NUNNEHI: CHANGELING NATIVOS DA AMÉRICA

Por Porakê Martins

Os Nunnehi são os pouco conhecidos Changeling nativos da América, originalmente apresentados no suplemento Changeling Players Guide de 1996 e que retornam agora na Edição Comemorativa de Aniversário de 20 anos do jogo, lançada no primeiro semestre de 2017.

Os Nunnehi são uma variedade de seres feéricos que oferece um elemento de tragédia, conflito ou ampliação de horizontes pra suas crônicas C20, seja como personagens jogadores, ou ainda como antagonistas ou aliados para crônicas de outros títulos do Mundo das Trevas clássico, envolvendo personagens diretamente relacionados as culturas nativas da América, como os Lobisomens das tribos Uktena e Wendigo, ou simplesmente ambientadas no continente.

Essa série de traduções são uma versão revisada daquela originalmente publicada no Blog Rage Across Brasil e consiste em trechos retirados da Edição Comemorativa de Aniversário de 20 anos de Changeling: O Sonhar, ainda inédita em português, que nos apresentam a versão oficial atualizada desses curiosos Gallain:

Nesta Parte I, trataremos de apresenta-los e contar um pouco de sua história, organização e cultura;

Na Parte II, detalharemos os exóticos kiths Nunnehi, seus Direitos Inatos, características e Fragilidades;

Na Parte III, abordaremos seus aspectos mais mecânicos no jogo, novos antecedentes e o sistema que os possibilita “Percorrer Atalhos” para adentrarem o Mundo Espiritual.

Kiths Nunnehi

Tradução dos principais trechos pertinentes das páginas 393–395 e 405–408 da Edição comemorativa de Aniversário de 20 anos de Changeling: O Sonhar.

Nunnehi é uma palavra Cherokee para “pessoas que vivem em qualquer lugar” e passou, ao longo do tempo, a ser a forma como os povos feéricos nativos das Américas se autodenominam. Antes da Fragmentação, as Américas estavam cheias de dezenas ou talvez centenas de diferentes variedades de seres feéricos, mas desde sua súbita separação do Sonhar, ou como o Nunnehi se refere a ele, dos Altos Campos de Caça, muitas das fadas das Américas estavam perdidas para sempre.

Os Nunnehi são fadas, assim como os Changelings europeus, e compartilham muito em comum com eles, mas também têm muitas diferenças. Como os Nunnehi aprenderam o Caminho Changeling é desconhecido, mas os Nunnehi fizeram contato com as fadas europeias quando os vikings se estabeleceram na América pela primeira vez, já no século X e muitos acreditam que esses segredos foram aprendidos de fadas nórdicas e germânicas que viajaram junto com os primeiros colonizadores. Outros afirmam que os Nunnehi aprenderam a se tornar changelings por conta própria, quando as fada nativas descobriram mortais altamente espiritualizados e se ligaram a eles. Tanto faz os meios, os Nunnehi sobreviveram a Fragmentação, mas com a perda de seus Altos Territórios de Caça, eles foram forçados a aprender novas maneiras de obter Glamour. Eles aprenderam como colher o Glamour, que eles costumam chamar de Medicine, diretamente do mundo natural.

Alguns Nunnehi ainda procuram um meio de conexão com os Altos Campos de Caça, mas nenhum foi bem sucedido. A especulação persiste entre os Nunnehi e os Kithain de que sua terra natal no Sonhar pode ter sido destruída devido à perda de tantas Tribos e a erosão da crença mortal. Os Nunnehi estão intimamente ligados com as Tribos mortais. Eles sempre nascem entre aqueles com sangue nativo e, mais frequentemente, entre aqueles que ainda vivem nas tribos. Eles continuam a viver nas bordas da sociedade nativa americana, embora a maioria dos nativos os tenha esquecido.

História

A história Nunnehi é uma história longa de sangue desperdiçado e tristeza. Desde a chegada dos primeiros europeus, muito antes de Colombo, os Nunnehi foram obrigados a lhe dar com uma série de migrações forçadas e invasões. Muito antes da chegada do Kithain, as Nações Nunnehi viviam em harmonia com as tribos nativo-americanas. Embora amplamente variados devido diferenças em suas crenças, as famílias Nunnehi têm muito em comum entre si. Muitos eram invisíveis ou podiam tornar-se assim. Alguns podiam mudar o tamanho de alguns centimetros de altura até algo gigantesco. Quase todos foram sonhados para conceder favores ou lançar maldições para os povos nativo-americanos.

Estreitamente ligado a ambos, mundo natural e mundo espiritual, alguns serviram como xamãs tribais, mediadores para entidades superiores ou para os espíritos dos mortos. As Tribos deixavam presentes para aplacar seus irmãos espirituais, pediam-lhes orientação e temiam sua retribuição caso se sentissem insultados ou irritados. Em troca, as Nações Nunnehi observavam seus irmãos de carne prestando sua assistência quando necessário e ensinando as tribais nativas a curar e desenvolver a magia.

As primeiras fadas européias a chegarem foram os trolls e nockers, até alguns sidhe acompanharam os Vikings que se estabeleceram no litoral da América do Norte. Muitos deles, especialmente os sidhe, estavam fugindo da Maré crescente de banalidade que estava varrendo toda a Europa nos séculos XII e XIII. Relações com estas fadas eram na maior parte amigáveis, tratados e acordos foram firmados com esses recém-chegados.

No entanto, números maiores cruzaram o Mar, e estes se instalaram onde quer que quisessem sem demonstrar o menor respeito pelas fadas nativas. Como suas contrapartes humanas, que mais tarde chegaram ao Novo Mundo, as fadas européias assumiram arrogantemente que sua cultura e tradições eram superiores e mais civilizadas. Alguns até levaram Nunnehi como cativos a quem precisavam “ensinar” os valores europeus como a “civilização”. As relações entre o Kithain e as Nações Nunnehi rapidamente se deterioraram e os Nunnehi começaram a lutar contra os usurpadores que tomavam suas terras, abordando viajantes e arrasando os domínios Kithain.

A Colonização Européia

A chegada dos colonos europeus trouxe novas ondas de Kithain. O destino das Nações Nunnehi refletiu de perto o das tribos mortais. Embora estas novas fadas apreciassem a natureza local, eles não podiam obter o Glamour como os Nunnehi. Sem querer, estes colonos muitas vezes derrubavam grades e antigas árvores, represavam os rios e aravam os campos onde os Nunnehi costumavam dançar e colher seu Medicine. A guerra também surgiu entre os Nunnehi, tribo lutou contra tribo, eles foram empurrados para outros territórios e forçados a concorrer por recursos. Durante a Guerra pela independência dos EUA, muitos nativos americanos tomaram partido das potencias européias em vez dos americanos, esperando que os europeus restituíssem suas terras em troca de sua ajuda. Os Nunnehi lutaram ao lado de seus irmãos e irmãs mortais e compartilharam seu destino. Quando a guerra foi perdida, esses Nunnehi, e todos associados a eles, foram severamente punidos. Muitos foram mortos diretamente ou forçados a escravidão, e os demais foram despojado de suas terras remanescentes.

O padrão de atrocidades contra as tribos nativas e os Nunnehi continuou enquanto os europeus se espalhavam para o oeste. Tribos inteiras foram dizimadas por doenças ou removidas de seus campos de caça e territórios. Muitos Nunnehi, que antes eram pacíficos, responderam com raiva e inimizade, travando guerra contra os Kithain e seus parentes humanos. Outros se retiraram para as profundezas das regiões selvagens, na esperança de se esconder da invasão dos estrangeiros. Alguns acompanharam as tribos mortais no exílio.

Até hoje, alguns Nunnehi continuam a atacar e lutar contra os usurpadores de suas terras. Os seus territórios mais sagrados, que haviam sido livres e serviam como círculos de dança e locais de reunião, foram tomadas pelos Kithain ou substituídos por shoppings e prédios de escritórios. Até recentemente, muitos Nunnehi eram nômades, movendo-se de acordo com as estações. O mundo mudou desde a chegada dos europeus, os mortais, os Kithain e os Nunnehi foram forçados a se adaptar. Aqueles que um dia viveram na selva e eram de várias maneiras mais próximos dos Inanimae, agora vivem entre os mortais, escondido da mesma maneira dos Kithain.

Nos últimos 100 anos, os Nunnehi estão em declínio conforme a população das tribos mortais diminue e eles continuavam buscando evitar suas antigas crenças e se afastar de suas antigas tradições. No entanto, as últimas décadas viram um ressurgimento do orgulho dos nativos americanos e um reavivamento do interesse pelos modos antigos. Do renascimento da crença entre os remanescentes dos povos nativos, surgiu uma nova esperança de que os Nunnehi não seriam mais um povo moribundo, mas um que resistiu ao longo inverno e agora estava emergindo para a primavera.

O Retorno dos Sidhe

Mas o retorno dos nobres sidhe complicou a ainda mais sua situação. O retorno dos nobres de origem européia e sua cruzada para recuperar as terras que consideravam como seus feudos não só provocou a Guerra da Harmonia, mas também ecoou como um chamado às armas para as Nações Nunnehi. Alguns Nunnehi voltaram a encontrar-se deslocados por esse novo afluxo de não-nativos, que mais uma vez insistiam em sua própria superioridade. Muitos Nunnehi lutaram ao lado dos plebeus, acreditando que uma vez que eles triunfassem, os Kithain comuns reconheceriam seus direitos. Outros Nunnehi ficaram de lado, sentindo que não era sua preocupação se um homem comum sobrepuja um nobre. Alguns até lutaram ao lado dos Sidhe, lembrando que no passado alguns nobres haviam selado tratados e professado laços de amizade com eles. Estes últimos tiveram melhor sorte e algumas Nações Nunnehi hoje usufruem de tratados e garantias de seus direitos reconhecidos por nobres que reivindicaram feudos que conquistaram, em parte, com a ajuda de seus aliados Nunnehi.

Naturalmente, nada é sem preço. Conflitos entre as tribos gerados pela Guerra da Harmonia trouxeram à tona velhas inimizades entre as várias tribos Nunnehi. A nova ênfase no orgulho dos nativo-americanos teve um efeito inebriante sobre as Nações Nunnehi. Onde todos eles poderiam ter se aliado ante sua eventual destruição, a renovação da cultura nativa tornou-os orgulhosos e reticentes demais para perdoar antigos erros. Assim, mesmo quando os Nunnehi voltaram a tornarem-se fortes, eles se enfraquecem por desavenças intertribais.

As Tribos

Os Nunnehi nascem dos sonhos, crenças e expectativas das tribos nativas americanas. A maioria dos Nunnehi nasce a partir de membros mortais de uma das tribos existentes. Aqueles que são nascidos fora de uma dessas tribos nativo-americana são muitas vezes perdidos, nunca despertam para o seu verdadeiro potencial, e mesmo quando despertam não costumam ter o real entendimento do que são. Há muito tempo, um Nunnehi particular identificava-se apenas com uma tribo particular, mas ao longo do tempo eles vieram a associar com tribos da mesma região ou que compartilham antecedentes em comum.

Os Mundos Nunnehi

Os Nunnehi acreditam em três “mundos” que compõem toda a criação: o Mundo Superior, o Mundo Médio e o Mundo Inferior.

O mundo superior é o reino dos espíritos, Os Altos Campos de Caça, os reinos Nunnehi dentro de Arcádia. Atualmente seu acesso a sua porção do Sonhar parece ser sido rompida de alguma forma, mas eles ainda podem adentrar o Mundo Superior para interagir com espíritos. Diferente nunnehi interagem com o Mundo Superior em diferentes graus. Alguns, como os surems e kachinas, passam muito tempo ali, realizando rituais e falando com os espíritos. Outros, como os gigantes de rocha e tunghat estão mais vinculados ao Mundo Médio. Outras criaturas da noite, como lobisomens e magos, conhecem o Mundo Superior como Umbra.

O mundo médio é o domínio físico. A maioria dos seres humanos passa toda a vida no mundo médio, desconhecendo a existência de outros mundos ao seu redor.

O mundo inferior é o reino dos mortos. Poucos nunnehi têm interações diretas com esse reino, embora estejam todos conscientes de sua existência. Acredita-se que uma vez, há muito tempo, os nunnehi percorreram o mundo inferior e atuaram como guias para os recém-falecidos espíritos mortais, guiando-os no caminho correto e prevenindo que se tornassem fantasmas famintos. No entanto, essa habilidade foi perdida junto com sua conexão com os Altos Campos de Caça.

Acampamentos

Acampamentos são o equivalente Nunnehi das Cortes Kithain. Seelie e Unseelie não significam nada para os Nunnehi, em vez disso, eles pertencem aos acampamentos do Inverno (também conhecido como Rocha), do Verão (Corniso), ou da Meia-estação (Loureiro).

Enquanto os Kithain muitas vezes escondem sua filiação a uma Corte, especialmente se eles são Unseelie, os Nunnehi ostentam seus acampamentos em suas faces, muitas vezes, literalmente. Pode-se dizer com bastante facilidade se um Nunnehi é do acampamento do inverno, do verão ou da meia-estação simplesmente examinando sua roupa, acessórios e comportamento.

Um Nunnehi do inverno geralmente se veste em cores escuras de guerra ou luto. Seu rosto e seu corpo podem ser pintados com as cores e símbolos da ofensa que lhe foi feita e raramente sorrirão ou serão amigáveis, exceto, talvez, com outros membros do acampamento do inverno. Vestir e agir dessa maneira é considerado, pelos Nunnehi, um aviso justo para quem cruzar seu caminho. Um Nunnehi do acampamento do verão tende a se vestir com cores quentes e brilhantes. Ele pode usar pintura facial e corporal, mas de um design alegre e acolhedor, destinado a deliciar aqueles em sua presença, e sua expressão e comportamento são sempre extrovertidos e amigáveis.

Um Nunnehi pode mudar de um acampamento para outro, assim como um Kithain pode mudar de Corte, mas essa transição geralmente é lenta, com a Meia-estação, ou Acampamento do Loureiro, sendo uma fase de transição entre um ou outro. A natureza destrutiva de um Nunnehi do Inverno geralmente se dissipa em brincadeiras inofensivas, ou ele pode retirar-se do mundo antes que seu legado de verão tome conta mais uma vez. De forma semelhante, um Nunnehi do verão começa a se envolver em brincadeira cada vez mais sombrias ou se retira para dentro de si mesmo à medida que suas tendências compassivas se desvanecem e seu legado de inverno se apodera. A mudança de um acampamento para outro geralmente é lenta e um processo deliberado, mas às vezes pode ocorrer instantaneamente em resposta a circunstâncias contundentes como a morte de um amigo íntimo, ou um terrível ferimento causado por um inimigo. Dadas essas circunstâncias, o nunnehi pode mudar imediatamente do verão para o inverno. O reverso também pode ser possível, dadas as circunstâncias adequadas, como um momento dramático de cura ou reconciliação, mas tais circunstâncias são ainda mais raras. Em qualquer caso, o narrador sempre deve ser informado do atual acampamento do nunnehi.

Nunnehi de inverno tendem a estar cheios de ódio e raiva e estão muitas vezes buscando vingança de alguém que prejudicou a ele ou seus aliados. Alguns nunnehi escolhem o acampamento de inverno como um estado permanente, mas a maioria se junta ao acampamento não por ódio, mas simplesmente para reparar uma injustiça ou desrespeito. Nesses casos, quando a ofensa foi vingada, o nunnehi geralmente muda de volta para o verão. A mudança é geralmente um assunto muito particular onde o nunnehi passa por um ritual, como se banhar em um rio purificante ou ir a uma cabana de suor para induzir a mudança. Um nunnehi que escolhe o acampamento do inverno como seu estado mais permanente, muitas vezes muda para o verão durante pelo menos uma parte do ano, para que não se torne tão severo que perca sua conexão com sua natureza feérica. Muito ódio por muito tempo pode levar à banalidade.

Nunnehi do verão são de um temperamento mais pacífico. Eles são muitas vezes líderes, defensores e xamãs, e quase sempre ajudam os mortais em angústia ou necessidade. Eles geralmente preferem negociação e paz a resoluções violentas e guerra. Apesar, ou talvez por causa de seu comportamento mais temperado, as pessoas de verão não têm medo ou desconfiança de pessoas de inverno como os Kithain seelie costumam ter em relação a suas contrapartes Unseelie. Ambos os acampamentos entendem que o outro é necessário, e eles muitas vezes trabalham lado a lado, cada um contribuindo com seu próprio poder e dons para resolver os problemas juntos. Isso não quer dizer que todos os encontros ou contatos de ambos os acampamentos sejam sem atrito. Às vezes, os dois têm ideias muito diferentes sobre como resolver um problema, o que pode levar ao confronto. No entanto, ambos têm uma compreensão e aceitação inerentes uns dos outros que não existe entre as cortes kithain.

Nunnehi da meia-estação estão no meio da transição e raramente permanecem nesse acampamento por muito tempo. Ao contrário dos acampamentos do inverno e do verão, a meia-estação não é escolhida na criação de personagens, mas, em vez disso, surge sempre que o Nunnehi entra nesse estado. Existem dois diferentes tipos de meia-estação: o Trapaceiro e o Observador.

O Trapaceiro está ativamente envolvido na sociedade, se intrometendo, jogando e pregando pequenas peças sempre que possível. Uma transição de Nunnehi do acampamento de verão para o de inverno muitas vezes se torna um Trapaceiro. E quando ele se aproxima do inverno, suas brincadeiras podem ficar cada vez mais sombrias e mortais. Um Nunnehi que está passando do inverno para o verão, muitas vezes escolhe o papel do Observador, que permite a eles se retirarem um pouco da sociedade — para pensar, refletir e observar. Isso não quer dizer que o contrário não pode ser verdade para qualquer acampamento em qualquer direção. Um personagem do verão em transição para o inverno poderia facilmente se tornar um Observador e uma pessoa de inverno em transição para o verão também pode tornar-se um Trapaceiro.

Legados

Os personagens de Nunnehi devem escolher um legado de Verão e outro de Inverno, embora apenas um desses legados seja dominante de cada vez. Quando o Nunnehi está seguindo o Acampamento de Verão, ele cumpre seu Legado de Verão, enquanto o Legado de Inverno é dominante para aquele que segue o Acampamento de Inverno.

Depois de cada descrição do legado, estão a visão e o tabu desse Legado. A visão descreve como um personagem com esse legado recupera força de vontade. O Tabu destina-se a ser um guia para a interpretação e não tem consequências de regras. No entanto, se um jogador ignora continuamente o Tabu de seu personagem, o Narrador pode decidir impor penalidades, como não permitir a recuperação da Força de Vontade quando até que os requisitos do legado sejam atendidos.

Legados de verão

Os legados de verão correspondem aos legados Seelie. Um Nunnehi cujo legado de verão é dominante geralmente tem uma perspectiva mais calma e mais benevolente sobre os acontecimentos.

Chefe
Você é um líder nato e é seu destino fornecer orientação para aqueles que o seguem. Você é capaz de ver claramente o caminho mais sábio a seguir, caminhar na linha estreita entre o risco aceitável e as decisões impiedosas. Você se inspira na águia e no lobo, ambos líderes no mundo animal.
Visão: você recupera a força de vontade sempre que convence os outros a seguir o seu curso de ação escolhido ou quando você exerce a liderança de forma significativa.
Tabu: Nunca sega cegamente a liderança de outro.

Produtor
Você planta as sementes e espera pacientemente para vê-las crescer. Você sabe que as coisas levam tempo e tenta seguir os ritmos naturais. Você nutre seus amigos como se fossem uma semente, e sabe que todas as coisas — todas as pessoas — crescem e mudam. Você se inspira no milho nos campos, reconhecendo que você e todos os outros fazem parte do grande ciclo de crescimento e decadência.
Visão: Recupere força de vontade sempre que você vê um curso de ação até o final, ou quando você incentiva o crescimento nos outros.
Tabu: nunca comece com nada que você não consiga terminar.

Curandeiro
Você tem uma intuição quando se trata de doença e dor que aflige as pessoas, e você faz o que pode para aliviar o sofrimento. Você tem uma profunda compreensão das feridas espirituais e acredita que é possível ganhar mais com a cura do seu inimigo do que prejudicando-o. No entanto, você sabe que, algumas vezes, são necessárias medidas drásticas e que, em alguns casos, uma ferida deve ser cauterizada para que se cure. Você se inspira no urso, que alimenta seus filhotes com força e tolerância.
Visão: você recupera força de vontade sempre que trata uma ferida do corpo ou do espírito.
Tabu: jamais ignore a dor dos outros.

Caçador
Você acredita que a vida é uma caçada contínua — para alimentação, abrigo, conhecimento e significado. Você é o provedor consumado, usando suas habilidades e conhecimento para rastrear e atingir seus objetivos. Você segue a lei do caçador, nunca desperdiçando energia em uma trilha que não vale a pena. Você se inspira no leão da montanha e no falcão, carregando apenas o que precisa para sobreviver.
Visão: você recupera força de vontade sempre que você completa uma “caçada” bem sucedida, seja por comida ou algo menos tangível.
Tabu: nunca se posicione de bom grado em uma posição que o torne a presa.

Artesão
Você tem um grande talento para fazer e criar objetos úteis. Você vê o mundo ao seu redor como algo a ser moldado e transformado em algo novo — um toco de árvore é uma nova cadeira, uma pilha de lixo pode se tornar uma fonte útil de ferramentas ou uma escultura. Você prospera no ato da criação e sente-se inútil e insatisfeito quando não está criando. Você se inspira na formiga e no castor, que passam suas vidas construindo estruturas que perdurarão.
Visão: você recupera força de vontade sempre que usa suas habilidades para criar algo útil ou duradouro.
Tabu: nunca esteja ocioso e nunca atue como se uma situação não pudesse ser melhorada através de trabalho árduo e perseverança.

Explorador
Você tem o espírito de um explorador e acredita que é seu dever revelar o desconhecido e compartilhar o conhecimento de suas descobertas. Você está entusiasmado com os perigos do desconhecido, mas também sabe que às vezes é melhor permanecer um observador silencioso. Você se inspira na cobra e na raposa, que dependem do silêncio e da rapidez para sua sobrevivência.
Visão: você recupera a força de vontade sempre que explorar um novo território ou trouxer informações importantes.
Tabu: Nunca deixe passar uma oportunidade de ser o primeiro a descobrir algo novo.

Guia Espiritual
Você é um xamã de coração, se não de fato, e sente o mundo espiritual que existe ao nosso redor. A vida é uma jornada espiritual do nascimento à morte e além, sua tarefa é fornecer orientações sobre a jornada para os necessitados. Você frequentemente percorre os caminhos espirituais em busca de resposta para si mesmo e para os outros. Você se inspira no vento, que viaja livremente pelos mundos superior, médio e inferior.
Visão: você recupera força de vontade sempre que completar uma demanda espiritual ou sempre que servir como guia para o crescimento espiritual de outra pessoa.
Tabu: nunca ignore mensagens do mundo espiritual ou insulte conscientemente um espírito.

Contador de histórias
Você coleciona contos e histórias de onde extrai lições sobre como viver sua vida e conselhos para o outros em seus esforços. Você vê tudo como parte de uma grande saga que tem um começo, um meio — e algum dia — um fim. Sua maneira de perceber o universo às vezes o protege das duras realidades do mundo, mas também oferece ideias e perspectivas únicas que outros não têm. Você se inspira na terra, cujas pedras possuem a história do mundo.
Visão: você recupera força de vontade sempre que aprende uma nova história ou usa um conto para ajudar seus companheiros.
Tabu: nunca oculte seus conhecimentos.

Guerreiro
A vida é uma batalha a ganhar, e você está sempre preparado para lutar pelo que você valoriza. Você respeita a força e a coragem acima de todas as coisas, mas também reconhece a sabedoria de discernir quando atacar e quando recuar. Quando outros vierem a você por proteção, você jamais vai desistir. Você inspira no texugo, cuja tenacidade na batalha é lendária.
Visão: você recupera força de vontade sempre que sair vitorioso em um combate singular, ou sempre que uma de suas proezas alterar significativamente os rumos de uma batalha.
Tabu: Nunca retire de uma batalha justa, nunca ceda ao medo.

Sábio
O mundo está cheio de sabedoria e há algo para se aprender com todas as criaturas que cruzam o seu caminho. Você é um pensador e um professor e, embora às vezes você seja acusado de ser preguiçoso, sabe que muitas coisas podem ser aprendidas apenas ficando quieto e ouvindo os ritmos do mundo. Outros vêm a você por orientação e conselhos e você está sempre feliz em compartilhar sua sabedoria com eles.
Visão: você recupera força de vontade sempre que alguém segue seu conselho e se beneficia com isso.
Tabu: nunca recuse um pedido honesto de ajuda ou aconselhamento.

Legados de Inverno

Os legados de inverno correspondem aos da Corte Unseelie. Um Nunnehi que segue seu Legado de Inverno é frequentemente irritado e violento.

Canibal
Você é uma besta voraz, consumida por uma fome eterna que não pode ser saciada. Suas necessidades e desejos vêm antes de tudo e não há nada que você não fará para supri-las. Nada é abominável ou odioso demais para evitar que você tente satisfazer sua fome e seus desejos. Você se inspira no peixe que se sustenta comendo seus próprios filhotes.
Visão: você recupera a força de vontade sempre que obtiver a maior parte do ganho ou se beneficiar à custa dos outros.
Tabu: Nunca se contenha, nunca se restrinja.

Tolo
O mundo não passa de uma piada cruel. Não há nenhum sentido, nenhum significado oculto, e você se deleita em se divertir com aqueles que se apegam a falsas crenças de um propósito maior. Você gasta a maior parte do tempo procurando diversão e entretenimento, já que sacrifício ou trabalho árduo não fazem o menor sentido. Você se inspira no mosquito, cuja curta vida está cheia de explosão de atividade frenética acaba repentinamente sem qualquer sentido.
Visão: você recupera força de vontade sempre que você faz alguém ver a inutilidade de qualquer ação ou objetivo.
Tabu: Nunca tome nada ou qualquer pessoa a sério.

Língua bifurcada
Suas palavras raramente contêm toda a verdade, pois você aprendeu que a honestidade em palavras e ações geralmente não é o melhor caminho. Aprendeu que as pessoas estão mais felizes quando você lhes diz o que elas querem ouvir, e não a verdade. Você está sempre pronto para fazer promessas, mas ainda mais pronto para quebrá-las quando se tornam inconvenientes. Você se inspira na cobra, que pode escapar do aperto mais apertado.
Visão: você recupera força de vontade sempre que mente convincentemente para alguém para fazê-los sentir melhor ou para seu próprio ganho.
Tabu: nunca diga a verdade quando uma mentira ou a meia verdade o servirá melhor.

Acumulador
Você quer tudo, e você faz tudo o que estiver ao seu alcance para obtê-lo. Você acumula grandes quantidades de tudo o que você sente que você precisa — comida, riqueza, seguidores, Medicine — e a ideia de compartilhar até a menor porção de seu tesouro é abominável para você. Você se inspira no esquilo, que gasta seus dias reunindo comida para tempos difíceis.
Visão: você recupera a força de vontade sempre que seu instinto de acúmulo demonstrar valer a pena, especialmente se você estiver em meio à abundância enquanto outros estão mergulhados em miséria.
Tabu: Nunca se separe voluntariamente com qualquer parte daquilo que você acumula.

Solitário
Você virou as costas às pessoas e à sociedade e seguiu seu caminho. Você não deve nada a ninguém e não permite que ninguém lhe deva nada. Você pode cooperar com os outros por um tempo, mas apenas para sobrevivência, jamais por um bem maior. Você se inspira no lobo solitário, expulso do alcatéia, que escolheu sobreviver por conta própria.
Visão: você recupera força de vontade sempre que provar que não precisa de ninguém para sobreviver.
Tabu: nunca faça laços ou conexões permanentes com outras pessoas ou grupos.

Corsário
Você toma tudo o que quer e sem arrependimentos. Você gosta de uma boa luta, mas apenas se as cartas estão a seu favor e sua vitória já está garantida. Os fracos e desamparados são suas presas, afinal, por que trabalhar quando você pode simplesmente tomar o que deseja? Você se inspira na pega, que toma tudo o que lhe interessa.
Visão: você recupera a força de vontade sempre que você toma algo, ou realizar uma invasão bem-sucedida.
Tabu: nunca desperdice seu tempo fazendo um esforço “honesto”.

Colecionador de escalpos
Você foi injustiçado de alguma maneira e procura vingar-se daqueles que você considera os responsáveis. Você planeja tomar sua vingança com tanta ferocidade quanto às marcas que lhe foram impostas por quem lhe feriu. Você também procura obter uma relíquia física de sua vitória como lembrete permanente de suas ações. Você se inspira no lince, que brinca com as vítimas antes de matá-las.
Visão: você recupera força de vontade sempre que prejudica alguém que o prejudicou, ou sempre que você traz de volta provas físicas de que você realizou seu objetivo.
Tabu: Nunca deixe de se vangloriar de suas vitórias.

Encrenqueiro
Você causa problemas onde quer que você vá. Você só está contente quando está minando ativamente os esforços dos outros ou espalhando desavença. Você se inspira no gaio azul, cuja natureza briguenta o torna uma praga entre os pássaros.
Visão: recupere força de vontade sempre que você transforma uma situação pacífica em caos ou causa desavenças.
Tabu: nunca perca a oportunidade de se intrometer.

Bruxa
Você decifra segredos obscuros e conhecimentos proibidos. E aplica ansiosamente o seu conhecimento do Mundo Inferior para fazer negócios com espíritos malignos que promovam seus objetivos e aumentem seu poder. Você se inspira na coruja, que controla os poderes da escuridão e do silêncio a seu favor.
Visão: recupere força de vontade sempre que você usa suas habilidades ou artes para melhorar seu poder pessoal.
Tabu: Nunca faça nada por ninguém sem exigir um preço.

Legados da Meia-estação

Legados de meia-estação são únicos para o Nunnehi. Um Nunnehi em transição entre inverno ou verão geralmente gasta algum tempo seguindo um desses caminhos.

Trapaceiro
Você encarna o brincalhão, o bufão ou o tolo, mas sempre com um propósito. Você se diverte e promove jogos para derrubar barreiras e revelar ilusões — para desinflar aqueles que têm uma opinião muito alta sobre si mesmos. Você se inspira no corvo e no coiote, brincalhões do reino natural.
Visão: recupere Força de Vontade sempre que você mantiver no lugar outra pessoa se leva muito a sério, ou quando conseguir transforma uma ocasião solene em uma paródia.
Tabu: nunca deixe de encontrar o humor em qualquer situação, não importa o quão sombria.

Observador
Você permanece afastado da sociedade, apenas falando e interagindo com seus amigos e aliados mais próximos. Você fica livre de todos os envolvimentos e simplesmente observa, observando os movimentos e os ritmos do mundo ao seu redor e reunindo segredos. Muito pode ser aprendido de uma observação silenciosa — há muitos segredos a serem aprendidos. Você se inspira nas florestas do mundo: sempre presente e consciente do que acontece em torno deles, mas sem ser realmente notado.
Visão: recupere força de vontade sempre que evitar conflitos ou envolvimento ou quando você aprende algo importante observando discretamente.
Tabu: nunca se envolva diretamente em um conflito.

APRESENTAÇÃO | KITHS NUNNEHI | PECULIARIDADES NUNNEHI

Brasil na escuridão

Textos, artigos e material de jogo para o universo do Mundo das Trevas de RPG.

Brasil In The Darkness

Written by

Fanpage brasileira do universo clássico de RPG de Mesa, Mundo das Trevas (World of Darkness).

Brasil na escuridão

Textos, artigos e material de jogo para o universo do Mundo das Trevas de RPG.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade