Go to Medium Brasil
Medium Brasil
Letter sent on Aug 5, 2016

O porco, a pílula do dia seguinte e os piores tipos de pessoas

Por Diogo Gomes · em Revista Grafia · 4 min de leitura

“Aquela impressionante estrutura, cheia de conceitos newtonianos, tinha sido feita pelo pai de William, e servia pra pendurar os cem quilos do porco que agora urrava com a enorme cabeça apontada para o chão esperando o momento de sangrar e morrer.” (leia)


Minha história de gravidez ectópica e a verdade sobre pílula do dia seguinte.

Por Gigi · 8 min de leitura

Sim, amigues vamos falar de pílula do dia seguinte. Algo que ninguém conta: Pode acabar com a sua vida de várias maneiras.” (leia)

Leia isso antes de falar mal de Pokémon Go

Por Rodrigo Motta · 4 min de leitura

“Só quem não ganha nada com isso é você que fica aí reclamando.” (leia)


A medalha está logo ali

Por Cesar Cielo, campeão olímpico · em Medium do Esporte · 5 min de leitura

E minutos antes da final dos 50 m livre… O Brett olhou no meu olho e disse: ‘Vai lá e põe a mão na parede. O (Michael) Phelps ganhou por um centésimo (os 100m borboleta). Você vai querer perder por um centésimo? Está dentro de você, deixa sair. Todo mundo viu que você está mais rápido. Não fica pensando muito’. Foi o que eu fiz.” (leia)


O Rio de Janeiro dos Jogos da Exclusão

Por RIO2016 JOGOS DA EXCLUSÃO · 9 min de leitura

Uma cidade segregada e militarizada. É esse o legado das Olimpíadas no Rio de Janeiro.” (leia)

Rio 2016 — keep calm e festeja!

Por Alex Ellis, embaixador britânico no Brasil · 2 min de leitura

Nos próximos dias vai ser possível observar esses dois fenômenos no Rio de Janeiro; de ansiedade pública local e, ao mesmo tempo, tenho certeza, de um entusiasmo contagioso à cada dia que a abertura da Olimpíada fica mais próxima e os visitantes chegam à Cidade Maravilhosa.” (leia)

O dia em que Jesus voltou

Por Álisson Coelho · em Contos Azulejeros · 3 min de leitura

“Lembro com nitidez do dia em que Jesus voltou. Era um sábado pela manhã, lá pelos idos de noventa e bem poucos.” (leia)

Os piores tipos de pessoas possíveis

Por Camilla Feltrin · em Granada · 2 min de leitura

“Quem vai para a Ilha dos Prazeres é o pior tipo de gente possível, os neuróticos, macumbeiros, macartistas, esfarrapados, disponíveis, impossíveis, mancos, bruxos, devoradores, trogloditas, picaretas, enfermeiras, udenistas, pistoleiras, secretárias, empregadinhas, taxidermistas, beatos, naufrágas, ratos, peitudas, bundudas, astecas, débeis, grossas, pernas grossas, chatas, coxos, piranhas, duros, dedo duros, super débeis, aleijados e todos recalcados de São Paulo.” (leia)