Até mais Pé de Urubu

“André, você estraga os seus hobbies”. Essa frase (ou algo assim) foi dito para mim uma vez durante o processo de Adeus, Fadas e Bruxas. E ela foi crucial para esse processo que acabei de encerrar.

Quando soube que seria uma peça infantil, tive sentimentos confusos. Instintivamente veio aquele preconceito com teatro infantil feito só pela grana. Mas ao mesmo tempo veio uma sensação de desafio: eu nunca tive um público infantil na vida. E, convenhamos, são apenas dois anos de estudo de teatro, quem eu penso que sou para achar que já tenho bagagem pra escolher as coisas assim?

Quando a nossa turma se juntou com outra, bateu um medinho. Eles eram um elenco que eu já tinha visto no palco e admirava. Como assim estar lado a lado com essas pessoas? Mas vamos ao processo.

No começo, admito, não gostei não. Eu criei uma expectativa de aprendizado que não tive. E isso foi minando meu interesse na peça. Para piorar a situação, quanto mais meu interesse ia embora, mais eu me envolvia com aquele elenco novo que se formou. E a decisão de sair ficava cada vez mais difícil.

Mas eis que num impulso, no meio da montagem, eu pedi pra sair. E ganhei um sonoro não. Foi ai que veio a frase acima por um amigo e tudo mudou. Eu estava ali (e sigo) no Curso Ator com um objetivo claro: me divertir.

E quando isso ficou claro eu me joguei! Meu squad dos Feiticeiros passou a ser uma paixão enorme, vi o Pé de Urubu nascer, a paixão pelo elenco crescer e até o aprendizado que eu queria, apareceu. Aliás, ficou um ensinamento tão bom sobre como eu posso me divertir e ainda assim ser responsável e me aprofundar nas coisas que vou levar para a vida.

Vai deixar saudades. ❤