Os 7 ensinamentos que o sucesso na campanha de crowdfunding da Reconectta me trouxe

No mês de junho de 2016 a Reconectta finalizou a sua primeira campanha de crowdfunding, que tinha dois objetivos principais: expandir nossos projetos em educação para a sustentabilidade para mais escolas públicas; e proporcionar nossa participação no programa Empreendedores da Mudança, um programa do Sense-Lab de aceleração de projetos de impacto.

Com mais de 110 apoiadores diferentes e mais de 106% da meta atingida, podemos considerar que a campanha foi um grande sucesso, o qual foi conquistado com bastante energia focada na campanha e que nos trouxe valiosos aprendizados, resumidos aqui em sete:

Apesar de ter ocorrido um boom em número de plataformas e projetos nos últimos 5 anos, o termo crowdfunding (ou financiamento coletivo) ainda é pouco familiar para a maioria das pessoas. Se você for abordá-las diretamente solicitando a contribuição, muitas não irão entender o que é, mesmo os mais jovens.

Então a dica aqui é: antes de abordar a pessoa pessoalmente, pelo Facebook ou grupo de WhatsApp, pergunte primeiro o que conhece sobre o assunto e dê uma breve explicação. Fale sobre um dos aspectos principais desse tipo de iniciativa: é baseada no princípio de que muitas vezes pouco de muitos é mais significativo que muito de poucos, reforçando o valor da atuação em rede, da cooperação e da economia colaborativa, onde ou todos ganham ou ninguém perde. Ah, e sempre use uma linguagem simplificada!

As publicações no Facebook referentes à nossa campanha atingiram, organicamente, mais de 10 vezes a quantidade de pessoas que curtem nossa página e houve um crescimento de mais de 500% de envolvimento com essas publicações (compartilhamentos, cliques e comentários) em relação à nossa média!

O que isso significou? Um ótimo feedback em relação ao seu projeto e ainda mais pessoas conhecendo a transformação que nós acreditamos, mas os números expressivos não se converteram em apoio financeiro.

O tom deste aprendizado não é de reclamação, é apenas uma dica valiosa para quem vai começar o seu projeto: não aposte a maioria das suas fichas de estratégia de apoio nas divulgações genéricas do Facebook. Ela é uma ótima estratégia de divulgação do seu projeto para gerar conhecimento, mas pouco efetiva para gerar conversão em apoiadores.

Em uma pesquisa rápida na internet você poderá constar que existem mais de 10 plataformas de certa relevância que facilitam projetos em busca de apoiadores, e que em cada um deles há centenas de ótimos projetos, nos quais muitos possuem um impacto positivo na sociedade tão bom ou muito melhor que o seu! Portanto não pense que apenas um bom filme com um belo projeto sensibilizará desconhecidos para a causa que você tanto acredita.

A palavra chave aqui é a confiança. Qual é a credibilidade e a confiança que você transmite para possíveis apoiadores que financiarão o seu projeto, abrindo mão de financiar tantos outros projetos transformadores? Foque nas maneiras de mostrar que o projeto tem, além de paixão, excelente capacidade de execução e que as pessoas que confiam em você transmitirão a mensagem para pessoas que confiem nelas e assim sucessivamente. Aqui também entra no poder de suas conexões, que de tão importante, será abordado como um tópico dos aprendizados aqui compartilhados.

As recompensas oferecidas pelo projeto podem sim representar um grande diferencial na sua campanha, principalmente quando se tem um produto físico envolvido. Entretanto para negócios de impacto e projetos sociais, muitas vezes o pertencimento em prol de algo maior é fator mais determinante que a recompensa em si.

De qualquer modo, uma dica para criar recompensas é tangibilizá-las por meio de pessoas. Isso faz com que se crie personagens e empatia pelos mesmos, fazendo com que recompensas como “receba a carta de uma criança transformada pelo projeto”, “receba um depoimento de uma pessoa ajudada”, etc. sejam mais atrativas.

Além disso, outra estratégia que funcionou bastante foi criar “recompensas” específicas para grupos de amigos específicos e mais próximos. Exemplos: Você se dispõe a lavar a louça da sua república por um período para a pessoa da casa que mais conseguir arrecadações, ou ocupar a vez de “ir no gol” para a galera do futebol que só quer jogar na linha, tudo para gerar uma força tarefa de arrecadação e você oferecer recompensas mais personalizadas e úteis para cada tipo de amigo!

Ao criar uma campanha de crowdfunding você poderá comprovar na prática o perfil procrastinador do ser humano. Até aquele seu melhor amigo ou mesmo um familiar próximo que você tem certeza que quer e pode contribuir vai deixar para a última hora. Por isso, já adianto: se sua campanha não estiver atrelado a nenhum evento específico ou você souber que ela não atingirá proporções nacionais, um maior prazo não significa uma maior arrecadação. O importante é que se tenha um planejamento de ações semanais para que seja estipulado um prazo que realmente faça sentido pois, por dados até dos próprios sites e experiência própria, o período entre as semanas iniciais e finais da campanha apresentam uma nível de atividade muito baixo.

A dica para essa situação é atrelar a estratégia das recompensas específicas com prazos específicos pois todos deixarão para a última hora. Portanto faça suas estratégias de divulgação macro normalmente durante toda a campanha, mas escolha semanas diferentes para falar com grupos específicos, fazendo com que os desafios de arrecadação propostos sejam válidos até o final daquela semana, criando diferentes datas limites para diferentes grupos de pessoas, usando aquela motivação para a ação que os prazos nos dão.

Talvez essa seja a mais básica das lições que a campanha me trouxe mas com certeza foi a mais profunda. O sentimento que movimenta as ações de todas as pessoas envolvidas de alguma maneira com o crowdfunding é a generosidade, e, das diversas definições que essa palavra tem, a que eu mais gosto é a de que generosidade é a nossa capacidade de dar a alguém algo que consideramos extremamente valioso.

O quão generoso você tem disso ao longo da sua vida? No caso das campanhas, o que você necessita no momento é o dinheiro, mas o recurso mais valioso para o ser humano é tempo e energia. Portanto, antes de iniciar uma campanha e sair pedindo generosidade, distribua generosidade de forma genuína e então durante a campanha você vai se surpreender o quão generosas são as pessoas à sua volta.

Em uma campanha típica, a grande maioria dos apoiadores serão contatos de primeiro grau dos criadores do projeto e 100% desses apoiadores são formados por pessoas que, em algum momento da vida, criaram conexões e trocas verdadeiras, genuínas, sentindo que ali ninguém esperava absolutamente nada em troca.

As pessoas não foram generosas apenas com o seu apoio financeiro. Mais do que dinheiro, elas nos apoiaram com a confiança e a convicção de que realizaremos um bom trabalho e isso nos trouxe, além da nossa imensa gratidão, uma grande responsabilidade de causar a transformação na educação e de fazer com que todos que nos apoiaram se sintam parte dessa grande paixão que nos move.

Portanto, como ensinara o Tio Ben para o Homem-Aranha, “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”. Uma vez com a sua campanha financiada, é a hora de você ser generoso com o mundo e com todos os que acreditaram em seu projeto, fazendo com que o mesmo seja um grande sucesso e traga resultados realmente profundos e sustentáveis.

Originally published at www.reconectta.com on August 1, 2016.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.