Experiência AudioVisual

“Sim, o Scolarship é obrigatório, é o Challenge da próxima semana”

Essa frase me aterrorizou por alguns minutos. Experiência visual? O máximo que eu consigo fazer é um desenho de bonequinho de palito e uma árvore com galhos em forma de retas. Fiquei uns dois dias totalmente travado, vasculhando o OpenProcessing, e não conseguia me identificar com nada.

Minha amiga me deu uma ideia “você pode trabalhar com triângulos”. Ok, vou desenhar uns triângulos, fazer eles girarem, mudarem de tamanho, whatever. Ah, legal. Interessante. Tá, não pensei em nada de legal neles.

Varrendo mais o site, encontrei algumas coisas com música, parecido com aqueles efeitos que o Windows Media Player fazia a alguns anos atrás. Gosto de música, mas essa ideia logo caiu por baixo também.

Até que meu amigo me deu uma ideia de trabalhar com algo parecido com aqueles apps afinadores de cordas de violão, ou algo com piano, que era algo que já conhecia. Aí começou minha ideia.

Inicialmente, pensei em fazer a pessoa cantar alguma nota, identificar essa nota e mostrar um acorde completo a partir dessa nota no piano. Mas não sabia nem por onde começar, então comecei por fazer um piano na tela, e fazer ele tocar efetivamente. Lembrei que já tinha uma oitava do piano gravada nota por nota para atividades de uns anos atrás, pois eu já havia feito aulas de piano e usava uns programinhas pra fazer umas junções de vozes e notas, e gravei mais uma oitava de notas no GarageBand (até porque uma oitava só não tem muita graça), o que pegou até que bastante do meu tempo. Também pensei em ser como um app para ensinar os acordes para as pessoas.

Mas depois de um vídeo que o Fred passou, percebi que eu estava tentando fazer um projeto de Design com especificação de projeto de software mesmo, e a palavra que ficou gravada na minha mente foi “functional”. Eu estava muito preocupado eu fazer algo funcional, sendo que o objetivo principal era ser uma experiência visual. Posso ter entendido errado a mensagem daquele vídeo (espero que meu inglês não tenha me abandonado), mas uma dica que foi dada era “faz e vê no que dá, e vai desenvolvendo as ideias”.

Olhando para o GarageBand enquanto eu gravava as notas da segunda oitava do meu piano, percebi que quando eu clicava, ela gerava um efeito gradiente que gerava uma ilusão visual 3D, e pensei que precisava disso, que gerasse um retorno pra interação do usuário, e com isso fiz as minhas teclinhas coloridas pra tentar gerar minha experiência visual (feito no Inkscape, foi bem sofrido).

E da minha ideia original de trabalhar com o ensino dos acordes, para ficar visualmente agradável, a cada nota que a pessoa tocava, eu ia mostrar o símbolo da nota, e o nome da mesma, pra pessoa associar, e coloquei um efeitinho no símbolo.

Não ficou uma gracinha? Ficou sim! E essa foi minha experiência que acabou se tornando AudioSonora, e gostei bastante do resultado, apesar de não ter tempo de implementar mais funcionalidades, pois demorei bastante para decidir o que ia fazer.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Davi Pereira’s story.