Jouer Couture: Pensamento em movimento.

A Jouer Couture é uma marca de roupas formada por duas mulheres, a Mari e a Carol. Conhecemos as meninas há algum tempo atrás, quando percebemos que a proposta da Jouer era muito atrelada às coisas que sentíamos em relação ao consumo de moda e em geral.

A marca acredita em um novo jeito de consumir. As coleções são reduzidas e o questionamento do porque de cada peça, é constante. Afinal, qual a real necessidade de uma peça no nosso guarda-roupa e na nossa vida?

“Afinal, quais são as nossas motivações quanto a moda? Elas valem os danos que causam? Para nós, não. Empreendemos de forma saudável, com foco na qualidade em vez da quantidade”.

A preocupação por uma moda mais sustentável é um assunto recorrente nos últimos anos. Mas a forma de tornar essa sustentabilidade real é pouquíssimo atingida. Até porque, isso tem que permear várias partes da cadeia e não só a produção de roupa em si. Por exemplo, o tempo de confecção de uma peça deve ser respeitado, as pessoas envolvidas nisso, os materiais, o cliente, o descarte, etc.

A Jouer enxerga a moda como uma plataforma de transformação. Afinal, a economia solidária deve ser alimentada, os preços devem ser justos e transparentes e os fornecedores devem ser tratados com honestidade.

As peças são produzidas por oficinas locais. Uma das principais parceiras é a Pano Pra Manga projeto social de capacitação profissional viabilizado pela ONG Design Possível).

É muito bonito que a marca assuma a responsabilidade de dividir, trocar e divulgar questões pertinentes a ética que permeia o universo. Seria incoerente que em todo seu discurso, não houvesse práticas concretas de troca. Por isso elas criaram o “Off Fashion”, que é um evento com rodas de bate-papo com pessoas interessadas em empreender e consumir de um jeito saudável e sustentável. Cada edição tem um tema diferente com vários profissionais de diferentes áreas conectadas ao tema da edição.

Recentemente, elas realizaram um desfile na Brasil Eco Fashion Week, a primeira semana de moda sustentável do Brasil. O nome era “Comigo Ninguém Pode” e trabalhava as re (conexões).

(Foto: Divulgação)

O release foi escrito em forma de poesia pela Carol, uma das donas da marca:

“Vida corre pra lá e pra cá,
procura pelo que não chega,
espera. Esperar?

Correr para ter mais, para ter e
não ser. Corre e desconecta,
conecta na pressa, não há
solidez.

Valor da construção, da verdade,
Esquece o imediato, significa,
resignifica, caminhar lado a lado
com a calma.

Ritmo natural, respeito ao tempo,
início. Processa, desacelera,
identifica, sente, respira.

Pausa.

Amor, agradecimento, sintonia.

Raízes, proteção, pensamento em
movimento. Eu, você, nós,
horizonte”.

Longe de qualquer incongruência, a marca formada por duas mulheres que levam seus conceitos da Jouer para a vida. Tenha uma conversa de cinco minutos com a Mari e a Carol e você perceberá o “amor, agradecimento e sintonia”.

(Foto: Divulgação)

“A Jouer Couture é uma marca independente, ligada a movimentos de arte, moda, fotografia e música, tanto no Brasil quanto no resto do mundo. Toda essa inspiração é parte do nosso processo criativo, garantindo que o conceito de cada coleção seja leve e, ao mesmo tempo, inovador”.