Tudo está bem quando acaba bem

Bolsas de estudos são uma benção. Eu que sei. As melhores oportunidades que tive na vida foram concedidas assim. Ganhar dinheiro é (claro) sempre bom, mas uma bolsa vai muito além disso. A confiança que é depositada — RSRSRS — em você é muito incentivadora.

Ser adulta não é uma benção. Acordar cedo todo dia, tem que esfregar as meias que já-foram-brancas-mas-nunca-mais-serão e os boletos… Ah, os boletos! Claro que um carro rosa ajuda muito a levar esse vida (ou, no nosso caso, os gadgets).

Por esses motivos a minha semana foi cheia de dilemas. Desisti e reinventei meu objetivo umas 500 mil vezes por dia. Minha vontade de participar do WWDC Scholarship me impedia de largar o osso. Tive que arranjar um jeito de fazer tudo o que precisava — que muitas vezes significou dormir só 2 horas — e no meio disso tudo via meu projeto cada vez mais longe de se completar.

No final das contas, fui salva por um bug.

Mas a vida é assim mesmo, a resposta geralmente vem de onde menos se espera. E essa capacidade de adaptação mesmo ao virar tudo de ponta cabeça (as vezes literalmente) é o skill que eu vejo mais reforçado no BEPiD.

"Look for a new angle"

Para mim, já era dado que eu ia melhorar como programadora desde o começo do challenge, mas percebo uma mudança geral no meu comportamento. Estou desenvolvendo uma resiliência forte em relação as falhas, coisa que nunca fui muito boa. Se com poucas semanas já estou assim… Bem, só consigo pensar naquele meme da expansão do cérebro para colocar aqui.

Pra quem ficou curioso, segue o vídeo sobre o programa.

"Always pass on what you have learned"

Beijos,

Ana :)

PS: Ainda não acabou não, vem cá vem.