A importância de se sentir burro

Por que escapar da ditadura da diversão e sentar a bunda na cadeira de vez em quando pode ser bom para você


por Danilo Leonardi

É muito gostoso ler livros que reforçam aquilo que a gente já sabe, escritos com palavras que a gente já conhece e de maneira simples, pra gente se sentir satisfeito com a velocidade da leitura.

Mas e se eu falasse que estamos perdendo algo muito importante, se nunca formos além? Estou falando da importância de se sentir burro.

Mais do que nunca vivemos sob a ditadura da diversão. Tem que ensinar divertindo, aprender precisa ser gostoso. E de fato, quando a gente consegue aprender algo novo, é muito recompensador. Só que o processo, nem tanto.

Pense no seguinte exemplo: você abre um livro, lê a frase e não entende. Isso traz uma carga negativa, porque faz com que você se sinta burro.

Como assim, eu que já li tantos livros, não consigo entender uma frase?

Pode ser que você precise do dicionário pra pegar uma palavra nova, ou pode ser que você tenha apenas que forçar o cérebro pra entender uma estrutura que você não está acostumado a ler. De qualquer forma, dá pra sacar que o processo de aprendizagem é frustrante e doloroso.


Por que nos dedicamos a aprender algumas coisas, mas outras não?


Aprender a jogar um novo jogo de computador nem sempre é fácil, também. Certa vez comecei a jogar League of Legends, e vou admitir: o processo foi muito frustrante. Eu tentava fazer alguma coisa, mas logo morria. Às vezes não conseguia nem entender como eu estava morrendo.

Mesmo assim, vários jogos difíceis são aprendidos e jogados por diversas pessoas voluntariamente. Quando se aprende a jogar, é recompensador, mas o processo é doloroso, igual a quando a gente pega um livro mais complexo.

Sentir-se burro, nesse contexto, é muito importante, porque é esse sentimento que vai te levar além, para um lugar mais confortável no qual você poderá aprender outras coisas, já consciente de que não é uma tarefa impossível de ser realizada.

Então por que é que quando alguém se sente burro lendo um livro, a probabilidade de desistir dele é muito maior do que a de alguém desistir de aprender um novo jogo que produz o mesmo efeito? Por causa da nossa cultura.

Jogos são muito populares. Você sabe que existem vários amigos e conhecidos jogando aquele jogo, e eles são tão bons nisso, e estão se divertindo tanto agora que eles já sabem jogar. E são tantos. Se eles conseguem, eu consigo também.

Eu me recuso a ser burro assim pra sempre.

Já no caso do livro, muito menos gente vai atrás de livros difíceis, porque não é uma atividade tão popular. Felizmente, cada vez mais as pessoas estão investindo em livros como entretenimento. Para muitas pessoas, ler Harry Potter é mais divertido mesmo do que jogar um jogo. Só que não podemos parar por aí.


Qual a função da literatura?


A principal função da literatura é transmitir empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro. E os melhores livros que vão fazer isso são livros que vão desafiar a sua moral, o seu intelecto, o seu conhecimento.

E com essa base de comparação, você pode aumentar seu senso crítico, que vai te ajudar inclusive a selecionar melhor suas próximas leituras, e a entender qual o objetivo do livro que você está lendo. Uma pessoa não pode pensar por si mesma se não entender primeiro o que é que os outros querem que ela pense e por quê.

E por mais que aumentar o seu senso crítico possa fazer com que você goste de menos livros do que antes, pode ter certeza que o prazer e a diversão que você vai alcançar quando gostar de um novo livro vai ser muito maior, porque você vai começar a entender o motivo.

Então se você realmente gosta de livros, leia esta mensagem com carinho e tente levar algo consigo, porque não precisamos apenas de mais livros, mas precisamos de mais livros bons, e de bons leitores pra acompanhá-los.

Você também pode conferir esta opinião em vídeo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.