Bárbara Rossalli
Aug 10, 2016 · 2 min read

Eu nunca dei muita atenção pra essa palavra. Mas de um tempo pra cá ela tem ficado evidente e percebi que sempre ansiei por ela, só não sabia isso.

Confesso, que no começo, quando lia matérias sobre o assunto, levantando essa bandeira o mesmo pensamento me vinha “Legal, mas não é pra tanto né?”.

Então dia desses me aconteceu algo que me fez mudar esse pensamento automático e pré fabricado:

Estava eu navegando pela internet quando me me deparo com esse link aqui:

Eu fiquei super empolgada e já iniciei a minha powerpuffzação. Aí eu cheguei na parte do cabelo.

Rolei a primeira fileira. Oito modelos de cabelo, nenhum igual ao meu. Fui pra próxima fileira, mesma coisa. Já sem esperança e com a empolgação indo pelo ralo fui pra terceira fileira de opção e.. mesma coisa.

Pensei: “Já era de se imaginar”. Já tinha passado por isso em outros geradores desse tipo. Meus cabelos cacheados e volumosos nunca tinha vez.

Mas como todas as vezes resolvi rolar até o final das opções tentando achar o que mais se aproximasse de mim.

E lá na quarta fileira, primeira opção estava ele!

A empolgação voltou e eu terminei meu powerpuff avatar.

No final, uma palavra me martelava a cabeça: “Representatividade”.

Um dos meus livros favoritos sempre foi História Sem Fim; Bastian, o personagem principal, é um garoto gordinho e que ama ler livros, assim como eu.

Meu personagem favorito de Harry Potter? Hermione Granger, a garota cdf e de cabelos cacheados (como eu).

É da natureza humana isso. Buscamos constantemente nossa auto-afirmação e identificação com outras pessoas . Isso aumenta nossa auto-estima e nos dá força de seguir em frente em um mundo cruel com as diferenças.

Porque Power Rangers sempre fez sucesso entre a molecada? Representatividade!

Em 2008, quanto eu tinha 17 anos, estava assistindo as Olimpíadas de Pequim e vi a taekwondista Natália Falavigna lutando e ganhando bronze pelo Brasil. Me apaixonei pelo esporte naquele momento. Em 2012 comecei a praticar e continuo até hoje.

É por isso que a representatividade importa. Quando você encontra um personagem, um atleta, um político, um artista ou seja o que for; parecido com você de algum modo e fazendo algo que te faz brilhar os olhos ou que você considera incrível, você se sentirá motivado a assumir o que você é e fazer algo incrível também.

É nesse momento que nós paramos de aceitar que somente a história do outro seja contada e começamos a escrever a nossa.

Cabeça Elétrica, Coração Acústico

Pensei o quão desconfortável é ser trancado do lado de fora. Mas depois pensei o quão pior é ser trancado do lado de dentro. Por isso resolvi escrever.

Bárbara Rossalli

Written by

Pensei o quão desconfortável é ser trancado do lado de fora. Mas depois pensei o quão pior é ser trancado do lado de dentro. Por isso resolvi escrever.

Cabeça Elétrica, Coração Acústico

Pensei o quão desconfortável é ser trancado do lado de fora. Mas depois pensei o quão pior é ser trancado do lado de dentro. Por isso resolvi escrever.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade