Hyperledger: um blockchain para empresas

Muitos processos tradicionais, em diversos campos, estão passando por modernizações com o advento da tecnologia blockchain. Neste mesmo sentido, vemos avanços dos blockchains em âmbito empresarial com a Hyperledger tendo um grande papel nesta revolução

https://www.hyperledger.org/

Quando falamos a respeito de Hyperledger nos referimos a uma tecnologia disruptiva dentro do cenário empresarial patrocinada por um consórcio de mais de 200 empresas em todo o mundo. Essa inovação tem a função de aperfeiçoar a comunicação e o controle de produtos e pessoas dentro da empresa, mas como ela realmente funciona?

O que é?

Desenvolvida e tutelada pela Linux Foundation desde 2015, a Hyperledger não pode ser classificada como empresa, criptomoeda ou blockchain mas, sim, uma iniciativa open source global para desenvolver a tecnologia blockchain em diversos setores da indústria como varejo, serviços financeiros, supply chain e IoT. O principal propósito é promover e assegurar accountability, transparência e confiança entre as empresas envolvidas, tornando seus processos e transações mais eficientes.

Quem são seus criadores e colaboradores?

Como já se sabe no universo da tecnologia, a Linux é um dos maiores projetos de software com código open source da história. Dado este fato, a Linux Foundation é desenvolvedora e mantenedora de diversos projetos seguindo a linha de código aberto, sendo a Hyperledger a iniciativa de plataforma trilhada sobre a tecnologia blockchain voltada para empresas.

Além da Linux Foundation, a plataforma conta também com mais de cem parceiros membros oriundos de diversos mercados e indústrias. Do campo dos transportes há, por exemplo, o grupo Daimler e a Airbus. Das finanças, Wells Fargo, BNP Paribas, BNY Mellon, CME Group, American Express e Deutsche Börse. Do campo da tecnologia, encontramos IBM, SAP, Fujitsu, Huawei, Samsung e Intel. Do mundo blockchain, também conta com a presença da Consensys, Blockstream e Factom.

A governança da iniciativa, por sua vez, se dá por meio de um comitê de líderes integrado por executivos experientes em desenvolvimento open source em diversas empresas como a IBM e W3C Consortium.

Estrutura por trás da Hyperledger

Segundo os criadores, a Hyperledger surge com a intenção de suprir as indústrias com recursos e soluções que uma blockchain pública convencional não supriria, como escalabilidade e suporte para operações, mas ainda se baseando na lógica de registros distribuídos, com transações privadas e consensuadas havendo interoperabilidade, auditabilidade e portabilidade. Partindo disso, podemos tentar analisar qual é de fato a estrutura por trás da Hyperledger.

Fazendo uma tradução livre de Distribuited Ledger Technology, a tecnologia de registro distribuído consiste em um banco de dados tutelados por alguns nodes ou dispositivos computacionais. A característica central aqui é que nenhuma autoridade central detém o controle do registo dos dados. Cada node salva e replica uma cópia idêntica do registro na rede, independentemente. Para que os registros sejam efetivados, os nodes votam para assegurar que a maioria concorda com a conclusão alcançada a respeito de alguma transação, por exemplo. Tal processo de votar e concordar com o registro é o chamado consenso, conduzido por um algoritmo e executado geralmente por um smart contract. Uma vez que o consenso é alcançado, o registro atualiza automaticamente e a nova versão é salva em cada node da rede separadamente. Logo, podemos entender a convergência da DLT para a tecnologia blockchain a partir destes dois últimos pontos.

Nem todos os tipos de tecnologias de registros distribuídos empregam uma cadeia de blocos para promover segurança e um consenso sobre as transações feitas. No entanto, este é o caso da tecnologia blockchain, que também é administrado por uma rede peer-to-peer. Seus registros também são administrados sem uma autoridade ou servidor central, com sua qualidade mantida pela distribuição dos mesmo pelos nodes da rede e pela confiança computacional. No entanto, sua estrutura se difere no fato de que os dados são organizados e agrupados em blocos, interligados um a um, tendo sua segurança garantida por meio da criptografia.

Em suma, a Hyperledger acaba se caracterizando por uma iniciativa de DLT trilhada sobre recurso e ferramentas da tecnologia blockchain. Neste sentido, ao somar a esses aspectos a possibilidade de limitar quem são os participantes da rede, sendo assim um blockchain permissionado, acabamos nos deparando com um dos projetos sendo realizados sob a plataforma, o Hyperledger Fabric.

Hyperledger e o mercado financeiro:

Em 11 de julho de 2017 a IBM criou a primeira plataforma blockchain especificamente para negócios, o Hyperledger Fabric. Essa tecnologia impactou o mercado por amplificar a eficiência de serviços, a comunicação e a segurança. Alguns tópicos que tornam essa tecnologia única são os fatos de ela ser uma rede programável, não necessitar de criptomoedas e o indivíduo deve ser selecionado para participar de determinada rede, pois é uma rede privada.

Fonte: https://www.hyperledger.org/projects/fabric

Uma empresa tem a capacidade de imergir seus stakeholders em uma comunicação em tempo real: dentro dos canais da blockchain e aplicando informações no livro razão do “Fabric”. Com isso, atividades dentro das empresas se tornam mais eficientes e produtivas, além de diminuir custos gerais para o empresariado.

Os canais da Blockchain no Hyperledger Fabric funcionam como se houvesse algum tipo de governança ou autoridade maior dentro da rede que através de um consenso determina quem pode ter acesso ou não a informações dentro dela. Sendo assim, considere que muitas pessoas fazem parte de um canal dentro da rede “Fabric”, dentro dela os conteúdos transacionados serão expostos para todos pertencentes a essa mesma rede. Além disso, é possível que duas pessoas criem um canal privado dentro dessa mesma rede; o que permite com que essas duas pessoas possam transacionar conteúdos sigilosos dentro desse mesmo canal.

Por isso, muitos ainda encaram a plataforma como uma afronta a descentralização imposta por Satoshi Nakamoto ao criar o Bitcoin, dando surgimento a teconologia blockchain. Mas o que de fato não se pode negar é que o Hyperledger Fabric já tem realizado grandes feitos dentro do mundo dos negócios.

Só no mercado financeiro, por exemplo, segundo um estudo feito pela líder global em consultoria tecnológica Accenture junto à McLagan -que presta consultoria operacional da indústria de mercados financeiros- foi possível estimar que a tecnologia blockchain como um todo poderia reduz custos de infraestrutura de 8 dos 10 maiores bancos de investimento do mundo na ordem de 30%, poupando entre 8 e 12 bilhões anuais.

Fonte: https://www.accenture.com/br-pt/insight-banking-on-blockchain

Essa economia só poderia ser concretizada através da implementação de sistemas de bancos de dados fragmentados que suportem o processamento de transações com um sistema de contabilidade distribuída, pois dessa fossa os bancos conseguem reduzir custos de reconciliação ao passo que melhoram a qualidade dos dados. O uso de blockchain traria uma economia significativa para middle-office e back-office, por exemplo:

Finance Reporting: poderiam encolher em 70% como resultado da qualidade otimizada dos dados, da transparência e dos controles internos fornecidos com uma única fonte compartilhada de dados verificados;

Custos com compliance: podem cair de 30% a 50% no nível do produto e de forma centralizada, devido à maior transparência e capacidade de auditoria das transações;

Operações centralizadas que suportam funções como “Know your client” e integração do cliente podem trazer 50% de economia ao estabelecer processos mais eficientes para gerenciar identidades digitais e “mutualizar” — ou compartilhar — uma única fonte de dados do cliente em vários bancos; e

As operações do business, como suporte ao comércio, middle office, compensação, liquidação e investigações, também poderiam reduzir seus custos operacionais em 50%, reduzindo ou eliminando a necessidade de reconciliação, confirmação e análise de quebra de contrato.

Fonte: https://www.accenture.com/br-pt/insight-banking-on-blockchain

Já existem, por sua vez, várias atividades sendo desenvolvidas com a tecnologia no sistema financeiro. Podemos analisar alguns exemplos abaixo:

Hyperledger Fabric e Walmart

Uma das apostas do Walmart para melhorar a qualidade de seus alimentos e dinamizar seu supply chain foi a utilização do Hyperledger Fabric. A partir disso, a rede de supermercados pretende que todos os seus fornecedores de hortaliças implementem o sistema até setembro de 2019, para que dessa forma os dados de sua cadeia de produção passem a ser totalmente digitais e integrados.

Atualmente todos os dados da rede do Walmart são armazenados manualmente, de modo que o rastreamento de informações se torna mais trabalhoso. Sendo assim, a resolução de qualquer problema na cadeia de produção é complicada, visto que é preciso analisar dados que estão dispersos em diversos computadores e documentos diferentes.

Todavia, com a adoção do Hyperledger tudo isso se torna muito mais simples, o que se explica pelo funcionamento da tecnologia. Para que ela funcione, tanto o Walmart quanto seus fornecedores devem instalar o sistema e passar todos os seus dados para a rede do blockchain. A informação contida nesta rede, portanto, passa a ser muito mais acessível, de modo que qualquer processo da cadeia de produção pode ser monitorado de forma rápida e prática. Além disso, esses usuários serão também nodes da rede, realizando a validação dos processos.

Dessa forma, com a maior integração da informação, o tempo e recursos gastos com resolução de problemas na cadeia de produção, passam a ser muito menores, visto que os dados relativos a eles são agora compartilhados por toda a rede e os usuários têm acesso instantâneo a eles. Somado a isso, devido à validação feita pelos computadores, esses dados podem ser considerados também mais confiáveis. Sendo assim, com a economia de recursos e uma maior transparência da rede, os clientes do Walmart poderão não só ter acesso a produtos de maior qualidade, mas também se assegurar disso, visto que as informações relativas à procedência dos produtos poderão ser também acessadas por eles.

De tal maneira, levando em consideração a relevância do Walmart, a implementação da tecnologia mostra como o Blockchain já é considerado de grande importância para a resolução de problemas atuais. Tal avanço pode representar uma potencial influência à outras empresas, de forma que em pouco tempo tecnologias similares já estarão sendo muito mais empregadas, e tornando cada vez mais dinâmicos os processos produtivos. Ainda não se pode afirmar de maneira precisa qual será a natureza dessas mudanças, porém já é possível dizer que elas estão acontecendo.


A Blockchain Insper é uma iniciativa universitária pioneira no Brasil, voltada para o estudo da tecnologia blockchain. Visando capacitar nossos membros, desenvolvemos estudos aplicados e produzimos conteúdo educativo no intuito de fomentar o desenvolvimento do ecossistema, disseminando conhecimento por toda a comunidade.