Temer salta mais um obstáculo com facilidade


Por 39 votos a 26, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara votou para derrubar a denúncia contra Michel Temer. O Planalto esperava 42 votos. Os partidos da base de apoio deram ao governo 84% dos seus votos — 5 deputados do PSDB, um do DEM e um do Solidariedade se puseram contra. Falta ainda o plenário, onde é necessário que 342 votos, ou dois terços do colegiado, ignorem a recomendação da CCJ. Dificilmente ocorrerá. A decisão final deve sair na próxima quarta-feira.

Vera Magalhães: “O PMDB de Michel Temer que salvava Aécio Neves. E o PSDB, de Aécio, salvava Temer? A primeira parte da versão Lava Jato da Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade, se confirmou. Mas a segunda ainda é uma incógnita. No PSDB, os caminhos são tortuosos. Aécio já não tem quase nenhuma influência sobre os deputados para cobrar alguma retribuição. Por isso, Temer age perante os novos caciques influentes. Jantou ontem com João Doria Jr. no Jaburu, e conta com uma boa vontade maior do segmento alckmista da bancada.” (Estadão)

Aliás… Ainda segundo Vera Magalhães, os aliados de Aécio no Senado espalharam que o tucano mineiro não pretendia cair sozinho. Os senadores entenderam o recado.

Pedro Dias Leite, editor de Política do Globo: “A última semana foi a pior para a Lava Jato desde que a operação foi deflagrada, há mais de três anos e meio. A reação dos políticos, ensaiada fazia muito tempo e anunciada desde que Romero Jucá clamava por estancar a sangria, por fim se concretizou. Essa contraofensiva só foi possível porque o Supremo Tribunal Federal deu ao Congresso o impulso de coragem que faltava até agora. O movimento é amplo e pluripartidário: salvou Aécio, salvará Temer. Se Lula estivesse nas mãos de seus pares, e não nas de Sergio Moro, poderia dormir tranquilo na cobertura de São Bernardo.”

Míriam Leitão: “Quanto custa ao país manter o presidente Michel Temer no cargo? A conta está ficando imensa pela soma da paralisia decisória em questões-chave, o abandono das reformas econômicas, os gastos aprovados, e as medidas que o governo têm adotado para fazer a vontade dos grupos de interesse e assim vencer uma a uma as denúncias que pesam contra ele. Os avanços econômicos que o governo Temer conseguiu estão sendo desmanchados pela crise política que ele mesmo criou. Neste momento em que a segunda denúncia está tramitando na Câmara, as decisões necessárias para o ajuste fiscal, para a revisão da meta do Orçamento, estão paradas em grande parte na Casa Civil. O temor é o de que qualquer medida desagrade a algum possível apoiador do presidente.” (Globo)

A Procuradoria-Geral da República abriu procedimento formal contra a portaria do governo que flexibiliza o conceito de trabalho análogo à escravidão. O tema é caro à procuradora Raquel Dodge. A recomendação oficial é de que o Planalto revogue a regra por ‘vício de ilegalidade’ em até dez dias. Se não o fizer, a questão vai à Justiça.


Começou o 19º Congresso Quinquenal do Partido Comunista chinês, o primeiro sob a liderança do presidente Xi Jinping. Quase 70% dos 400 membros do Comitê Central devem se aposentar, ou foram expulsos por corrupção. Será a maior mudança nos quadros de comando desde a Revolução Cultural, em finais dos anos 1960. Em grande parte, apesar de haver 2.300 delegados e um sistema interno de voto para cada resolução, os principais pontos já foram previamente decididos e a aparência de democracia é faz de conta. A meta anunciada por Xi, em seu discurso de abertura, é tornar a China líder mundial em inovação até 2035, iniciando o que chama de uma ‘nova era’. Há imensa especulação sobre as mudanças que serão feitas na constituição do PC, que podem colocar Xi num papel tão importante quanto o de Deng Xiaoping, o principal reformista pós Mao Zedong.

Cultura

Ai Weiwei, o artista contemporâneo chinês que se mantém um importante ativista contra a ditadura de seu país, foi proibido de embarcar para o Brasil, na terça. Ele apresentaria ontem, na abertura da 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, seu documentário sobre refugiados Human Flow, Não existe lar se não há para onde ir (trailer). Weiwei foi impedido de vir pela United Airlines — a empresa avaliou que seu visto estava vencido. Segundo o Consulado Brasileiro em Nova York, foi um erro da companhia aérea. Weiwei deve chegar hoje de manhã à capital paulista.

Marcius Melhem: “Fui uma criança sem o nu que os museus exibem. E posso testemunhar o que isso causa. Mas antes vou falar sobre duas crianças que, aos oito, já viram alguns museus e, neles, vários nus: minha filhas. Nas férias as levamos ao Louvre com uma guia brasileira especializada em explicar arte a pequenos. No passeio, nenhuma das quase 20 crianças fez qualquer piadinha erótica ou qualquer menção ao corpo que não estivesse no contexto da arte. A única coisa que chocou as crianças foi a perfeição das esculturas, como a Psiquê revivida pelo beijo de amor, de Antonio Canova, que fez com que dessem voltas e voltas em torno da obra pra ver todos os detalhes. Nos anos 1980, aprendi o que era o nu feminino nas páginas da Playboy, nas revistas de historinhas e fitas VHS que trocávamos escondidos dos pais. Aprendi sobre o corpo da forma mais erótica e grosseira — sem beleza, sem arte, olhando a mulher como um objeto do prazer alheio. Demorei a combater isso em mim e ainda hoje estou atento às sequelas dessa pré-adolescência onde o nu era proibido, escondido, não natural.” (Folha)

Stephen Sondheim é um mito da Broadway — hoje, aos 87, é provavelmente o maior letrista de musicais do teatro americano na segunda metade do século 20. O poeta de West Side Story foi entrevistado para a revista T, do New York Times, pelo nome mais badalado dos musicais de hoje, Lin-Manuel Miranda. “Você não pode se sentir seguro”, diz o velho mestre ao novo. “É preciso que sinta ‘não sei se consigo escrever isso’. É o que quero dizer com correr risco. Sacrifique a segurança.”

Então… Funcionários do Times gravaram, em homenagem, uma versão amadoramente divertida de Broadway Baby, do musical Follies. E, nesta toada, assista a cena do balcão na versão para o cinema de West Side Story, com Natalie Wood fazendo Maria, acompanhando Richard Beymer em Tonight. Ainda, via Spotify, ouça o álbum The Essential Sondheim.

Teste: você conhece literatura brasileira? É o Nexo que pergunta.

Viver

A FDA americana aprovou, pela segunda vez, uma terapia genética para câncer. Pacientes adultos de Linfomas Não-Hodgkin muito agressivos poderão se tratar com a terapia Yescarta, da Kite Pharma, que reprograma células do sistema imune para agir contra a doença. Nos testes conduzidos, 54% dos pacientes tiveram remissão completa. (New York Times)

Nova York autorizou o teste de carros autônomos em Manhattan. O documento foi concedido à GM, que, tendo comprado a startup Cruise Automation, pretende botar nas ruas, no início do ano que vem, veículos de nível 4. Ou seja: não precisam de motorista atento quando circula numa cidade. Só não pode pegar estrada. O carro é um Chevrolet Bolt. Em parceria com a Lyft, concorrente americana da Uber, o mesmo modelo começará a circular já prestando serviços, em San Francisco, também em 2018.

Aliás… Por aqui, multas de trânsito poderão ser pagas no cartão de crédito e parceladas. A decisão é do Conselho Nacional de Trânsito. O objetivo é facilitar a vida dos motoristas e, assim, diminuir a inadimplência.

Os cariocas foram surpreendidos, durante o feriadão, pelo avanço do mar sobre o calçadão da Praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes. É um fenômeno que vem se repetindo em todo o país. No Guarujá, em São Paulo, a Praia do Tombo perdeu espaço nos últimos 20 anos, ainda não se sabe por quê. Mas noutra praia da cidade, a do Góes, oceanógrafos atribuem a responsabilidade à dragagem mal planejada no Porto de Santos. No Rio Grande do Norte, o avanço do mar ameaça vilas de pescadores em 60% das praias. Muriú e São Miguel do Gostoso, algumas das mais celebradas pela beleza, estão também entre as mais atingidas. Em Pernambuco, Recife e Olinda fazem obras para tentar conter o avanço. O litoral brasileiro começa a enfrentar um problema sério de erosão. (Estadão)

Cotidiano Digital

Para ler com calma: Na década de 1990, o governo sueco não só cortou o imposto como subsidiou computadores para que todas as famílias tivessem ao menos um. Formou uma legião de programadores. O governo investiu, também, em uma infraestrutura de banda larga. Hoje, 60% do país tem acesso a 100 mbps — só a vizinha Noruega e a Coreia do Sul batem. O resultado: Spotify, Minecraft, Candy Crush, Skype, SoundCloud. Só o Vale do Silício bate Estocolmo, em todo mundo, no número de startups que valem mais de um bilhão de dólares.

Diga-se… A Forbes tem uma lista de locais do mundo prontos para explodir como centros de desenvolvimento da tecnologia digital para além do Vale do Silício. Em primeiro, Xangai. Seguida de Toronto, Israel, Austin (Texas) e Phoenix (Arizona). Não há nenhum país latino-americano na lista.

Enquanto isso… Todo equipamento eletrônico entre US$ 50 e US$ 500 paga 60% de importação, além de ICMS estadual, aqui. No total, quase dobra o preço. Mais que US$ 500 e menos de US$ 3.000 inclui ainda uma taxa de R$ 150. O Estado brasileiro considera tecnologia luxo e não enxerga que seja de interesse uma política de incentivo. E, no preço pago pelo consumidor por banda larga, metade é imposto. Em 2016, o brasileiro pagou no conjunto 6% mais do que no ano anterior para navegar na rede, embora o número de usuários tenha diminuído. Porque os impostos aumentaram. Pois é.

O governo australiano vai colocar no ar um site para a denúncia de divulgação de fotos íntimas não autorizadas. A pornografia da revanche. Segundo estudo realizado pela Universidade RMIT, uma em cada cinco mulheres foram vítimas do crime, no país. O serviço prestado pelo Estado inclui encaminhamento à polícia, apoio psicológico e contato com advogados especializados. (Estadão)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.