Meus filmes LGBT favoritos

Filmes LGBT. Não sabia se escrevia esse post aqui mesmo ou lá no Salada de Cinema, que também caberia muito bem. Mas escolhi aqui mesmo por uma razão: dessa vez não tem democracia.

Diferente dos posts do Salada, que eu conto com as opiniões de membros e ex-membros (e somos em mais de 40 já), aqui sou eu e meus gostos pessoais.

Bubble

A história de amor entre gays já pode render um drama. Se colocar o fato de um ser israelense e o outro palestino, a coisa ganha novas camadas de complicações. Lindo e pra chorar!

C.R.A.Z.Y.

Cinco irmãos, uma mãe religiosa, um pai conservador e a descoberta da sexualidade em plenos anos 60. C.R.A.Z.Y. é uma delícia de filme, com um trabalho de época delicioso e trilha idem.

Direito de Amar

Nem todo mundo gosta da estreia de Tom Ford na direção. Mas o filme, estrelado por Colin Firth e Julianne Moore que mostra um homem que perdeu recentemente seu marido é lindo visualmente, os figurinos dispensam elogios e me toca de verdade.

Lampião da Esquina

Na lista dos nacionais, vamos começar com um documentário da Lívia Perez sobre o jornal Lampião da Esquina, que circulou no Brasil entre 1978 e 1981. Uma aula da nossa história.

Mãe Só Há Uma

Anna Muylaert é mais uma que dispensa apresentações. Aqui nesse filme, ela pegou caso real do menino Pedrinho e da enfermeira Vilma e transformou em um filme incrível sobre a descoberta da sexualidade.

Meu Amigo Claudia

Mais um documentário nacional. Dessa vez do Dácio Pinheiro, o filme conta a trajetória da artista Claudia Wonder. É a nossa história ali, mais uma vez.

O Segredo de Brokeback Mountain

Quer chorar, meu amigo bicha? Então é aqui mesmo. A história proibida de amor entre Ennis Del Mar e Jack Twist é um drama cowboy gay lindo e triste. E ver o Heath Ledger em ação ainda me dá saudades.

São Paulo em Hi-Fi

Se você é de São Paulo e viveu, pelo menos um pouco, a cena noturna LGBT da cidade, tem que conhecer esse. Anos gloriosos, lugares que a gente frequentou e frequenta ali, sendo parte fundamental do que somos.

The Normal Heart

Não tem como não contar a história do HIV sem passar pela cultura LGBT. A doença, já chamada (erroneamente!) de câncer gay, é o tema desse filme sobre a chegada dela e sua expansão nos Estados Unidos. Para soluçar.