O Grande Furo: a comédia do jornalismo

Por Cinthia Cardoso

Com roteiro e direção de Woody Allen, o filme O Grande Furo (Scoop, do original em inglês) tem o jornalismo como assunto principal. A trama começa com o velório do repórter Joe Strombel (Ian McShane) e sua chegada à barca da morte. No mais improvável dos locais para uma apuração jornalística acontecer, Strombel descobre que o aristocrata Peter Lyman (Hugh Jackman) era o tão procurado “assassino do tarô”. Eis o grande furo de reportagem que sempre sonhou — em vida.

O desejo de Strombel levar a história até o fim fez com que o espírito dele fosse incorporado na estudante de jornalismo Sondra Pransky, interpretada por Scarlett Jonhansson. O repórter passa as informações do caso para a jovem e a adverte antes de produzir a reportagem: “Só acuse com provas”. E o trabalho da aspirante seria o de encontrar essas provas e documentá-las o mais rápido possível para revelar o furo.

Strombel é um repórter experiente, o oposto da personagem de Scarlett. Ela é uma estudante atrapalhada, que fala muito quando está nervosa e se envolve tanto com a fonte a ponto de perder o principal: a entrevista. Há uma dose de exagero nessa construção da personagem. Percebe-se a intenção do diretor de colocar a beleza da atriz em segundo plano, mas a forma com que Sondra se veste, atrapalha-se com cadernos, com os óculos e com as próprias ideias a faz parecer caricata e pouco verossímil.

Para acompanhar a busca da universitária pelas provas está o mágico Sidney Waterman, interpretado por Woody Allen. Ele é um senhor que faz graça na maior parte do tempo: com seus truques de mágica, seus comentários inapropriados para o momento, suas falas repetidas e atravancadas. Sidney dá o tom da comédia e se encaixa perfeitamente com a trilha sonora instrumental bem alegre — mas, importar alertar, em alguns momentos a trama fica cansativa.

O filme é leve e se baseia em esclarecer a questão: “De onde veio a informação e como prová-la?” Depois das pesquisas e da aproximação dos personagens com o suspeito, as respostas vão aparecendo e encaixando o quebra-cabeças. A comédia também conta com uma pitada de suspense, que quebra as piadas do enredo e prende a atenção do telespectador.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.