E cadê a mudança?

Faz tempo que não falo por aqui da casa nova. E tem um motivo: muita coisa acontecendo. Percebe a desculpa sem vergonha? É isso mesmo. Mas vamos ao resumão.

A última vez que eu falei aqui sobre, tinha acabado de conhecer o condomínio todo. E toda aquela euforia e tudo mais. Nesse período, começamos a fase 2 do processo, a realidade.

Fazer projeto é uma delícia, você vai colocando tudo que você quer, que caçou no Pinterest como referência, sem medo de ser feliz. Mas a realidade é outra: existe sempre um limite de orçamento e aí as coisas começam a se encaixar. Ou não.

A primeira coisa que eu digo aqui é: contratem um arquiteto para acompanhar a obra. Sério, separa um pouco do seu orçamento para ter alguém fazendo isso. São muitos os detalhes, os orçamentos, as pessoas com quem lidar. E, a não ser que você seja um expert no tema, vai se perder nos detalhes e atrasar ainda mais.

Aqui, para acompanhar a obra a gente tem a R2, que tem me salvado a pele em muitas ocasiões. Com isso em mãos, começa a fase de orçar tudo e descobrir que, claro, o projeto é bem mais caro que seu orçamento (e que gastos brotam dos bueiros).

Aí meu caro, a regra é simples: estabeleça prioridades. A gente sempre soube o que a gente queria dessa casa, o que era mais importante. Então, fica um pouco mais tranquilo cortar coisas. E você vai cortar coisas. Muitas delas.

No começo me incomodava um pouco. Eu estava fatiando aquele projeto que eu tanto amo. Mas, nesse processo me surgiu um outro pensamento: eu nunca vou morar em uma casa pronta. Ninguém vai. Elas mudam sempre. Um móvel, um objeto de decoração, uma luminária. Tudo vai dando uma vida diferente na casa.

E aí assumi essa promessa para mim mesmo: ser mais cuidadoso com a casa. Manter ela sempre bonita, bem cuidada. E garantindo que coisas novas virão.

Com isso em mente ficou simples cortar coisas e saber o que eu posso definir depois. Mas e a mudança? Olha, em tese era esse ano. Mas os atrasos já começaram (como eu já esperava) e, por isso decidi: vou mudar quando a obra acabar. Seja lá quando for isso. Vamos controlar essa ansiedade.