Blame Canada?

Eu nunca fui fã de South Park. Na verdade, se eu assisti a um episódio na vida, foi muito. Por que então fazer referência a essa série tão infame? Não sei, mas sempre que penso no Canadá essa musiquinha maldita aparece na minha cabeça. Talvez porque na época que concorreu ao Oscar, minha mãe ficou cantando sem nem ter ideia do que se tratava a música, ou o filme ao qual ela pertencia. Ah, tudo é perdoado quando cantado em inglês…

Mas a verdade é que a culpa é mesmo do Canadá. Se eu e a Mayra decidimos ir embora, tentar uma nova vida, correr atrás de alguns sonhos, foi porque o Canadá nos acenou com possibilidades. Aquela pergunta que sempre surge nas conversas, pessoas curiosas em saber: Por que o Canadá? Pois eu que pergunto: Por que não o Canadá?

O que mais me motiva a querer morar lá é algo bem simples na verdade: qualidade de vida. Eu tenho plena consciência de que nada é simples e fácil, e que a partir do momento em que eu colocar os pés no bloco de gel… errr, em solos canadenses, minha vida não vai mudar e ficar perfeita. Mas se existe a possibilidade da gente conseguir viver com mais segurança, saúde, serviços públicos de qualidade e uma vida mais justa, por que não? E eu confesso que preciso de um pouco de esperança na vida em meio a todos esses assustadores acontecimentos recentes.

Ah! E também tem isso:

Eu sei que eu tenho abusado dessa foto ultimamente. Mas né?! É o Justin Trudeau, Primeiro Ministro do Canadá, abraçando bebês panda. Como não amar? Bem, não vou me estender enumerando todos os motivos para tal ato, vou só deixar esse link aqui:

Esse é o nosso ponto de partida, espero conseguir continuar a escrever nesse blog e atualizar família e amigos com todas as nossas descobertas nessa jornada que se inicia. Acredito que a Mayra vá aparecer por aqui, talvez os gatos queiram dar alguma opinião também… A ideia é que seja tudo bem pessoal, por isso se você caiu aqui de paraquedas, não espere por grandes dicas e revelações a respeito de imigração, etc. Existem outros lugares na internet mais apropriados para isso. Mas se quiser acompanhar as histórias, fique a vontade! =)

E pra terminar…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.