Por que as pessoas odeiam seus empregos?

“Eu tenho o dom da voz, dado a mim por Deus. Sou um ex locutor de rádio que está passando por tempos difíceis. Por favor! Serei muito grato por qualquer ajuda. =D Obrigado”.

Eu saí mancando de uma reunião e disse, “com licença”. Peguei o elevador e desci 67 andares, fui até a Grand Central, manquei até em casa, e nunca mais voltei a trabalhar naquele emprego.

Nunca respondi às constantes ligações e e-mails durante o mês seguinte. “James, aonde você foi?”

Até onde sei, meu nome continua na porta do escritório e meu nome ainda está no website deles. Eu nunca chequei.

Eu apenas nunca mais tive vontade de voltar lá ou de falar com eles.

Alguns dias antes, eu havia discutido com o sócio-gerente sobre como eu seria pago se fechasse um grande negócio para a empresa. Ele sorriu e disse, “Confie em mim, James, eu sempre cuido de todo mundo.”

Quando alguém me diz “confie em mim” ou “eu vou te deixar rico”, é aí que eu sei que uma m***da generalizada vai acontecer.

A outra coisa que aconteceu me assustou. Estava indo com alguns dos meus “colegas” almoçar em uma porcaria de lanchonete que vende sanduíches em Wall Street. De repente, eu estava no chão. Tinha me estatelado sem nenhum motivo aparente. Eu manquei pelas próximas três semanas.

Assim, meu corpo também falou para eu me demitir. Eu tento ouvir meu corpo. Do contrário, eu não consigo dormir, fazer cocô, ou me mover adequadamente. Nesse caso, meu corpo não queria nem que eu andasse.

Sempre que as coisas vão bem, eu me preocupo pensando no que poderia dar errado.

E quando as coisas vão mal, sempre há a impressão de que nunca vão melhorar. Não se trata de depressão. É como o cérebro humano funciona depois de um milhão de anos evitando predadores.

Todo dia eu tento praticar formas de reverter essa situação. Faço isso escutando o corpo, a mente, mostrando gratidão, estando perto de pessoas positivas, dormindo muito, comendo bem.

Mas ter um emprego e ser controlado por Senhores acaba com essa prática.

Um novo estudo acaba de ser publicado. Diz que, pela primeira vez na história, mais de 50% das pessoas odeiam seus empregos.

O quê? Pela primeira vez na história? Duvido.

Alguém no Quora me perguntou: por que as pessoas odeiam seus empregos? Eu respondi:

Olha, nem todo mundo odeia o seu trabalho. Existem alguns "empreendedores-empregados" mundo afora que amam seus empregos. Mas, para os outros 98% da população:

- Os empregos são a escravidão moderna. Somos pagos apenas o suficiente para viver e nada mais. Você é punido se pedir mais.

– Sofremos constantemente assédio verbal no trabalho e aguentamos isso porque pensamos que é normal as pessoas gritarem conosco.

– O governo toma uns 50% do seu contracheque e 10–20% disso vai pra matar pessoas em outras partes do planeta, incluindo nossos próprios filhos.

– Somos iludidos a pensar que nossos colegas de trabalho são nossos verdadeiros amigos. Com eles, conversamos sobre canetas, genitálias e cubículos. Paramos de ter amigos de verdade.

– Há uma barreira discriminatória. Não importa se você é mulher, se você faz parte de uma minoria ou se é um homem branco. A barreira é que você não pode ganhar mais do que o seu Senhor, ainda que ele seja um idiota.

– Das 7 da manhã às 7 da noite, você estará A) indo ao trabalho, B) no trabalho ou C) voltando do trabalho. Logo, os momentos em que você pode ser mais criativo são compactados como lixo em seu cubículo.

– Você come merda no trabalho. E, ainda pior, você tem que cagar ao lado dos seus colegas de trabalho e dos seus Senhores. A não ser que, como eu, você faça um mapa de todos os banheiros secretos na mancha urbana local.

– Quando você fica paranoico com o seu trabalho, você provavelmente tem razão. ELES, de fato, estão falando de você e te apunhalando pelas costas agora mesmo.

– Você se dá conta do completo desperdício que foi gastar todo aquele dinheiro em diplomas para conseguir um emprego que lhe tornaria feliz. Você foi vítima de um golpe, mas não pode deixar que a próxima geração saiba o quão estúpido você foi. Aí então, você começa a perpetuar o esquema.

– Uma campanha de marketing de um trilhão de dólares lhe forçou a comprar uma casa que na realidade você não queria. Agora, você vai “perder a casa” que nunca foi sua de verdade se não se curvar aos seus Senhores todos os dias. As palavras “O Sonho Americano” foram cunhadas por Fannie Mae numa campanha de marketing 40 anos atrás para vender hipotecas a escravos.

– Sua esposa se cansa de ouvir sobre o seu trabalho depois de seis meses. E você não está nem aí para o trabalho dela. Dez anos depois você acorda ao lado de um completo estranho. Quarenta anos depois, você morre ao lado de um.

– Seu plano de previdência não foi feito para lhe sustentar na sua aposentadoria. Ele foi criado para tomar dinheiro de você todos os meses, para que você se mantenha acorrentado ao seu cubículo. Aí a inflação vem e toma 90% do plano.

– Quando você era criança, você gostava de desenhar, de escrever, de correr, de dar risada, de brincar, de imaginar um mundo mágico. Você nunca mais fará nada disso novamente.

– Depois de um tempo, todo mundo começa a ser demitido e substituído por versões mais jovens, mais baratas, mais temporárias, mais robóticas. Você enxerga isso, mas está amedrontado demais pra fazer algo.

– Você vê moradores de rua e pensa, “Graças a Deus não sou eu nessa situação”.

Isso não teve a intenção de ser deprimente. Nem significa que todo mundo odeie seus empregos. Existem várias maneiras de ser um “empreendedor-empregado” onde você não tem um trabalho padrão. Para ser exato: existem mais oportunidades do que nunca. Mas você deve preparar seu corpo, mente e espírito para encontrar essas oportunidades.

E aí você toma a pílula mágica e as lágrimas secas são enxugadas. Vem cá, meu bem, deixa eu te abraçar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luiz F. de Almeida’s story.