Cinco anos!

Cinco anos atrás a gente se viu pela primeira vez. E eu lembro de cada momento desse dia. Do primeiro olhar, as primeiras conversas, a foto que eu tirei do Copan antes da gente almoçar. Do que eu comi. Da nossa conversa descobrindo as semelhanças.

Primeiros encontros são engraçados, né? Ou a gente se encanta com o monte de semelhança ou se decepciona com as enormes diferenças. E eu me encantei com as semelhanças. E cada dia mais eu me encanto com as diferenças.

Já pensou se a gente fosse igual? Qual seria a graça da descoberta diária? Onde ficaria a surpresa ao ver você descobrindo um novo talento que por vezes nem enxerga e está ali na sua frente? E a alegria de te ver sorrindo com as coisas bobas da vida.

Eu sou um cara de muita sorte. Você surgiu na minha vida em um momento de início de uma transição enorme. E essa transição segue em pleno andamento. Você começou a namorar um André, juntou com um outro e está outro com outro ainda (que pelas minhas contas é a versão 475 desde então).

E ainda segue aqui. Me apoiando, me incentivando. Me amando. Eu te amo. Eu te amei profundamente cada dia desses cinco anos e seguirei te amando.