O marketing de relacionamento e o atendimento “cool” Nubank: #SOUNU

Foto: Perfil do Instagram @nubankbrasil

Não é de hoje que a startup brasileira Nubank é reconhecida quando o assunto é Fintech[1], pelas vantagens e pelo pioneirismo no segmento de serviços financeiros 100% digital, tudo é controlado por meio do aplicativo. Fundada em 2013 por David Vélez, atua como operadora de cartões de crédito (sem anuidade e com a bandeira MasterCard) e banco digital. De acordo com a Reuters já são mais de três milhões de clientes no Brasil, sem contar com os números da fila de espera, dos interessados no cartão.

Recentemente a empresa recebeu a autorização do presidente para abrir sua própria financeira, sem precisar mais de parcerias no país para montar a estrutura de captação de recursos e oferta de crédito.

E por que todos querem ser “NU”?
Foto: Nubank

Atendimento, a palavra-chave. A qualidade e eficiência do atendimento Nubank têm chamando atenção. A startup vem a todo instante inovando quando o quesito é relacionamento e linguagem adaptada, cada vez mais próxima procurando fortalecer os vínculos e a satisfação dos stakeholders, sobretudo jovens, cansados da burocracia encontrada nos bancos e em serviços financeiros.

Fonte: Twitter @nubankbrasil

Além do próprio app, a interação nas redes sociais com o público ganha destaque no Facebook (1.437.057 likes), Twitter (mais de 93 mil seguidores) e Instagram (249 mil seguidores), com uma linguagem informal, descontraída e que se utiliza ainda de memes e GIFs, atraindo seguidores, likes, reações positivas e comentários.

Imagens: Fanpage Nubank

Sem contar que já são mais de 11 mil publicações com a hastag #sounu no Instagram. E no Twitter a #nulove tem crescido nos Tweets de clientes. Esses que acabam também promovendo a marca e fortalecendo a imagem na rede.

Não é à toa que já na primeira participação, a startup brasileira se destacou com o marketing de relacionamento e conquistou o 3° lugar, entre 115 empresas, na categoria atendimento ao cliente no ranking EXAME/IBRC (Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente) de 2017. Afinal, “o veredito é do cliente!”.

De acordo com a Exame: “Para realizar o levantamento, pesquisadores do IBRC ouviram 5 122 pessoas em 148 cidades de todos os estados brasileiros, perguntando quais empresas atenderam bem e mal. As mais mencionadas receberam um questionário com 20 perguntas para autoavaliar seus processos. O atendimento de cada empresa também foi analisado em 11 interações de “clientes ocultos” por telefone, internet e, quando possível, pessoalmente, além de entrevistas com 25 clientes reais.”
Fonte: IBRC

“O Nubank não conquistou uma multidão de pessoas ao redor do mundo apenas pelo seu negócio, conquistou pela forma como ele se relaciona com o seu cliente”, destaca a Analista de SEO Rafaela Lemos.

Fatores que só comprovam o quanto as empresas precisam acompanhar as mudanças e tendências do mercado, assim como as necessidades dos públicos de interesse, focando sobretudo no marketing de relacionamento e no atendimento humanizado. Um grande passo para alcançar um diferencial competitivo e possivelmente se tornar uma queridinha no quesito atendimento “super cool”.

[1] Novas startups provedoras de soluções tecnológicas no setor financeiro.