Vamos tornar nossas vidas mais leves?

Você acorda, se espreguiça, a janela já está entreaberta entrando um leve raio de sol. Pega seu celular e coloca uma música de vibe delicinha enquanto se espreguiça em seu edredom fofinho e todo branco. Ok, você não acorda assim.

Na verdade, dado o clima de inverno, você xinga o despertador quando ele toca, embola o pé gelado de frio, corre para o chuveiro com medo daquela primeira ducha gelada que sai. Pega transporte para trabalhar, reclama do ar seco, faz textão no Facebook reclamando de tudo e de todos. Agora está um pouco mais realista, não é?

Bom, é sobre isso que eu queria conversar aqui. Dia ruim todo mundo tem. Até a Beyoncé e a Sandy. Mas será que a vida é realmente essa sucessão de momentos ruins que vão nos consumindo até a gente terminar o dia em posição fetal abraçado a uma garrafa de vinho barato? Claro que não é!

Tem coisa boa pequena, tem coisa ruim pequena. Tem coisa boa grande e coisa ruim pequena. E, o que mais tem, são coisas que são apenas coisas, não necessariamente boas ou ruins. E é aqui que entra meu ponto.

Dia desses eu fiz um breve experimento e sai perguntando para as pessoas: qual foi o melhor momento da sua semana? Em meio a uma ou outra resposta rápida, as pessoas em geral demoraram, pensando. Será que se eu perguntar o oposto a demora vai ser tanta?

Momentos bons são bons. Ruins são ruins e a gente tem que vivenciar cada um deles ou explode. Mas, e os momentos que não são nada, que tal você tornar um pouco melhor? Um pouco mesmo, nada grandioso.

Vai escovar os dentes cedo? Coloca uma música legal para tocar. Trânsito parado? Tira o atraso daquele livro, joga um jogo de celular, fala groselha no Twitter. Chefe chegou de humor atravessado? Respira fundo e come algo bem gostoso no almoço. De pouco em pouco, os bons momentos vão ser a maioria e, eu garanto, a vida vai ser mais leve.

Aliás, qual foi o melhor momento da sua semana até agora?

Show your support

Clapping shows how much you appreciated André Sobreiro’s story.