Será que eu consigo dar conta de tudo?

A não ser que você seja o herdeiro de um bilionário de Dubai, a sua vida não é fácil. Acordar cedo — seja lá o que for cedo para você — encarar uma rotina de trabalho e ainda conseguir conciliar vida pessoal, amigos, atividades extracurriculares e ainda aquele momento de relaxamento com livro/série/filme.

Aí, como se isso não bastasse, eu decidi fazer teatro no ano passado. Uma escolha mais que acertada para minha cabeça, mas isso requer tempo. São três horas semanais e ainda as horas de estudo de texto em casa.

E para fechar o combo, descobri o Hodgkin e isso consome um bom tempo na rotina e ainda na cabeça.

E quando tudo isso se acumulou, a pergunta logo brotou na minha cabeça: Será que eu consigo dar conta de tudo? E por dar conta, entenda-se fazer tudo da melhor maneira que eu conseguir.

Com dois segundos de dúvida, a resposta já surge: mas é claro que eu consigo!

Isso quer dizer que é fácil? Nossa, não mesmo. Em primeiro lugar, eu preciso estabelecer o que são as minhas prioridades. E não, as prioridades não são apenas pagar as contas e cuidar da saúde. Claro que isso deve estar em foco, mas é preciso mais do que nunca cuidar da cabeça também.

Uma atividade que te tire do seu ritmo, da sua rotina, te roube os pensamentos, pelo menos por um curto espaço de tempo, é fundamental. Lógico, algumas coisas vão acabar sendo prejudicadas. Não vai dar mais para ler aquelas cem páginas de um livro ou fazer uma maratona de uma série todo final de semana.

Mas, em algum momento lá do passado, eu fiz uma escolha: não sirvo para uma única coisa. E é assim que eu vou seguir. Dando conta de tudo.