Brasil à espera de uma gravação


O site do Meio terá novo layout em breve — e os Pioneiros já estão navegando por ele. Estão, aliás, testando também parte do Monitor, nossa plataforma que lista links mais clicados em inúmeros sites. Junte-se a eles, torne-se um Pioneiro e apresente o Meio para seus amigos. Usar a ferramenta é muito simples. Mesmo. — Os editores

O Brasil pode parar hoje. Uma das gravações entregues por Joesley Batista à Procuradoria-Geral da República registra diálogo grave entre o empresário e um de seus principais executivos, Ricardo Saud. Na conversa, cujos primeiros e ainda vagos detalhes foram revelados inicialmente pelo repórter Rodrigo Rangel, da Veja, são citados o ex-procurador Marcello Miller e pelo menos quatro ministros do Supremo Tribunal Federal. Em alguns casos, os comentários levariam ao constrangimento. Mas, na citação de pelo menos um dos ministros, o caso seria “mais comprometedor”. Há expectativa de que o áudio venha a público hoje.

A gravação pode levar à anulação do acordo de delação premiada da JBS. Ocorrida em 17 de março, após conversa de Joesley com Temer, apresenta empresário e executivo bêbados e confessando crimes que não foram relatados ao MP. A condição para a delação é que todos os crimes sejam relatados. O ex-procurador Marcelo Miller, dizem os dois, teria ‘afinado’ com eles detalhes de como oferecer a delação para angariar melhor resultado. Miller, que era um dos homens mais próximos de Rodrigo Janot, deixou a procuradoria para atuar como advogado em 5 de abril, portanto, semanas depois. Advogado, diga-se, do escritório que negocia o acordo de leniência da JBS. Não há citações explícitas ao STF e, sim, ‘bravatas’, segundo fonte que teve acesso ao áudio. (Globo)

Do ponto de vista jurídico, os benefícios da delação podem ser retirados sem que isso comprometa as provas e acusações que tenham nascido dela. A avaliação é dos presidentes da Associação Nacional dos Procuradores da República e da Associação dos Juízes Federais do Brasil. (Globo)

Mas… As possíveis repercussões são muito grandes, por conta do envolvimento de Miller. A suspeita de que ele planejou a delação de Batista gera incertezas sobre outros dois acordos: o de Sérgio Machado, que gravou José Sarney, Renan Calheiros e Romero Jucá em maio de 2016, e do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, cujo filho flagrou em gravação o ex-senador Delcídio do Amaral. (Folha)

Conheça Marcelo Miller, o homem que esteve ao lado de Janot de 2013 ao início de 2017. (Estadão)

Marco Aurélio Mello: “O ruim é quando não se nomina esses possíveis mencionados, porque ficamos todos nós sob suspeita. O comum do povo vai imaginar que os 11 ministros do Supremo estão envolvidos.” (Globo)

Fernando Rodrigues: “O ambiente formado neste momento prejudica os defensores da apresentação de uma 2ª denúncia contra Michel Temer. Como cassar o mandato do presidente com base em fatos apresentados por alguém que ousou omitir informações numa delação premiada? É necessário e vital dizer, entretanto, que as acusações contra o presidente continuam sendo fortíssimas. Se tudo acabar anulado mais adiante, o maior responsável pelo eventual fiasco será o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.”

Vera Magalhães: “Por mais que Janot diga que a eventual anulação da delação da JBS não compromete as provas obtidas, fica evidente que a conversa com Temer foi montada e orientada para obter os benefícios alcançados pelo grupo. Justamente por alguém que, no GT de Janot, tinha como ‘expertise’ orientar delatores a gravar seus alvos.” (Estadão)

Enquanto isso… A PF encontrou registros de compras de imóveis, pelo coronel João Baptista Lima Filho, com o uso de uma offshore uruguaia. Ligado a Temer desde os anos 1980, é investigado como um dos homens que recebia dinheiro pelo presidente. (Estadão)

E que dia. Na Piauí, Malu Gaspar revela que, no dia 29 de setembro de 2009, três dias antes de o Comitê Olímpico Internacional decidir a cidade sede dos Jogos de 2016, foram depositados US$ 2 milhões em troca do voto de ao menos um dirigente africano para o Rio de Janeiro. O suborno foi acertado pelo presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, e pelo empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido por Rei Arthur, prestador de serviços do governo Sérgio Cabral. Nuzman foi convocado nesta manhã, por ordem do juiz da Lava Jato no Rio, Marcelo Bretas, a entregar todos os seus passaportes e a prestar depoimento à Polícia Federal. Já Rei Arthur está em Miami, mas teve a prisão preventiva decretada, e a Interpol já está com a ordem em mãos.

DEM e PMDB ameaçam desistir de apoio ao PSDB na corrida presidencial caso o governador paulista Geraldo Alckmin saia candidato. Os líderes preferem o prefeito João Doria. (Folha)

Para relaxar… Filme sobre a Lava Jato prende o espectador até o fim, mas Gilmar Mendes solta, informa Sensacionalista.

Cultura

Morreu ontem, no Rio, aos 74 anos, Rogéria. Nascida Astolfo Barroso Pinto, foi uma das primeiras travestis a se tornar celebridade no Brasil. Começou a carreira como transformista em Paris, intitulava-se a “travesti da família brasileira” e repetia que jamais desejara fazer a cirurgia de mudança de sexo. Foi maquiadora e atriz, participou de programas de auditório, de Chacrinha a Luciano Huck, e fez participações especiais em novelas.

Em produção, o filme A Clínica vai relembrar o caso Roger Abdelmassih, que estuprou 56 mulheres e, por longos anos, ficou impune. O longa deve tratar das mulheres vítimas do médico — mas não só. Como informa Lauro Jardim, o jornalista Luiz Cláudio Latgé têm ouvido casais com filhos já adultos e que têm dificuldades de falar com eles sobre o assunto. (Globo)

Em 1985, Ney Matogrosso, artista de alma anárquica e potência sem igual, subiu ao palco do Rock in Rio vestindo meramente uma tanga de oncinha. Na plateia, metaleiros que aguardavam outra atração lançaram ovos cozidos no palco. “E eu devolvia”, lembra o genial artista. Neste ano, ele volta ao festival para dividir o palco com a Nação Zumbi. Não há de ser alvo de ovos, embora avalie o mundo atual como “muito careta”: “Retrocedeu não sei nem quanto tempo”, diz o cantor.

Falando em Rock in Rio… A pouco mais de uma semana do evento, segundo o Globo, há ainda ingressos disponíveis para quatro das sete noites do festival. O jornal traz ainda o line-up e outros serviços desta edição do evento.

Se os colombianos hoje dizem se esforçar para deixar memórias dolorosas para trás, Narcos, cuja terceira temporada acaba de estrear na Netflix, trilha caminho oposto, relembrando o passado negro do país sob o domínio dos cartéis. A reportagem do UOL visita Bogotá e ouve colombianos um tanto contrariados com a produção. “Isso aconteceu nos anos 1980 e 1990, Escobar foi morto em 1993. Estamos em 2017, 20 anos depois, e estamos cansados desse tipo de história”, reclama uma moradora local. “A Colômbia não é só isso.”

Ainda Narcos: o Globo faz uma lista de verdades e mentiras da terceira temporada da série.

As Guerrilla Girls, coletivo de arte/ativismo feminista, vão tomar o Masp no fim de setembro. A Bravo! conversou com uma das fundadoras do grupo. Na ótima entrevista, ela relembra o início do grupo, em 1985, quando museus tinham 1% ou 2% de artistas mulheres em suas coleções. “Isso definitivamente mudou em algum ponto”, diz ela — as Guerrila Girls nunca revelam suas identidades, escondidas sob máscaras de gorilas. Ainda assim, completa: “Daqui a 100 anos, se tudo o que os museus tiverem for o que bilionários doaram a eles, isso não vai ser realmente uma história da arte. Será a história da riqueza e do poder”.”

Viver

Simon Schwartzman, sociólogo e cientista político: “A criança que chega aos 10, 11 anos de idade em uma escola precária, que não aprendeu a ler nem escrever, não tem futuro. Essas pessoas não terão trabalho, não têm perspectiva de inserção na sociedade. A alfabetização é crucial. Se a criança chega aos oito ou nove anos analfabeta, dificilmente se recupera”. Em entrevista ao Globo, ele aponta dois principais problemas na educação pública: o gerenciamento das escolas e a formação dos professores. “O professor precisa de algo equivalente à residência médica: o iniciante deve trabalhar sob supervisão. Gasta-se muito com a educação continuada de professores, para recuperá-los. Eles acumulam certificados, fazem um curso aqui e outro ali, mas não têm formação.”

“A questão é cultural. Primeiro as pessoas terão de se acostumar a carros sem motorista, por exemplo. Aí poderemos ter aviões só com um piloto, como antigamente tínhamos aviões com três e, hoje, são só dois. No futuro, talvez nenhum.” Quem diz é o diretor de Segurança e Operações de Voo da Associação Brasileira de Empresas Aéreas, Ronaldo Jenkins. Lá fora, o banco suíço UBS fez extensa pesquisa de mercado sobre o tema no mês passado. Oito mil pessoas nos EUA, na Europa e na Austrália foram perguntadas se entrariam em um avião-robô. Só 17% disseram que topariam a experiência. Ante os dados da pesquisa, analistas estimam que em 2050 já teremos aviões sem piloto. (Folha)

Existe mesmo vício em açúcar? Um estudo novo mostrou que, ante as opções de açúcar e cocaína, ratos de laboratório escolheram a primeira ‘droga’. Isso não significa, porém, que todos nós podemos nos viciar em açúcar. Segundo o Guardian, diferenças genéticas alteram a forma como o percebemos. Por outro lado, a pesquisa afirma que o açúcar refinado proporciona “um dos mais intensos prazeres sensoriais da vida moderna”.

Galeria: o festival Burning Man em imagens. Em sua 31ª edição, o evento deste ano reuniu cerca de 70 mil pessoas no deserto dos EUA, em Nevada.

Galeria 2: o fotógrafo Pablo Iglesias Maurer comprou cartões-postais dos anos 1960 no e-Bay e decidiu sair em busca dos lugares que estampavam, mais de 50 anos depois de serem feitas as imagens originais. via Pioneiros

Cotidiano Digital

O novo Super Nintendo será lançado nos EUA e Europa no próximo dia 29. O console lembra o modelo original, de 1983, pode ser ligado à TV por HDMI e custará US$ 80. Virá com 21 jogos clássicos, como Super Mario World e The Legend of Zelda. O aparelho também virá para o Brasil, embora preço e data não tenham sido confirmados. (Estadão)

E… Foi anunciado ontem o Retro Atari Handheld, um console de mãos que lembra o velho Atari 2600, de 1977, e traz 50 títulos como Asteroids, Missile Command, Breakout e o Adventure original. Sim: é oficialmente uma tendência.

Aliás… Breakout é tão clássico quanto histórico. Foi imaginado pelo jovem Steve Jobs e escrito pelo igualmente jovem Steve Wozniak ao longo de quatro noites viradas antes de os dois se trancarem numa garagem para desenvolver o primeiro computador Apple.

Para quem é hardcore: dá para transformar um computador velho em videogame antigo com o Lakka.

Taringa, a popular rede social da América espanhola, qual um Reddit latino, foi hackeada. Login e senha de pelo menos 28 milhões de usuários foram comprometidos. via Pioneiros

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Meio’s story.