5 curiosidades sobre Ana Cristina Cesar e 3 poemas da autora homenageada da Flip 2016

Cassio Bartolomei
Blog do Book4you
Published in
4 min readJul 4, 2016
Foto: Reprodução

Ana Cristina Cesar (1952–1983) morreu jovem, aos 31 anos, depois de uma longa batalha contra a depressão. Escreveu muito. Publicou poucos livros — apenas um por uma editora e outros em edições do autor. Por muitos anos, seus poemas circularam entre um público restrito até que sua produção foi reunida em ‘Poética’ (Companhia das Letras, 2013). E parou por ali por mais um tempo.

Com o anúncio de que ela seria a autora homenageada da Flip deste ano, começou uma corrida para “revelar” a poeta a um público ainda maior. E mesmo aqueles que não vão a Paraty nos próximos dias terão acesso a uma Ana C., como ela também assinava, um pouco mais inteira (embora ela nunca se deixasse ver completamente). Há uma série de livros — inclusive uma recheada fotobiografia — chegando às livrarias. Você pode encontrar os livros aqui: http://fotos.estadao.com.br/galerias/cultura,ana-cristina-cesar-volta-as-livrarias-veja-9-livros-da-poeta-ou-sobre-sua-obra,25870

Selecionamos cinco curiosidades sobre a poeta e três poemas incluídos em ‘Poética’

  1. Antes de saber escrever, Ana Cristina já ditava seus poemas à mãe. Por vezes, fazia isso caminhando sobre o sofá e as pausas marcavam o ritmo dos versos e a mudança de linha. Escreveu muito na adolescência, entre 1966 e 1967, e marcava algumas de suas produções com a seguinte indicação: ‘Editora Problemas Universais’
  2. Em 1976, já formada em Letras, foi incluída na antologia ’26 Poetas Hoje’, organizada por Heloisa Buarque de Hollanda, e seu nome ganha outra projeção
  3. Entre 1979 e 1981, fez mestrado em Essex, na Inglaterra. Porque estava lendo ‘O Morro dos Ventos Uivantes’, foi conhecer a Haworth, a cidade em que Emily Brontë viveu
  4. Em 1982, lançou, com o apoio de Caio Fernando Abreu, pela lendária coleção ‘Cantadas Literárias’, da Brasiliense, o livro ‘A Teus Pés’
  5. “Com que direito, Deus, com que direito ela fez isso? Logo ela, que tinha uma arma para sobreviver — a literatura — coisa que pouca gente tem.” Quem escreveu isso, em carta, foi o escritor Caio Fernando Abreu, que admirava muito a poeta e amiga que acabava de tirar a própria vida. Ana Cristina Cesar morreu em 29 de outubro de 1983

Confira poemas de Ana C.

QUANDO CHEGAR

Quando eu morrer,

Anjos meus,

Fazei-me desaparecer, sumir, evaporar

Desta terra louca

Permiti que eu seja mais um desaparecido

Da lista de mortos de algum campo de batalha

Para que eu não fique exposto

Em algum necrotério branco

Para que não me cortem o ventre

Com propósitos autopsianos

Para que não jaza num caixão frio

Coberto de flores mornas

Para que não sinta mais os afagos

Desta gente tão longe

Para que não ouça reboando eternos

Os ecos de teu soluço

Para que perca-se no éter

O lixo desta memória

Para que apaguem-se bruscos

As marcas do meu sofrer

Para que a morte só seja

Um descanso calmo e doce

Um calmo e doce descanso.

junho/67

QUARTETOS

Desdenho os teus passos

Retórica triste:

Sorrio na alma

De ti nada existe

Eu morro e remorro

Na vida que passa

Eu ouço teus passos

Compasso infernal

Nasci para a vida

De morte vivi

mas tudo se acasa

silêncio. Morri

1967

UMA CARTA QUE NÃO VAI SEGUIR

Você falou em sorvete de pistache, saudades antigas. Hoje sinto uma nostalgia esquisita: o cheiro do detergente que lavava as louças em Londres, doce e perfumado, acrílico. Certas melancolias só a correspondência recupera. Escrever com objetivo, escrever num papel que viaja e chegar ao outro lado, escrever para dizer coisas. Pistacchios & detergentes. Decido fazer (é o verbo) um livro de correspondências. O nome pode ser o mesmo. Ou Livro das Correspondências. Ou algo no gênero (tremor: minha mãe, e o horror do anúncio da Shell, sempre reprimiram a palavra algo) (alga) (fidalga) do título do próximo livro do Chico, “céu, montanha”, acho. Podia ser “mostarda, pneu” ou “dearest heart ou “Disfarce e chore” ou “Marília, Dirceu”, ou “cartas do além ou “coração, pneu” (algo! Entre amicis e Camilo)…

Foto: Reprodução

Por falar na Flip, que foi realizada entre 29 de junho e 3 de julho, em Paraty, o Book4You preparou uma lista especial com livros de alguns dos principais autores que já passaram pelo festival. Dá uma olhada: http://bit.ly/29oVDex

--

--

Cassio Bartolomei
Blog do Book4you

Triathlon, Iron Man, Livros, ovo de gema mole e feijão por cima do arroz.