Blogando Bauru 2017 traz debate intrigante sobre futuro do trabalho

Na sequência das conversas sobre mídias sociais, o debate intitulado “O futuro do trabalho” teve início às 14h50 nas vozes de Iris Freund e Maiara Tortorette. Com o surgimento de novas plataformas digitais e meios mais tecnológicos para a esquematização de projetos, faz-se necessária uma discussão sobre as mudanças nas relações de trabalho na área de comunicação social.

Numa apresentação conjunta, as especialistas em marketing começaram o debate apresentando no projetor alguns empregos antigos: telefonista, despertador humano, datilógrafo e contador de histórias nas indústrias. A ideia era mostrar como o mercado muda ao longo do tempo, a maioria das profissões sendo remodeladas ao surgirem novas tecnologias. Os empregos citados não são mais necessários e foram substituídos por outros, que podem realizar funções semelhantes, mas de outras maneiras e em novas plataformas.

[caption id=”attachment_3366" align=”aligncenter” width=”750"]

Trabalho

Trabalho cooperativo foi um dos temas da palestra[/caption]

A coordenadora de marketing da Cathos, Maiara, afirmou que as crianças de hoje provavelmente vão seguir carreiras que elas nem imaginam que existem. Ela contou que, atualmente, passa grande parte do seu dia olhando as redes sociais, algo que não acontecia em sua época de faculdade.

Relacionando evolução tecnológica e evolução do trabalho, Maiara também enumerou alguns itens que auxiliam as mudanças nas relações do trabalho, como a tecnologia, cenário econômico e demografia. As palestrantes concordaram que essas mudanças nem sempre são negativas. Iris acredita que, apesar de existir uma linha de profissionais que buscam eficiência na tecnologia, existe um grupo que vem buscando a humanização do trabalho. Segundo ela, fazer as pessoas entenderem que o emprego é uma parte importante da vida delas e ter prazer no que se faz é uma ótima maneira de se obter eficiência e criar projetos “com mais conteúdo e mais coração”.

Em seguida, as profissionais citam o freelancer como exemplo de trabalho que surgiu se adaptando à realidade do mercado. De acordo com Maiara, ele “não é mais só um tapa buraco, é um estilo de vida, uma escolha”. Hoje em dia, algumas pessoas preferem horários mais flexíveis e uma rotina de trabalho diferente.

Para finalizar, Iris mostrou para o público do Blogando Bauru, através de um vídeo explicativo e seu relato, um pouco da experiência de trabalhar na WeWork. A proposta da empresa é um novo ambiente de trabalho, no qual espaços comuns são utilizados para favorecer o contato entre as pessoas. Seu objetivo é fazer os funcionários crescerem juntos e os negócios se identificarem e se desenvolverem conjuntamente.

[caption id=”attachment_3367" align=”aligncenter” width=”750"]

Trabalho

A tecnologia, o cenário econômico e a demografia auxiliam nas mudanças das relações de trabalho[/caption]

Maiara também disse que “toda mudança, tudo aquilo que é muito novo assusta”, mas ela também aconselhou as pessoas a estarem sempre atrás de melhorias, em busca de novos skills e a fazer o melhor que puderem como profissionais.