STF decide manter delação da JBS. Por enquanto


À primeira vista, a notícia é boa para a Lava Jato e para a JBS. Por 7 votos a 0, o Supremo Tribunal Federal tomou duas decisões, ontem. A primeira foi manter na relatoria do processo iniciado com a delação da JBS o ministro Edson Fachin. Advogados diziam que, como o caso não faz parte da Lava Jato, tinha de ir para outro. Os ministros que votaram até agora acharam que não: são casos conexos, ficam juntos. Os defensores também buscavam tirar do relator o poder de homologar as delações premiadas. Deveria ser o plenário do STF que decide se o acordo estabelecido entre delator e Ministério Público vale. Novamente os ministros discordaram. A homologação, disseram, é o momento em que o juiz afirma se o acordo cumpriu todos os requisitos da lei. O ministro não avalia se o acordo é bom ou ruim, apenas se é legal. Além disso, faz parte do início de uma investigação, quando há coleta de provas. Nesta fase, o processo está nas mãos do relator, a missão é dele. Foi nestes dois pontos que os sete ministros concordaram. Ainda faltam quatro, que se manifestarão no próximo dia 28. E há um ponto no qual o Supremo não é unânime mesmo entre os que já votaram: se o plenário pode interferir na delação no momento da sentença.

O debate passou por momentos de tensão que não fariam sentido numa decisão unânime trivial. “Todos sabemos o caminho que isso vai tomar e, portanto, já estou me posicionando antes”, afirmou num momento de irritação Luís Roberto Barroso, enquanto discutia com Gilmar Mendes. “Sou contra o que se quer fazer lá na frente.” O ministro Alexandre de Moraes havia puxado uma interpretação, na quarta-feira, que Gilmar acompanhava. No momento final do processo, a delação poderia ser anulada, mesmo que o delator tenha cumprido o acordo. No caso particular da JBS, um dos debates gira em torno da legalidade da gravação feita por Joesley Batista com o presidente Michel Temer. (Globo)

Nas contas de um dos ministros, o placar parcial está em 5 a 3, informa o Painel. Cinco acham que o acordo não pode ser alterado ou mesmo anulado no fim do processo, três acham que pode. Faltam outros três. (Folha)

DataPoder360: O PT tem a simpatia de 17% do eleitorado. Mas 50% rejeitam um candidato do partido. O PSDB tem o voto certo de 6% dos brasileiros — e 47% não votariam de jeito nenhum em um tucano. A Lava Jato é apoiada por 79% e rejeitada por 13%. A equipe do novo instituto de pesquisas perguntou ainda sobre o posicionamento ideológico dos brasileiros. 25% se disseram à direita, 23% se colocam ao centro e 18% à esquerda.

O governo americano anunciou a suspensão da importação de carne bovina fresca vinda do Brasil. Não passou por testes de qualidade. O mercado dos EUA é novo para carne in natura. A autorização só havia saído em julho do ano passado.

Luiz Fernando Pezão, governador do Rio, recebeu representantes dos servidores públicos, ontem. É a primeira vez que o faz desde novembro último, embora tenha uma dívida: o estado não pagou os salários de abril, maio e o décimo terceiro do ano passado. Não há confirmação oficial, mas os funcionários públicos disseram ter ouvido de Pezão que ele não sabe se continua no cargo até o fim de 2018. O presidente da Assembleia, Jorge Picciani, fala claramente em intervenção federal ou impeachment do governador. Pertencem, ambos, ao PMDB de Sérgio Cabral.

Enquanto isso… o secretário de Educação do município do Rio de Janeiro, Cesar Benjamim, dá uma aula sobre o que é serviço público.


Polícia Federal encontra caixão 2 de Temer

Tony de Marco

Caixao2

Cultura

Em São Paulo, as indicações culturais da Bravo! incluem a programação do Dia da Música, no sábado, com mais de 100 shows gratuitos, e o lançamento do novo disco de Criolo, no mesmo dia, no Citibank Hall.

No Rio, entre os destaques estão a montagem, pela Armazém Companhia de Teatro, de Hamlet, no CCBB, e a exposição sobre o Nirvana, no Museu Histórico Nacional. A Bravo também tem uma newsletter, com as dicas culturais completas para a semana.

Nos cinemas, chegam às telas, entre outros, o documentário Divinas Divas (trailer), de Leandra Leal, e Frantz (trailer), de François Ozon. Veja outras estreias deste fim de semana.

As músicas brasileiras mais tocadas em 2016 renderam parcos R$ 400 a seus autores — ao menos no que diz respeito aos direitos recolhidos via Ecad, conta Leonardo Lichote, no Globo. Ele compara o rendimento ao das rádios — as mais tocadas por lá em 2016 renderam quase 34 vezes mais dinheiro aos músicos do que os serviços de streaming. Mas há artistas que dizem que o problema não é das plataformas, mas sim das gravadoras. Estas ficam com um pedaço cada vez maior do bolo.

Dois dos maiores cartunistas brasileiros vão se reunir de novo para criar uma revista — algo que fizeram nos anos 1980, para publicar a lendária Chiclete com Banana. Agora, Angeli e Laerte preparam a revista Baiacu, que sai em novembro, pela jovem editora Todavia, e inclui residência artística, aulas e oficinas em São Paulo. “O que nos move é a renovação. É claro que o humor estará presente porque faz parte do nosso discurso, mas há vertentes e a ideia é não repetir o que passou”, diz Angeli à Folha.

Galerias: dez cartunistas que um apreciador de arte precisa conhecer, segundo o Artsy.

Há uma “coleção” de arte fruto da Operação Lava Jato. E há peritos devotados a avaliar a autenticidade das obras, na sede da Polícia Federal de Curitiba. A Folha apresenta Marco Antonio de Geus, o perito que é colecionador e frequentador de mostras, galerias e leilões. Ele assinou o primeiro laudo de uma tela do “acervo Lava Jato” — autenticou uma pintura de Fernando Lucchesi “resgatada” na casa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque. Geus é parte de uma equipe que vai avaliar outras 30 obras apreendidas na operação.

Viver

Se não houvesse imigração, a taxa de crescimento da população brasileira se tornaria negativa a partir de 2050. As projeções são da ONU.

O governo da Noruega escolheu o momento em que o presidente Temer passava pelo país para anunciar que cortará pela metade a ajuda ao Fundo Amazônia. Trata-se do principal contribuinte do fundo para preservação da floresta. Os números do desmatamento começaram a aumentar faz três anos. O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, culpou o governo Dilma pelos índices. Quando perguntado se ele garantia a reversão, respondeu: “Só Deus pode garantir isso.”

“Cientificamente falando, é impossível dizer que todas as espécies animais são estritamente heterossexuais. O que se observa de forma mais comum é um amplo registro de bissexualidade, que é mantido ao logo das gerações e da evolução das espécies.” Quem diz é a bióloga Helena Truksa, especialista em comportamento animal. Ela faz o comentário a partir do recente caso de dois abutres machos que acasalaram num zoológico em Amsterdã. Claro, não geraram ovo, mas ganharam um de presente — e são pais exemplares, segundo os funcionários de lá. (Folha)

Como o maior festival de propaganda do mundo, Cannes Lions, estereotipou a figura feminina nos últimos dez anos?

Aliás… Fez sucesso e angariou prêmios por lá a campanha que colocou pés (e pernas) em famosos retratos da história da arte, como Mona Lisa ou o autorretrato de Van Gogh.

Galeria: as imagens vencedoras do prêmio Dog Photographer of the Year. São 30 escolhidas em categorias como ‘melhor amigo do homem’, ‘cachorros trabalhando’, ‘cachorros brincando’, ‘idosos’, ‘resgatados’, entre outras.

Cotidiano Digital

Se uma pesquisa das universidades de Yale e Oxford estiver correta, máquinas serão capazes de dobrar as roupas passadas em sete anos. Em nove, computadores poderão escrever a redação de um aluno do ensino médio. Não demora muito mais do que dez anos para que um software possa compor uma música pop de sucesso. Em 45, fará uma cirurgia. A pesquisa (pdf) teve método simples: um questionário foi enviado para os maiores especialistas em inteligência artificial, pessoas que conhecem a fundo o ponto em que estamos da tecnologia, e eles responderam com suas estimativas de prazo. (Os asiáticos são mais otimistas.)

O YouTube pôs no ar um novo formato de realidade virtual: VR180. Em vez de um vídeo imersivo no qual, com os óculos apropriados, é possível ver o que se passa em frente, atrás, acima e abaixo, o novo padrão limita um pouco. Não é 360°, mas metade, 180°. A vantagem é que barateia os custos de produção para youtubers, que não precisarão se preocupar com a composição do cenário atrás.