Dessa vez teremos nosso primeiro guest post, um excelente textão concebido pela amiga Juliana Akemi Segawa para inaugurar nossa seção Cacau Livre. Aproveitem, depois que acabarem deixem seus comentários e compartilhem.

Sei que não é meu aniversário, mas não é necessario uma hora exata para comemorar minhas conquistas e não, não estou falando sobre bens materiais.

Aviso aos navegantes, lá vem textão. Segue:

sempre me peguei questionando muitas coisas, que as pessoas sempre me diziam que aquilo é o que tinha que ser, que acontece isso a milhares de anos e que questionar não iria adiantar, bem vejamos… agora eu cresci, tenho meus 28 anos de idade, não que eu me importe com a idade, mas para quem conta o tempo desse jeito essa é a minha idade. Mas me questiono, se essa noção de tempo que temos é uma verdade. Mas, isso é outra discussão.

Estou aqui, tentando passar algum tipo de conhecimento que adquiri nesses últimos anos, para quem assim como eu, nasceu questionando.

Para quem não sabe, eu já nasci uma criança que não queria mamar o leite da minha mãe, eu virava o rosto toda vez que minha mãe tentava me amamentar. E daí? Né? Pois é, explico, sou uma pessoinha que questiona tudo, todos, o tempo todo, 24 horas por dia. Salvo o episódio, que eu com meus 12 anos mais ou menos, implorei para a minha mãe, por favor me ajudar, pois eu não queria ser mãe nunca, na verdade foi bem mais pesado, eu falei para minha mãe que eu queria tirar o meu útero. Mas não falarei sobre isso agora. Agora se você for analisar minha vida e minhas atitudes desde então, sigo quebrando padrões desde 1988.

Assim segui crescendo, sendo considerada por muitos uma pessoa difícil de se lidar, pois é assim, que um outro ser humano classifica o que é diferente dele mesmo.

Dentre os meus principais questionamentos é sobre essa história de família perfeita, que é por isso que estamos fazendo tudo.
Nunca me desceu essa história de noivado, casamento, filhos, casa própria, sucesso financeiro, crença cega por um Deus que é humano.

Peraí, não tem como um humano ser perfeito, logo, Deus não existe. Cacete! Isso soou quase que uma música para meus ouvidos. Calma, não me odeiem! Eu respeito a crença de vocês e assim espero o mesmo de vocês, que me respeitem por ser diferente de você.

Questionei esse modelo de família tradicional brasileira perfeita, fotos no facebook de pessoas extremamente felizes, eventos sociais obrigatórios para fazer pose para uma família que nem lembra meu nome, ou melhor, não sabe de quem eu sou filha. Cara, na boa, eu vim em um evento que eu nem queria estar, e preciso ficar dizendo quem eu sou. Não, meu lugar não é aqui.

Que mulher é criada para lavar e passar e ser uma boa esposa, sempre arrumada e pronta para a família. E eu me questionei: “e que horas que essa mulher do lar se diverte? Vai para a balada, enche o cu de cachaça, sai com os amigos, chega tarde da noite?” Ah! Ela não pode, segundo a sociedade, ela não pode fazer isso! Eu pensei: “tem algo de muito errado nesse carayo de lugar”.

Pois bem, estou aqui completamente diferente do que eu era a 6 anos atrás, e por ter questionado tanto, aprendi muita coisa, procurei me informar sobre muitos assuntos considerado tabus pela nossa sociedade e continuo questionando.

Já fui tachada de louca por simplesmente mostrar quem eu sou de verdade, sem máscaras, uma mulher não recatada e do BAR.

Gosto de me divertir, amo tecnologia, amo trabalhar com tecnologia, amo ciencias exatas, nunca gostei de rosa e sim de todas as cores. Nunca sonhei em casar, nunca sonhei em ser mãe. Tenho muitos amigos homens queridos que não, não são meus amigos porque querem me pegar e sim, homem e mulher podem ser amigos. Tenho muitas amigas maravilhosas, unidas que eu conto tudo e compartilho minha vida, porque sim eu sei que elas me querem bem e não, não somos competitivas, não somos invejosas, não fomos criadas para competir umas contra as outras, mas sim se unir, cada vez mais e mais.

Falando nesse assunto, aproveito para me desculpar com todas as mulheres que eu ofendi no passado, sem ao menos perceber o porque eu estava fazendo isso, não, não é isso que eu acredito, se você foi uma mulher que ofendi, me desculpe. Me chama inbox e vamos conversar, tomar uma cerveja, por que não? :)

Percebi que relacionamentos acabam porque as pessoas nãoestão alinhadas, não desconstruiram as mesmas coisas ao mesmo tempo e sim, isso acontece, por que não? Acontece com relacionamentos amorosos e de amizade o tempo todo. Relacionamentos podem sim acabar em uma grande amizade, uma grande parceria, por que não?

Agora, chega de textão e vou resumir: questione tudo o que está em sua volta, questione o porque você está fazendo isso, de onde veio essa vontade, as vezes nem é sua, é uma vontade imposta por alguém e que você não precisa seguir, você pode simplesmente fazer o que você quer! Sim, faça o que você quiser, você tem total controle da sua vida. Isso vai tirar um peso das suas costas e você vai ser muito mais sincero com você mesmo. Bora desconstruir? Só me chamar!


Originally published at life-box-of-chocolates.tumblr.com.