O que é romance?

O mundo está cheio de textos a serem lidos. E é graças aos gêneros que podemos identificar os diferentes textos espalhados por aí. Ao longo das próximas semanas o Book4You vai explorar um pouco dos gêneros literários para que você os conheça melhor e possa, cada vez mais, não julgar um livro apenas pela capa. Neste post, vamos falar sobre o romance.

Reprodução

O romance moderno, mais parecido com o que temos hoje, surgiu por volta do século 17, no contexto da Revolução Industrial, quando a individualidade se tornou um valor em voga no mundo. Isso porque uma das características do romance são os seus protagonistas, cheios de questões intrínsecas, em meio a personagens secundários.

As primeiras obras do gênero deixam essa característica do romance bastante evidente. 'Dom Quixote', de Miguel de Cervantes, e 'Robinson Crusoé', de Daniel Defoe, podem ser considerados os primeiros livros do gênero, tendo o primeiro surgido na Espanha em 1605 e o segundo na Inglaterra em 1719.

A palavra "romance" se refere-se a "romanesco", narrativas marcadas pela imaginação, com sonhos, aventuras e fantasias. É um gênero que possui intensidade e que conta com diversos acontecimentos no mesmo texto, em decorrência de mostrar uma trama principal e várias outras paralelas, ainda que com certa unidade em relação à história principal. Outra característica é que essas subtramas acabam auxiliando no desenvolvimento da trama dos protagonistas. Nesse sentido, o romance lembra um pouco as nossas tradicionais novelas, que são, de certa forma, "herdeiras" desse gênero.

No entanto, os romances não costumam seguir uma fórmula fixa, sendo essa justamente uma de suas características. Aliás, pode-se conjecturar que esse é um dos motivos para o gênero continuar tão popular até os dias de hoje, uma vez que a sua capacidade de se adaptar aos gostos de cada sociedade é notável. A temática, que costuma seguir assuntos mundanos — ou seja, ligados ao cotidiano do homem comum — , também pode ajudar nessa popularidade.

Outros temas comumente encontrados no romance são o dilema do bem vs. o mal, o aprofundamento sobre a complexidade psicológica e a crítica social, podendo-se utilizar de recursos como ironia e humor.

Enfim, o romance — que não é necessariamente romântico, é bom deixar claro; são coisas diferentes: um romance pode contar uma história de amor, mas também uma história de suspense, de terror ou de drama — é um exercício de sensibilidade que nos permite escapar durante algum tempo da nossa dura realidade, transportando-nos para novos mundos, novas histórias, que também podem ampliar as nossas visões e nos tornar pessoas melhores.

Na próxima semana, falaremos do conto — gênero com alguns pontos em comum ao romance. Enquanto isso, dá uma olhada nessa lista de romances publicados recentemente no Brasil.