Prévia das semis: Cleveland Cavaliers vs Toronto Raptors

Na reedição da final da conferência do ano passado, o confronto pode ser bem mais equilibrado

DeRozan em boa forma desde o início será crucial para o Raptors ter chance de sobreviver a série (Ilustração: Felipe Haguehara/Buzzer Beater)

Há, praticamente, um ano atrás, nas finais da conferência Leste um Cleveland Cavaliers absurdo e sedento por vingança pelo confronto com o Golden State Warriors na edição anterior enfrentou um eficiente e, pelo que se esperava, único oponente capaz de desafiá-los, o Toronto Raptors. A franquia canadense até fez frente a um time que varreu seus dois adversários, aproveitou dois dos jogos em casa, mas no fim não deu para segurar LeBron James em seu “modo playoffs”, e a série acabou em 4 a 2.

Na temporada atual a situação é um pouco diferente. O Cleveland não conseguiu se manter no topo durante a temporada regular, terminou em 2º lugar, empatado em número de vitórias, justamente, com o Raptors, 53 no total. No primeiro round, o Cavs varreu Paul George e o Indiana Pacers. Enquanto o Toronto encontrou uma pedra chamada Giannis Antetokounmpo que conseguiu duas vitórias para o Milwaukee Bucks, as duas estrelas do backcourt do 3º colocado demoraram para pegar ritmo, mas quando pegaram, venceram as últimas três partidas da série. Agora o assunto é nas semis que começam hoje.

Duelo chave: LeBron James vs DeMar DeRozan

Esses dois homens com primeiros nomes contendo duas letras maiúsculas são dois dos melhores pontuadores da liga. James e DeMar DeRozan fizeram 26.4 e 27.3 pontos por jogo na temporada regular, respectivamente. São os 8º e 5º melhores desempenhos da liga nessa estatística, e uma prova simples da importância deles como protagonistas para que seus times ganhem.

Jogar contra um Hall of Famer nunca é fácil (Foto: Ian D’Andrea/Flickr)

Ambos são necessidades viciosas em suas equipes, principalmente na parte ofensiva. LeBron é all concur sobre suas capacidades. As médias do cara na temporada regular, além da pontuação, são de 8.7 assistências e 8.6 rebotes, um dos melhores jogadores all-rounds da história (talvez o melhor). Na série contra o Pacers foi melhor ainda, 32.8 pontos, 9.8 rebotes e 9 assistências, sem ele o Cavs perde muito poderio em qualquer setor da quadra.

Naturalmente que a qualidade e necessidade de King James em sua franquia se estendem para as estatísticas mais avançadas. Com o ala em quadra o Cleveland tende a fazer 118.4 pontos a cada 100 posses de bola, enquanto sem ele o número cai drasticamente para 103.7. E na defesa não é tão diferente, com James em quadra eles tendem a sofrer 110 pontos a cada 100 posses, e sem ele 112.3, a diferença não é tão absurda quanto no ataque, mas ainda é presente.

Agora, sabe esse negócio de “Playoff Mode” dele? Colocando em números também é verdade, a dependência do Cavaliers de tê-lo em quadra cresce. Novamente na série contra Indiana, o Cleveland fez mais pontos por 100 posses do que sua média na temporada regular, 120.6, enquanto faz 110.5 sem ele, uma queda menos brusca. Porém na defesa, a importância de James aumenta bastante, o time sofre 112.4 pontos a cada 100 posses com ele em quadra, contra incríveis 150 pontos sem ele!

No caso de DeRozan a equação é um pouco mais simples. Sua presença significa bem pouco para o coletivo na defesa. O ala-armador é um caso de “ele é tão bom no ataque que vale a pena confiar a defesa ao resto”. Como já dito, ele teve a 5ª melhor média de pontos da temporada regular, um verdadeiro monstro com a bola na mão. Além disso ele foi o 3º jogador com maior porcentagem em uso nas jogadas quando em quadra na temporada regular, também, com 34.3%. LeBron até está no top 15 nesse quesito, mas divide porcentagem semelhante ao resto de seu big trio.

Com Derozan em quadra o Raptors tende a fazer 112.8 pontos a cada 100 posses, enquanto sem ele faz 111.9. A diferença não é lá tão grande, tanto quanto com a estrela do adversário, mas considerando que o impacto de DeRozan é primordialmente ofensivo, é preciso considerar que o time perde um top 5 pontuador.

Nos números gerais até agora nos playoffs, na série contra Bucks, os números do ala-armador estão consideravelmente baixos. Porém, se pegarmos as 3 últimas partidas, nas quais o Toronto realmente jogou o jogo de Dwane Casey, fica nítida a necessidade por DeRozan. Nessa série de três vitórias seguidas ele voltou à sua forma, fez 27.7 pontos por jogo, e mostrou que a equipe é outra com ele em boa forma. Nessas três partidas, o número de pontos por 10 posses do Raptors com ele em quadra foi 110.6, enquanto sem ele foram esquecíveis 95.7.

Os confrontos

E as franquias colocando frente à frente na temporada, quem leva a melhor? Como é de se esperar o Cleveland Cavaliers tem a vantagem da temporada regular. Foram quatro partidas disputadas, sendo três vitórias para os atuais campeões contra apenas uma para o Toronto Raptors. Deve-se pontuar também que a única vitória na temporada dos canadenses foi no último jogo, o 82º, no qual Cleveland não colocou seus titulares e Toronto deixou os seus pouquíssimo tempo em quadra.

Porém, é necessário relevar que nenhuma das vitórias foram surras, muito pelo contrário, foram jogos bastante próximos de pontuação. Todos ocorreram dentro dos primeiros 20 jogos da atual temporada: 94 a 91 no primeiro; 121 a 117 no segundo; e 116 a 112 no terceiro.

Nesses playoffs o big three de Cleveland está sincronizado! (Foto: Erik Drost/Flickr)

Vamos aos números de quando os times se enfrentaram com força total. Foram 110.3 pontos de Cleveland contra 106.7 do Raptors, incluindo um jogo em que o big trio do primeiro somou 86 pontos! Além disso o Cavs superou Toronto em rebotes e assistências por jogo, 44.7 contra 41.3 e 22.3 contra 19.3, respectivamente. Mas, que se coloque na balança que DeRozan e Kyle Lowry não sumiram nesses confrontos, o ala-armador teve 29.7 pontos nessas partidas e o armador 23 pontos e 7.3 assistências!

Para refrescar bem a memória, o que é importante, devemos lembrar que Serge Ibaka ainda não havia sido adquirido pelos canadenses. Ou seja, estamos falando de um time bem mais forte do que no começo da temporada e, inclusive, bem mais forte do que ano passado, contando com rookies e sophomores que evoluíram.

Palpite: Não foi uma temporada regular tão desigual quanto no ano passado, sendo que o Cleveland até perdeu seu trono como 1ª seed da conferência. Porém, não há como não apostar no Cavs como favorito a passar para às finais do Leste. Mas com o histórico de disputas apertadas da temporada regular, tem tudo pra ser uma baita série.