Orgânicos do bom #OláCentro

Aqui pertinho de casa tem feira aos domingos. E tem alguns anos que eu frequento quase toda semana. Os legumes são bem melhores que o de mercado e a feira em si é um evento divertido. Sem contar que tem a barraca de pastel. Mas a parte de orgânicos sempre foi fraquinha, só uma barraca ali no meio.

E tem alguns meses que abriu não apenas um, mas dois lugares aqui pelas redondezas com foco em orgânicos. A gente só foi em um deles, então é dele mesmo que vou falar aqui, o Instituto Feira Livre.

Como eles funcionam? Tudo lá tem o preço do produtor, ou seja, o que eles compram, eles mostram exatamente o valor. E quando você faz a compra eles te sugerem um valor de contribuição para manter o espaço funcionando. Isso mesmo, contribuição. Se as contas estão apertadas, você pode pagar só o preço do produto. Mas sejamos francos: sem migué, né? Se você quer que o lugar funcione, tem que ajudar. Essa consciência de que você tem que fazer sua parte é bem legal.

O que a gente comprou lá, claro, é menor do que os da feira e tem uma durabilidade menor. Tudo esperado. Mas a sensação de comer algo bem cuidado, sem agrotóxicos, vale muito a pena. E o preço é bem semelhante. Segredo é aprender a equação para consumir tudo antes de precisar jogar fora. Aqui pra gente funciona bem, só as verduras que não.

Vou trocar a feira? Não, eu gosto do evento. Mas é muito bom ter essa alternativa por perto. Poder escolher. =)