Elvis Picolotto
Jun 28 · 4 min read

Você sabia que não necessariamente as embalagens biodegradáveis são as mais sustentáveis? Vou contar os prós e contras desse tipo de embalagem para o seu negócio ou cotidiano!

Quer saber mais? Confira:

Muito tem se debatido acerca das embalagens e seu impacto no ambiente. E não é para menos já que elas são as principais responsáveis na superlotação de aterros e lixões. E isso representa um problema gigante para a sociedade e economia governamental.
Podemos afirmar que mais do que simplesmente proteger os produtos de um negócio a embalagem pode ser a cara da marca, podendo revelar o impacto que é gerado pela existência da sua empresa (e sua) no planeta.

Na Bere, desde o começo, já utilizamos mais de 10 mil sacolas de papel. Imaginar o impacto disso se elas fossem de plástico é um bom motivador para continuarmos.

Isso porque, cada tipo de embalagem possui características que afetam o meio ambiente de forma única, podendo ser negativa ou neutra.

É aí que entram as embalagens biodegradáveis! Apontadas nos canais de sustentabilidade como uma boa alternativa às embalagens convencionais, elas fizeram fama e criaram alguns mal entendidos também.

O que define uma embalagem biodegradável?

Antes de tudo é preciso esclarecer o conceito. Dentro do universo da sustentabilidade as embalagens podem ser divididas em: recicláveis, não recicláveis, biodegradáveis, oxibiodegradáveis e compostáveis.
As embalagens biodegradáveis, segundo a norma da ABNT, são aquelas que através da atividade de microrganismos se desintegram em pedaços de 2 milímetros em um prazo máximo de 90 dias. Ou seja, aquilo que os bichinhos menores que os insetos podem “comer”.

Biodegradável vs Compostável

Photo by Jordan Beltran on Unsplash

Para saber o que é biodegradável e compostável, vale a máxima: nem toda embalagem biodegradável é compostável, mas toda embalagem compostável é biodegradável.
Embalagens compostáveis são aquelas que além de se degradarem em um curto espaço de tempo, geram unicamente água, gás carbônico e húmus.

Tipos de embalagens biodegradáveis

Embalagem de PLA

Photo by Anton Darius | @theSollers on Unsplash

O PLA ou poliácido lático é um tipo de plástico biodegradável criado para substituir os plásticos convencionais. Tem como maiores diferenciais, além da biodegradação, a reciclabilidade, a possibilidade de ser compostado e a possibilidade de ser utilizado para diversas finalidades (embalagens de alimentos, de cosméticos, sacolas e outros).
Suas principais desvantagens consistem em: não ser resistente a altas temperaturas e a fortes impactos.
Sua decomposição só ocorre quando ele é descartado corretamente. Visto que a compostagem necessita de condições específicas para ocorrer, bem diferentes das propiciadas em aterros ou lixões.

Degradação: aprox 6 meses


Embalagens de celofane

Photo by Nicepear Jakarta on Unsplash

Pouco divulgada, a embalagem de celofane é constituídas de celulose, ou seja, uma fonte totalmente vegetal. Por esse motivo, ela é biodegradável e também compostável. Além disso, pode ser utilizada para embalar alimentos, cosméticos secos, lembrancinhas e etc.
Sua maior desvantagem é que não pode ser utilizada para embalar substâncias aquosas e não pode ser reciclada caso seja colocada na coleta seletiva.

Degradação: 5 anos


Embalagens de papel

Criadas e utilizadas há mais de 10 mil anos, elas resistem até hoje como uma opção biodegradável, e o melhor de tudo: podem ser recicladas. Isso significa que mesmo que você ou seus consumidores não tenham uma forma de direcioná-las para compostagem, elas podem ser direcionadas para reciclagem através da coleta seletiva.

Degradação: 6 meses


Embalagem feitas a partir de resíduos vegetais

Do bagaço da cana de açúcar a embalagens feitas com cogumelo, atualmente é possível encontrar muitas opções.
Suas maiores desvantagens ainda são os preços. E a sua maior vantagem é a neutralização do impacto no planeta quando descartadas corretamente. Isso mesmo: impacto zero.


O futuro das embalagens

As embalagens biodegradáveis podem não ser perfeitas como soluções sustentáveis porque o restante da cadeia de reciclo ainda não existe.
Mesmo assim, elas chegam perto de neutralizar seu impacto ou até mesmo de gerar benefício, no caso de serem compostadas. E o simples fato de se preocupar com essa problemática é um grande diferencial competitivo para o seu negócio e no seu caráter, como consumidor.

Porque agora você já sabe como fazer a sua parte e isso passa a ser uma escolha, simples assim ;)

Pensando nisso, deixo um artigo abaixo com uma das melhores metodologias utilizadas na neutralizar o impacto ambiental das embalagens.

Compensação Ambiental não é só plantar árvores

Fonte: Site Eu Reciclo.com

Blog da Bere

O pessoal da Berenice Criativa achou um espaço pra por pra fora toda inquietude em forma de texto, foto, vídeo e tudo mais que der vontade de fazer por aqui. Vem com a gente!

Elvis Picolotto

Written by

Jornalista, membro do Núcleo de Estudos em Cinema da Universidade de Passo Fundo e apaixonado pela literatura latino-americana.

Blog da Bere

O pessoal da Berenice Criativa achou um espaço pra por pra fora toda inquietude em forma de texto, foto, vídeo e tudo mais que der vontade de fazer por aqui. Vem com a gente!

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade