“O que é cristianismo da libertação?”: este é o título do novo livro de Michael Löwy

Mesmo antes da Teologia da Libertação, houve na década de 1960 um movimento de cristãos comprometidos com a causa da emancipação dos oprimidos, dos pobres, dos trabalhadores com uma orientação em certa medida anticapitalista. A esse movimento Michael Löwy, sociólogo e um pensador marxista, dá o nome de “cristianismo da libertação”.

Em evento de lançamento de seu no livro, “O que é cristianismo da libertação?”, realizado recentemente na Escola de Sociologia e Política da USP, Löwy explicou que dois eventos formaram o pano de fundo das transformações que culminaram no processo de surgimento deste movimento: a Revolução Cubana e o processo de mudança da Igreja Católica, ambos ocorridos em 1959.

Neste ano João XXIII, então Papa, conclama uma mudança na Igreja e convoca o Concílio Vaticano II (1961), do qual resultaria uma “opção pelos pobres”. Tal posição encontraria enorme ressonância na Conferência de Medellin (1968), reafirmando essas posições no contexto da América Latina.

No vídeo abaixo Löwy discute questões importantes relacionados não só ao tema de sua publicação, mas ao desenvolvimento dos aspectos que ligam política e religião, especialmente depois da eleição do Papa Francisco. Vale a pena conferir.