar em caminhar a 14 metros de altura pra chegar em casa.

Além das histórias literárias em torno do bairro, o meu amor pela Floresta nasceu de uma coisa que eu sempre sentia ao caminhar pela rua Sapucaí (amor antigo): a sensação de estar em outro tempo. Quando caminho por essas ruas de casas antigas, cheias de histórias, de velhinhos e crianças nas praças, ainda sinto o tempo suspenso. A vida leve.

Já é sabido que a boêmia não é tanta por aqui, que nosso vizinho Santa Tereza tem nesse sentido mais know how, mas temos a Salumeria Central e a amor da vida: Benfeitoria (onde tomar uma cerveja gelada e comer a empanada caprese na mureta é programa semanal e dos melhores). São bares queridos da redação do Beagá Cool e da cidade, mas hoje eu quero falar do meu olhar diário sobre o bairro que amo e onde quero ficar velhinha. Então pega sua sacolinha, me dá a mão e vem roletar na Floresta!

O café da manhã nos fins de semana é na Padaria Pão Nosso. E não se trata de uma padaria gourmet porque Floresta, meus amigos, é um bairro de deliciosos hábitos simples. Pão com manteiga, um café pequeno e um biscoito de queijo que a gente come ali mesmo de pé no balcão e achando a coisa mais gostosa que há - e é! Em dezembro, rola também de comer a melhor rabanada do mundo.

Tudo na Pão Nosso é «Feito com amor»

Av. Assis Chateubriant, 421

Dormiu até tarde no sábado e a vontade de cozinhar não chegou? Garra nada, não. O Restaurante do Divino é a solução para os seus problemas! Um estabelecimento tocado pela família desde 1985, de tradicional comida mineira, onde se pode comer o melhor feijão com arroz da região, omelete (porque eu não trabalho com carne), uma couvinha refogada no alho e uma saladinha. Para os comedores de feijoada, há rumores de que a do Divino é incrível. Na sexta tem fila na porta e isso diz muito sobre a comida de lá, neam? Além da comida e da simplicidade do lugar, tem o atendimento do Mateus, garçom que faz uma limonada Suíça no capricho e já sabe de cor qual o prato de seus clientes ❤, beijo Mateus!

Rango simples com cara e tempero de casa de mãe

Rua Itajubá, 323

Quase do ladinho do Divino, na Contorno, tem o Bolo no Forno, uma lojinha cujo único produto são bolos maravilhosos, de diversos sabores e fresquinhos. Caso você vá cedo, tipo 9h da manhã, corre o seríssimo risco de pegar os bolos quentinhos. As meninas vendem bolos inteiros e metade, caso a consciência pese.

Vitrine de bolos fresquinhos sempre ❤ imagens: fanpage

Av. do Contorno,

Logo na esquina da Rua Itajubá com Contorno, tem o Café Intuição e Grão. Cafés selecionados, bolinhos, biscoitos, broas, tranquilidade, simpatia e o melhor chocolate gelado que já tomei na vida. Lá não tem wifi, o que eu acho bom, então é um lugarzinho excelente pra bater papo com um amigo, estudar e dar um pitstop no corre-corre diário.

Laureado com o Comer e Beber imagens: fanpage
Bolinhos, café e biscoito de queijo imagens: fanpage
O melhor chocolate gelado do mundo! imagens: fanpage

Av. do Contorno, 1430 esquina com Rua Itajubá

O Petit Café é um achadinho em plena Rua Sapucaí. Lá você toma café, come bolo bom e de quebra fica viajando horas numa das paisagens mais lindas da cidade. Quando chove então, é bunitu demais, credo!

No Petit também tem almoço, açaís, saladas de frutas, iogurtes, waffles, sorvetes… afe, só coisa delícia ;)

Café com a melhor vista
Cenoura com chocolate ❤
Imagens Fanpage
A vista da Sapucaí de dentro do Petit

Rua Sapucaí, 285

Na rua Pouso Alegre, tem o Roça & Cia, mais conhecido como a vendinha do Luciano. O Roça é um mini Mercado Central. Lá eu compro café moído na hora, queijo, doce, ovo orgânico, manteiga, biscoito e canudinhos de doce de leite fresquinhos e crocantes. O Luciano e a família dele trabalham de segunda a segunda. Se você passar por ali domingo, por volta das 19h, o mercadinho vai estar aberto e cheio de delícias.

Uma vendinha no Floresta
Queijos frescos e curados
Doces, muitos doces. Todas as imagens Fanpage

Rua Pouso Alegre, 1072

Come carne não? Tamo junto! Então vem comigo ao Bio Natural, o restaurante fica na muvuca da Rua Curvelo. É o preferido dos vegetarianos e veganos, dos intolerantes à lactose e ao glúten e de quem quer comer mais saudavelzinho. Além do self-service, dá pra lanchar e comer salgados sem leite, sem glúten, comer mingau de milho verde, comprar pãozinho integral de canela pra levar pra casa (fabricação própria). No Bio, também tem um mercadinho onde pode-se comprar grãos, farinhas, massas integrais, leites vegetais e barras de cereais.

Armazém do Bio Natural

Rua Curvelo, 72

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.