sobre os suicídios e os testes de personalidade

“Fiz hoje alguns testes de personalidade que encontrei no google, para tentar solucionar os mistérios de estar vivo — e ao mesmo tempo ser quem eu sou.”


ultimamente minha vida segue engraçada num tanto que não consigo verbalizar. eu tenho oscilações de humor, de fé e de amor próprio. vão dos menores possíveis aos mais altos em questão de minutos. talvez por estar evitando drogas de qualquer natureza, há três dias.

hoje foi mais um dia de piti.

tudo que eu buscava era silêncio e o silêncio é muito caro, principalmente quando se vive em periferias. pedir silencio talvez seja a minha maior expressão de egoísmo, e a que mais ofende as pessoas. mas o silencio é o estado de ser que eu mais valorizo e anseio.

por isso acho que tem muito humano no mundo que me vê como um suicida. mas meus suicídios são queridos. não fazem sujeira e não resultam em desesperos imediatos a terceiros. eram só pequenos atos que beiram o animalesco (no sentido mais humano da palavra). atos que não desejavam ser final, mas o contrário. era iniciar o ato de se sentir à beira do abismo; a vertigem. sentir para lembrar da vida. como se essas sentidas fizessem da vida mais válida. eu não estava errado. todos o fazem, das formas mais variadas.

o suicídio de fim não é possível para um como eu, já que me dou enorme valor. eu acredito muito em mim e nos meus métodos, mesmo eles sendo ineficazes, segundo a experiência. algo como ‘eu só sei do que eu não quero: tudo que conheço’ ou ‘eu sei que sou um gênio’. não há muito mais o que falar. essas duas frases representam bem quem sou, e os argumentos são visíveis, quero dizer, risíveis: eles não passam do meu rostinho bonito e de uma tentativa tímida, trêmula e gaga de minha fraca retórica e domínio verbal. mesmo assim, eu acredito que meus métodos me levem para o Olimpo da criação e do conhecimento.

o egoísmo nasceu em mim junto à personalidade num todo. eu sou filho homem único, filho de pais de idade avançada (para a norma) que já tinham uma menina, com dificuldades cognitivas, e um nome que não acho muito sonoro. morreu meses depois que eu apareci. era o fantasma da minha infância. a pessoa que não conheci e nem tenho certeza se existiu, mas que disputava comigo. não digo que fui negligenciado ou que não fui amado, se hoje eu estou aqui redigindo esse ensaio ególatra, é por que amor não me faltou. fui e sou mimado até hoje, a disputa era criação minha. um dos primeiros desafios íntimos que criei. digo que daí vem o meu medo do próximo. tenha extrema dificuldade em lidar com outras pessoas quando estou sóbrio, principalmente quando o assunto é comum. crio em mim muitas barreiras. insegurança física, intelectual, local. é maior que eu. todas elas aparecem quando sou aterrado pelo medo do próximo, que se aproxima ameaçadoramente, com suas garras, grunhidos e babas.

Mas meu lado tímido e inseguro não garantem a vantagem de também ser uma pessoa boa, que não julga, que entende e enxerga o próximo. eu realmente sou fechado numa bolha, onde todos os esteriótipos são distorcidos. tudo é distorcido. Na bolha, esse humano se torna monstro, monstro que clama por silencio.

aos 26 anos, sem emprego, com 3 cursos universitários incompletos no currículo, sem sair de casa hádias (pois me faltam até os trocados para a passagem), sem domínio e controle pela própria vida, numa tarde disfarçada de manhã de janeiro, eu resolvi tentar me entender para me ajudar. sou ainda daqueles que aprenderam que problemas psicológicos são frescuras para arrancar dinheiro de rico trouxa. nunca acreditei nisso, acredito nas psicoses. me ensinaram sobre deus, maria, duende, espíritos bons, jesus, simpatia, superstições, horóscopos e milagres, e nisso eu também não acreditei. diziam que problemas psicológicos eram falta de deus. diziam que não precisava ir a um psicólogo, precisava de jesus. talvez eles estejam certos, talvez por isso as igrejas investem tanto em comprar horários milionários nas televisões e rádios. eles investem muito para deus me ajudar. mas ainda não me convenceram. A psicologia e a psicanalise me convencem mais. como eu não tenho dinheiro nem para o dizimo, nem para a consulta, eu busco alternativas: auto analise na internet!

Fiz hoje alguns testes de personalidade que encontrei no google, para tentar solucionar os mistérios de estar vivo, e ao mesmo tempo ser eu. os resultado eu copio e colo. depois eu comento

o primeiro que fiz é o teste das cores, e ele foi surpreendentemente bom, apesar de rápido, simples e sem nenhuma palavra, resultou em algo compatível com meu auto julgamento:

luiz fernando
Como você opera, age, frente aos seus objetivos e desejos:
Procura sucesso. Quer superar obstáculos e oposição e tomar suas próprias decisões. Busca seus objetivos decididamente e com iniciativa. Não que sentir-se dependente da boa vontade de outros.
Suas preferências reais:
a não-realização de esperanças e a incapacidade de decidir sobre a medida corretiva necessária resultaram em considerável tensão.
É dócil e adaptável. Só está em paz quando intimamente ligado a uma pessoa, grupo ou organização em que possa confiar.
Sua situação real:
Egocêntrico; ofende-se, portanto, com facilidade.
Egocêntrico; portanto, ofende-se com facilidade, o que o deixa bastante isolado em suas ligações.
O que você quer evitar:
Interpretação fisiológica: Tensão resultante de restrição ou limitação desagradável. Interpretação psicológica: Resiste a qualquer forma de pressão dos outros e insiste na sua independência como individuo. Quer tomar resoluções sem interferência, tirar suas conclusões e chegar às suas próprias decisões. Detesta a monotonia e a mediocridade. Como quer ser considerado como alguém que dá opiniões abalizadas, acha difícil reconhecer que está errado, ao mesmo tempo que reluta em aceitar ou compreender o ponto de vista dos outros. Em suma: Exigência de independência e perfeição.
Seu problema real:
Precisa ser apreciado e respeitado como individuo excepcional para estimular seu amor-próprio e a sensação de valor pessoal. Resiste à mediocridade e impõe elevados padrões a si mesmo.

esse teste acerta meu problema real. tenho um desejo tão grande em ser um indivíduo excepcional que supera, em muito, a minha capacidade em ser um indivíduo excepcional. não sei como ele me chama de egocêntrico apenas pela seleção de cores numa ordem de preferência. deveria me ofender, mas a sincronia com a realidade me impede. sou puramente ególatra. me perdoe mundo, mas eu tenho amor por ser eu. então meu real real problema é a necessidade de ser apreciado e respeitado pelo simples fato de eu ser ególatra.


outro resultado bom foi da página 16personalities. Ele usa a classificação tipológica de myers briggs, criado por duas psicólogas a partir de teorias Junguianas, que classifica as pessoas em 16 tipos — assim me falou a internet. esse foi muito mais duro comigo que o anterior e eu não consigo senão concordar plenamente com o resultado. me deixa tão perplexo quanto o horóscopo para muitos do meu círculo:

Personalidade INFP
Personalidades INFP são geralmente percebidas como calmas, reservadas ou até mesmo tímidas. Entretanto, tal exterior pode ser enganoso — embora os INFPs sejam um tanto cautelosos, sua chama interior e paixão devem ser levadas a sério.
A compaixão dos INFPs pode ser realmente fervorosa e duradoura — mas eles irão fazer uso dela de forma cautelosa, direcionando sua energia para uma causa nobre. O idealismo é a bandeira das personalidades INFP — infelizmente, isto também significa que os INFPs podem se sentir incompreendidos, já que são bastante raros (somente 4% da população).
As pessoas com o tipo de personalidade INFP têm um senso claro de honra, que os inspira e motiva. INFPs buscam a harmonia em suas vidas e no ambiente ao seu redor, geralmente se sentindo deprimidos por causa de todas as coisas ruins que acontecem no mundo e se esforçando muito para criar algo positivo. Pessoas com este tipo de personalidade tendem a ver as coisas e ações de uma perspectiva idealista, ao invés da lógica. Eles respondem à beleza, moralidade, virtude em vez de utilidade, eficácia ou valor.
INFPs podem falar em metáforas e parábolas com facilidade, e eles também têm um talento extraordinário para criar e interpretar símbolos — por este motivo, os INFPs geralmente acham natural escrever e gostar de poesia. É provável também que um INFP goste de discussões filosóficas mais que qualquer outro tipo.
INFPs também podem se retirar com frequência para uma condição de “eremita”, se afastando do mundo e se perdendo em seus pensamentos profundos — seus parceiros podem ter que despender muito esforço para energizar e “despertar” o INFP.
Vale ressaltar que a aptidão dos INFPs para idiomas estrangeiros é ímpar. Eles geralmente se tornam grandes escritores e atores, sendo capazes de refletir com facilidade suas próprias personalidades utilizando personagens fictícios. INFPs são extremamente criativos, inovadores e focados — eles podem ser grandes defensores das causas em que acreditem.
Finalmente, a maioria dos INFPs tem a capacidade de perceber o menor sinal de bondade nas outras pessoas. Nos olhos de um INFP, mesmo a pessoa mais revoltante tem algo de valor, respeito, ou, no mínimo, compaixão.
Pontos Fortes de um INFP
Passional e energético.
Muito criativo.
Mente aberta e flexível.
Idealista.
Busca e valoriza a harmonia.
Pode ser muito dedicado e trabalhador
Pontos Fracos de um INFP
Demasiadamente altruísta.
Detesta lidar com dados.
Difícil de conhecer.
Leva as coisas para o lado pessoal.
Pode ser muito idealista.
Pouco prático.

o terceiro teste, da página a real me é igual ao segundo, também baseado na classificação de myers-briggs. mas o anterior tinha mais perguntas e mais possibilidades de respostas (já que as respostas possíveis eram medidas em escala gradual entre concordo plenamente e seu oposto). esse é de perguntas com duas respostas possíveis. em ambos, o resultado foi o mesmo, só o texto muda um pouco:

Filósofo — Vivendo no seu próprio mundo ideal.
Você é um idealista. Você é leal aos seus valores e às pessoas que lhe são importantes. Você espera que consiga viver em um mundo onde possa ser exatamente compatível aos seus valores. Além disso, você é muito curioso sobre o mundo em que vivemos. Você sempre consegue encontrar mais possibilidades em tudo e se move levando outras pessoas a fazerem seus ideais se tornarem reais. Você tenta entender outras pessoas e as ajuda a maximizar seus potenciais. Quando não há nada ameaçando seus valores, você é bem flexível e bom em aceitar os outros como são.
Celebridade INFP: J.K. Rowling — autora da série ‘Harry Potter’.

esse teste das 16 personalidades é bem interessante. eu me diverti tanto com ele que me esqueci do início do texto. fiquei um tanto perplexo pelo resultado do INFP. não me sinto tão genial ainda. parece que eu poderia ser genial, mas ainda não. a ideia de me conhecer para me recuperar dos últimos 26 anos da minha vida é bem desconfortável. não estou vendo com bons olhos. o teste me contou os meus medos burros íntimos. eu sei que tenho problema com o mundo prático, me dói muito fazer o que precisa ser feito. que evito qualquer tipo embate. tenho grandes problemas também na ideia do julgar o próximo. não julgo, segundo esses testes. essas minhas análises preconceituosas (sem conotação de crime de ódio, apenas o ato de preconceber um conceito a uma pessoa desconhecida, a partir de referência comum ou criação livre) são uma maneira de romantizar a vida.

sou um infp. sou um escorpião com ascendente em áries. sou um dragão. sou um número qualquer na numerologia. sou muita coisa. sou só mais um souza. sou Luiz Fernando de Souza. prazer!


Achou o texto relevante? Então clique no botão Recommend, logo abaixo. Fazendo isso, você ajuda esta história a ser encontrada por mais pessoas.