É tudo viado!

Tô com esse texto remoendo na minha cabeça tem bastante tempo. A origem dele, pra ser sincero, nem é o universo dos LGBTXYZ. Mas decidi escrever focando no meu mundo por que é o que está mais próximo a mim, consigo entender com mais plenitude. Mas vale pra religiões, pra mulheres, pra papagaios albinos. Criou um grupo? Vale.

Nunca fui o maior homenzinho do mundo. Me falta habilidades pra me encaixar em padrões mais brutos, mais sisudos. Não que eu saia montada por aí, que também me faltam habilidades (eu caio usando all star, jamais vou usar um salto alto que é garantia de quebrar uma perna pelo menos!). Mas o xingamento do viadinho, do bichinha e coisas assim me atormentou toda a vida escolar.

Conforme fui crescendo, passando por todas as etapas da minha aceitação, o tal do bichinha seguiu me incomodando, mas de uma maneira diferente. Por mim, já nem ligo. Na verdade, ligo um pouco. Eu tenho 1,81, uns 90Kg, to LONGE de ser bichINHA. BichONA é mais adequado. Mas isso de quem eu conheço, óbvio. Não conheço, não dei intimidade, tenho nome e sobrenome, use-os.

Mas me incomoda gay chamando o outro gay de bicha por ele ser mais ou menos masculino. Cara, sério? No final das contas, quando ficamos pelados, o repertório de interesses é bem parecido, seja você da ponta mais masculina, seja você da ponta mais feminina. A gente é tudo gay.

Claro, gostos e interesses não se discutem. Não é por sermos todos gays que temos que nos interessar uns pelos outros automaticamente. Existem características que nos atraem mais e que nos atraem menos. Isso não dá o direito de ninguém desmerecer absolutamente ninguém. E ponto, sem discussão sobre isso. Não gosta? Não pega. Tem quem goste. E, o principal, se a pessoa SE GOSTA, quem é você pra desmerecer isso mesmo? Isso mesmo, ninguém.

Dizem que gay é desunido e eu nem espero que a gente saia todo mundo de mão dada cantando Cher (apesar de que, se isso acontecer, vou chorar muito) mas vamos ter um pouco mais de compreensão e notar que, seja machão, bichinha, ou qualquer coisa ali pelo meio, é tudo viado!


Originally published at andresobreiro.com.br.

Like what you read? Give André Sobreiro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.