Os impactos das fake news para o marketing digital

As mídias sociais se tornaram um campo fértil para a disseminação das chamadas ‘fake news’. Longe de ser um assunto de responsabilidade restrita aos jornalistas, esta é uma questão que envolve todo profissional que produz conteúdo para a comunicação digital.

Photo by pixabay.com

Fake news é o termo utilizado para descrever informações falsas. Está relacionado a qualquer tipo de conteúdo infringente, discriminatório ou falso.

Em toda a história da comunicação, enxurradas de informações falsas sempre circularam. No entanto, os meios digitais proporcionaram a capacidade de disseminá-las para grandes massas.

Para muitos profissionais, ainda não está claro qual o papel do marketing digital no contexto das fake news. Aumentando a estrutura da análise, a verdade é que ainda não temos certeza de quem é a responsabilidade pela disseminação dos conteúdos ilegítimos.

No entanto, mesmo que não contribuamos para a circulação deste tipo de ideia, é dever de todo aquele que está envolvido com a comunicação digital ter total compreensão da estrutura que movem as fake news e de seus impactos.

O processo de comunicação nas mídias sociais

A internet, assim como outras mídias — televisão, rádios, jornais, é um canal de comunicação que tem como a base de sua estratégia de sucesso a interação com o receptor.

Olhando rapidamente para antigas ações midiáticas, ligar para interagir nos programas de televisão sempre foi uma tática bastante assertiva para ganhar a empatia da audiência.

Visto isso, nota-se que a interatividade não é algo que a comunicação digital criou. Sua contribuição foi dimensioná-la, levando-a para apara um número astronômico de pessoas.

O receptor da informação digital deixou de ter um papel passivo e ganhou voz ativa na comunicação. Se antes o diálogo seguia apenas por uma via, com as mídias sociais, ele ganhou múltiplas direções.

Toda esta mudança impacta diretamente na forma como os conteúdos são desenvolvidos e publicados.

De fato, o objetivo de grande parte das ações de marketing digital é criar campanhas que se tornem virais e que tenham ampla visibilidade dos usuários. Trata-se de uma meta totalmente legítima.

A problemática se dá ao fato de que este conteúdo está inserido em uma estrutura de comunicação em que a distorção dos fatos e disseminação de informações falsas e sensacionalistas é o padrão.

É neste contexto que a atuação dos profissionais de marketing digital, que carregam em si a responsabilidade de produzir e manipular o conteúdo de forma de responsável, deve ter sua importância ainda mais valorizada e reverenciada.

Somente através do trabalho de especialistas cientes do seu papel como produtores de informação, e das responsabilidades que comunicação digital acarreta, é que o marketing digital ultrapassará incólume a barreira das fake news.

As mudanças do Facebook e seus reflexos

No início de 2018, o Facebook fez um importante comunicado sobre a forma de distribuição dos posts no feed de notícias dos usuários.

Photo by William Iven on Unsplash

Na nova diretriz, os conteúdos gerados por amigos e parentes serão priorizados, em vez de posts e notícias postadas por empresas, marcas ou outras mídias.

De acordo com o comunicado oficial da rede, os posts mais valorizados serão aqueles com mais interações — compartilhamentos, comentários, reações.

Para muitas marcas e veículos de informação, isso foi interpretado como uma decisão equivocada, que terá como consequência a fomentação de conteúdos desprezíveis e sem qualquer compromisso com a verdade.

Apoiado neste raciocínio, a Folha de São Paulo, importante veículo jornalístico brasileiro, expôs a resolução de interromper a publicação de conteúdos no Facebook.

Em seu comunicado oficial, o jornal afirmou que a deliberação foi tomada baseada no entendimento de que as mudanças na plataforma diminuirão a visibilidade do jornalismo profissional e privilegiarão os conteúdos pessoais. Para a Folha de São Paulo, isso contribuirá para a disseminação de informações deturpadas.

A preocupação e a responsabilidade com aquilo que é publicado e disseminado no Facebook, são assuntos que tornaram-se pautas constantes nos comunicados da empresa.

Durante o festival South by Southwest deste ano, importante evento de tecnologia e mídia dos EUA, a vice-precedente de notícias do Facebook, Alex Hardiman, enfrentou duros questionamentos sobre o posicionamento da empresa diante deste problema.

Sobre as recentes mudanças nos mecanismos de posicionamento dos posts, ela afirmou que “o Facebook está redefinindo sua relação com as empresas de mídia” e que objetivo da plataforma é minimizar as coisas ruins e promover a qualidade no feed de notícias dos usuários.

Na prática, muito pouco foi feito e as consequências das mudanças serão observadas do decorrer do ano.

O marketing de conteúdo em tempos de fake news

O crescimento da propagação de notícias falsas e de conteúdos sensacionalistas deve ser uma agenda constante de discussão para os profissionais de marketing digital.

A urgência da produção no conteúdo ocasiona, não raramente, a publicação de informações com pouquíssimas validações, ou então, a replicação de referências sem haja uma devida verificação da fonte.

Encontram-se muitos direcionamentos e tutoriais sobre como criar conteúdos de forma rápida, ou como aperfeiçoar o uso de palavras-chave. Porém, a qualidade do conteúdo e seus impactos ainda não são diretrizes tão debatidas.

Nos últimos anos, assistimos a diversas mudanças na forma como o marketing é feito, tanto online como offiline. Se há dez anos, ver comerciais de marcas de cervejas era na verdade assistir a objetificação da mulher, hoje, este tipo de estratégia parece não ter mais espaço.

No mesmo caminho, presenciamos as mudanças que vão interferir na forma como são criados os conteúdos digitais. Ações vazias e sem propósitos estão ficando para trás.

Ainda longe de ser assunto constante para o profissional de marketing digital, a pertinência de notícias falsas e o uso infame das mídias sociais interfere muito na estrutura e na credibilidade do trabalho do social media.

Todo aquele que produz e publica qualquer tipo de informação deve ter total consciência de suas responsabilidades.

Cabe, portanto, aos profissionais de marketing assumir a postura consciente diante dos impactos causados pelos conteúdos publicados. Afinal, em tempos de fake news, criar discursos que realmente tenham sustentação na credibilidade é fundamental para torná-los relevantes.