Mulheres na tecnologia

Na quarta revolução industrial, ainda temos que evoluir em certas questões sociais. Até porque, tecnologia não é apenas sobre usabilidade, vendas e números, mas, sim, sobre pessoas e, principalmente, impacto social. Naturalmente, isso implica na responsabilidade de incluir todo tipo de pessoa.

A Sociedade Brasileira de Computação nos trouxe em 2018 um dado preocupante: apenas 15% dos alunos matriculados em Cursos de Ciência da Computação e Engenharia são mulheres. A nível global, apenas 30% das publicações de artigos científicos são realizadas por mulheres, conforme dados da editora Elsevier.

Fonte: Jornal da USP (2018)

Infelizmente, por diversas razões, ainda temos um número muito pequeno de mulheres atuando na área de exatas. Esse número se torna ainda menor quando olhamos para o nicho da tecnologia.

No último vestibular de tecnologia da FUVEST, tivemos 10% de mulheres inscritas em curso de tecnologia. E esse é apenas o número de entrada, dado que muitas desistirão no meio do percurso.

"Comportamentos machistas no ambiente acadêmico acabam fazendo com que muitas mulheres tenham sua autoconfiança afetada. E autoconfiança é um fator importante para você crescer, errar e aprender" Laise Viana, Analista de Sistemas na Bionexo

Mas estamos avançando, e podemos evidenciar isso quando enxergamos que, depois de 124 anos de existência, Liedi Bernucci dirige uma das mais tradicionais escolas de engenharia do país: a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

“Soluções de tecnologia se aplicam a todas as pessoas e, por isso, devem ser construídas por todas as pessoas” Luanna Teofillo, Gerente de Produto na Bionexo

Mas esse não é o meu lugar de fala, melhor que elas falem por elas:

E por incrível que pareça, para que essa mudança aconteça, nós, homens, também precisamos ajudar nesse processo de construção e desconstrução: trabalhando para diminuir a desigualdade de gênero, combatendo a educação sexista, e evitando criar estereótipos de gênero no âmbito familiar, escolar e profissional.

Até porque, já ficou claro que Tecnologia é coisa de Menina também!

Referências: