NBA — Semana 2: Os reencontros, a solidez do Barba e algumas marcas

Algumas atuações individuais absurdas já deram uma acalmada, e o destaque ficou no reencontro entre Russell Westbrook e Kevin Durant

Em uma das partidas mais esperadas da temporada, Durant levou a melhor no reencontro com o OKC (Flickr/Keith Alisson)

Passa-se mais uma semana de jogos na NBA. Se por um lado continua cedo para cravar resultados e apostas, cada vez mais se solidificam as equipes que buscarão as posições altas nos playoffs. Bem como jogadores que tiraram essa semana para destacar seu jogo. Vamos dar olhada no que aconteceu desde o dia 29?

Os tão esperados reencontros

A intertemporada foi movimentadíssima, e deixou algo que pudéssemos nos deleitar. A saída de muitos ídolos recentes para outros times abriu espaço para esse fenômeno de “confrontar seu antigo time”. E nos últimos dois dias, 3 e 4, tivemos dois desses confrontos.

Ontem, na boa vitória do New York Knicks sobre o Chicago Bulls por 117 a 104, vimos Derrick Rose voltar ao ginásio no qual jogou as outras 7 temporadas de sua carreira. O armador fez uma ótima partida e até deu aqueles famosos lampejos (que só servem pra massagear nossa memória) sendo bastante agressivo indo pra cesta, terminando com 15 pontos, 11 assistências e 7 rebotes.

as o esperado mesmo era a treta da foto de capa desse texto. Muita mística, muita teoria conspiratória e muitos xingamentos virtuais entre torcedores do Golden State Warriors e Oklahoma City Thunder. Para melhorar ainda mais o clima Russell Westbrook entrou no ginásio com um colete escrito “Fotógrafo oficial”, pois o hobby de Kevin Durant é adivinhem qual… fotografia (parece até briguinha de facebook com indiretinha, quem não gosta, né?).

Resultado de tudo isso, não apenas Durant, mas o time inteiro do GSW macetou o OKC. Obviamente que o ex-ala do Thunder foi o mais empolgado, meteu 39 pontos, sendo 7 bolas de três de 11 tentadas (melhor aproveitamento da carreira dele em uma partida). Enquanto Westbrook conteve-se em 20 pontos e 10 assistências, mas descontou toda a sua raiva nessa B-E-L-E-Z-U-R-A de toco em KD.

Além disso tivemos o momento de discussão entre Enes Kanter e Durant, tudo apenas para nos deixar ansiosos para o próximo confronto dia 18 de Janeiro, e, principalmente, na peleja do dia 11 de Fevereiro que será em Oklahoma.

Mais alguns almejando o MVP

Anthony Davis deu uma diminuída de ritmo, o prórprio westbrook deu uma pausa na listinha de absurdos, e mesmo Kawhi Leonard deu uma segurada nos jogos dessa semana.

Se fosse necessário escolher um jogador para destacar nessa semana, com certeza seria James Harden. O barba parece ter ido no mesmo instrutor de yoga que Dwight Howard. Depois de um ano de baixa na temporada passada, sendo que na retrasada foi até dito por muitos como merecedor do prêmio de MVP, ele está de volta a boa forma.

Agora atuando como armador, o Barba está ciente do jogo coletivo e, pasmem, parece até estar se preocupando com seus erros. É verdade que sua média de turnovers nessa semana foi de 4 por partida, mas é algo até esperado por sua nova responsabilidade de também achar seus companheiros em boas posições. Ainda sim, podemos destacar seu jogo na derrota para o Cleveland Cavaliers, quando fez 41 pontos, 15 assistências e 7 rebotes, cometendo apenas 1 turnover. Pois é, Harden também é o líder em assistências da liga com ótimos 12.4 por partida.

Além dele temos o absurdo Demar Derozan. O ala-armador do Toronto Raptors começou a temporada no 220 e ainda não deu sinais de diminuir. Ontem ele fez seu 5º jogo seguido com mais de 30 pontos, a melhor marca nessa linha, desde que Michael Jordan o fez nos 6 primeiros jogos da temporada 1986/87. Ele também lidera a liga em pontos por jogo com absurdos 35.8.

Mais alguns destaques

A tabela já começa a tomar um formato do que podemos esperar mais pra frente. Os mais soberanos como Cavaliers e Spurs seguem nas primeiras posições, enquanto, mais especificamente na conferência Leste, algumas equipes surpresa como Charlotte Hornets que está com 4 vitórias e 1 derrota, devem cair de rendimento, assim que enfrentarem oponentes mais sólidos.

Dito isso, um time que levantava bastante dúvida, mas que está mandando bem é o Bulls. Apesar das duas derrotas seguidas nas últimas partidas, o time parece muito bem sincronizado e qualquer temor por uma briga de egos entre os touros alfa, está ficando de lado. Dwyane Wade, Rajon Rondo e Jimmy Butler, casaram muito bem. Wade joga e aprende como se tivesse 20 anos, Rondo parece ter recuperado a competitividade que não se via desde seus tempos de Boston Celtics, e Butler… bem, o cara é o protagonista do time!

D-Wade já matou mais bolas de três nesses 5 primeiros jogos (10), do que na temporada passada inteira (7). Rondo mantém suas atenções na criação de jogadas e na defesa, sem os riscos que tomava em Sacramento. E Butler é foco ofensivo do time, o jogador que define as jogadas mantendo boas médias 22.2 pontos e 6.4 rebotes.

Duas marcas bacanas também foram estabelecidas (ou encerradas no caso de uma delas). Chris Paul se tornou o líder em assistências na história do Los Angeles Clippers, com 3.499, passando Randy Smith. A outra foi de Stephen Curry, na derrota por 117 a 97 para o Los Angeles Lakers, que finalmente passou um jogo sem matar uma bola de três, interrompendo uma série de 157 partidas seguidas matando triplos.