Hora de renovar a vida

Eu tenho uma questão com aniversários. E ser adulto me ajudou a entender que essa questão é ligada à minha insegurança. Como me mudei demais de cidade (e casas) acabei não tendo aquela roda de amigos de infância como algumas pessoas.

Meus amigos mais próximos são da faculdade para cá. Ok, já é um bom tempo, mas explica isso pro irracional. E aí o aniversário vai chegando e eu todo ano alego o tal do inferno astral (só ano passado que usei a carta do câncer) e vou postergando a comemoração por medo de ninguém aparecer. Sim, é isso. Medo de rejeição.

Mas eis que chega o dia (e é hoje, podem me dar parabéns!) e os parabéns aparecem nas redes sociais, por telefone e, mesmo sabendo que vários deles são apenas para cumprir agenda, eu me sinto um pouco mais amado.

Mas essa introdução gigante é para dizer que eu gosto de fazer aniversário. Não só pelo amor e pela festa, mas pela sensação de renovação. Acredito em simbologia de datas (Natal, Virada de Ano, Aniversário) e em como isso se reflete em nossas vidas.

Aniversário é o começo de um novo ano. E não um ano de todo mundo, mas um ano só meu (e da Lindsay Lohan, e era da Zélia Gattai também). E, fato curioso, dia 2 de julho é exatamente o dia do meio do ano. 182 pra um lado, 182 pro outro e 2 de julho no meio. Então eu renovo a vida exatamente a cada semestre. Simbólico também.

Por isso hoje estou feliz. Hoje começo um novo ano, uma nova vida. E que ela seja leve, divertida, transformadora, cheia de energias. Pode chegar 3.5.