Talvez seja melhor você não ler este artigo em uma rede de WiFi pública

Chamamos um hacker para um café e, em vinte minutos, ele sabia onde todo mundo tinha nascido, quais escolas frequentaram, e as últimas cinco coisas que tinham pesquisado no Google.

Lucas Portilho
Nov 12, 2014 · 11 min read


Sessão 1:

Deixar todos conectarem à nossa conexão fajuta


Sessão 2:

Escaneando por nome, senhas e orientação sexual


Sessão 3:

Obtendo informações sobre profissões, hobbies e problemas de relacionamento


Senha Interceptada

Nós ainda fomos a outro café. Meu último pedido para Slotboom é para que me mostrasse o que ele poderia fazer se realmente quisesse me prejudicar. Ele me pediu para acessar o Live.com (o site de e-mail da Microsoft) e entrar com um usuário e senha aleatório. Alguns segundos depois, a informação que eu tinha digitado apareceu na sua tela. “Agora eu tenho detalhes da sua conta de e-mail”, Slotboom falou. “A primeira coisa que eu faria é alterar a senha da sua conta, usando a opção “Esqueci minha senha” para outros serviços. Muitas pessoas usam a mesma conta de e-mail para todos os serviços. E estas novas senhas serão enviadas para a sua caixa principal, o que significa que eu teria o que quisesse à minha disposição.” Fizemos o mesmo com o Facebook: Slotboom consegue interceptar o nome de login e a senha que digitei com relativa facilidade.




Medium Brasil

Traga suas histórias e ideias.

Thanks to Hilton Lima.

    Lucas Portilho

    Written by

    Bacharel em Jornalismo pelo Centro Universitário Estácio, fotógrafo, leitor, gamer, e amante de uma boa música. (Autor da arte na capa: Martin Doersch)

    Medium Brasil

    Traga suas histórias e ideias.