Temer some o dia todo, e Câmara o salva


A Câmara dos Deputados enterrou a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, em plenário, por 251 votos contra, 233 a favor, duas abstenções e 25 ausências. Na votação da primeira denúncia, o governo teve 263 votos a favor — uma diferença de 12, pequena. Ainda assim, foi um dia particularmente tenso. Oposição e governistas obstruíram o voto, impedindo que o plenário tivesse o quórum mínimo de 342 para início da sessão até o fim da tarde. Em parte, o objetivo era mesmo dar um susto no presidente. Mas houve um complicador: Temer desapareceu no fim da manhã, internado no Hospital do Exército. E, durante várias horas, o Palácio limitou-se a informar que ele tivera uma obstrução urinária. Problemas de saúde repentinos de presidentes deixam sempre o mundo político tenso. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, chegou a se irritar e ameaçou encerrar as tentativas de voto, o que levaria a decisão para a segunda semana de novembro. A ameaça funcionou, os deputados vieram.

A obstrução urinária de Temer ocorreu pelo aumento natural da próstata, que costuma ocorrer em homens após os 45. Ela pressiona a bexiga de baixo e pode apertar o canal da uretra. Temer precisou receber uma sonda e deixou o hospital às 20h. (Estadão)

Internet sendo internet: os memes sobre o estado de Temer.

Saiba: Como votou cada deputado. E quem mudou o voto entre a primeira e a segunda denúncia. (Globo)

Ainda, do Nexo, a votação em 16 gráficos.

Em meio à tensão do dia, o debate da esquerda no Twitter ferveu. O da direita, não. É o que revela o Painel das Bolhas, nova ferramenta interna do Meio. Desenvolvida para mostrar o que os membros mais ligados aos dois espectros políticos estão discutindo na rede, tem um termômetro que indica se o debate está mais frenético ou não. A turma da direita ficou quieta o dia todo, a da esquerda, não. O Painel está sendo testado pelos Pioneiros e vai ser liberado para o público nas próximas semanas. Os Pioneiros veem essas coisas antes. Junte-se a eles: é simples, basta usar o sistema para recomendar o Meio a dez amigos.

O fotógrafo Lula Marques, da Agência PT, registrou o deputado gaúcho Darcísio Perondi, do PMDB, conferindo em plenário uma lista com valores em dinheiro e o nome de municípios do seu estado. No registro, Perondi observa o painel de presença e parece fazer marcas ao lado de algumas linhas. Marques sugere ser um indício de compra de votos. À Rádio Gaúcha, o parlamentar afirmou que se tratavam de pedidos de prefeitos e não havia qualquer relação com a denúncia do presidente.

Galeria: Imagens do voto na Câmara.

Clóvis Rossi: “Temer voltou duas vezes nesta quarta: a pessoa física teve alta, depois de um episódio (necessariamente agudo) de caráter urológico; e o presidente da República teve alta da Câmara para voltar ao Planalto com a certeza de que ganhou o ‘fica, Temer’. Mas tanto a pessoa física como o presidente voltam mais fracos.” (Folha)

Paulo Celso Pereira: “Em 17 de maio, o colunista Lauro Jardim revelou que Joesley Batista havia gravado o presidente em um diálogo nada republicano. Ali foi encerrada a primeira fase do governo Temer. Nela, houve uma mudança profunda na condução da política econômica e a aprovação de medidas legislativas de peso, como o teto de gastos públicos e a reforma do ensino médio — além da apresentação da reforma trabalhista. Nos últimos meses, o que vigorou foi um governo dedicado apenas a garantir sua sobrevivência. As mudanças na definição do trabalho escravo serão eternizadas como símbolo do balcão montado no Planalto para garantir que Temer de lá não fosse apeado. Temer tem, portanto, exatamente um ano para construir o que pretende deixar como imagem final de seu governo.” (Globo)

E… O rapper Gabriel, o Pensador, pôs no ar versão nova de sua música Tô Feliz (Matei o Presidente), que remete aos tempos do impeachment de Fernando Collor.

O senador Aécio Neves chegou à conclusão de que deixar precocemente a presidência do PSDB seria o mesmo que confessar a culpa por corrupção. Assim, fica, até as eleições internas de dezembro. (Estadão)

Como esperado, o Copom do Banco Central decidiu reduzir a meta da taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 8,25% ao ano para 7,5% ao ano. Esse é a nona queda consecutiva na taxa, que vem recebendo cortes desde outubro do ano passado, quando estava estabilizada em 14,25% ao ano. A redução, no entanto, é menor que a aplicada nas últimas quatro reuniões do comitê, de 1 ponto percentual. (Globo)

E após a decisão do BC, Bradesco, Banco do Brasil e Itaú já anunciaram redução de juros nas linhas de crédito pessoal, para empresas e financiamento de veículos.

Enquanto o Rio vive o drama da criminalidade e o assassinato de uma turista pela polícia, dois PMs encontraram tempo de posar com seus rifles automáticos junto à cantora Madonna, no Morro da Providência. A cantora, inacreditavelmente, aparece vestida com roupa militar camuflada. Vai à guerra, aparentemente.

Cultura

Fats Domino, o músico de Nova Orleans que se tornou uma das primeiríssimas estrelas do rock, morreu ontem. Tinha 89 anos. Emplacou a lista das mais tocadas trinta e tantas vezes entre os anos 1950 e 60, recebeu 23 discos de ouro. No período, só Elvis Presley o batia em vendas. Entre seus clássicos estão Blueberry Hill, Ain’t that a Shame e, claro, I’m Walking. (Links para vídeos.) Nasceu numa família de músicos de jazz, aprendeu piano embalado pelo estilo rápido e batido do boogie-woogie, e já era a estrela da noite logo que começou a tocar profissionalmente. (New York Times)

O Times pôs no ar uma lista das 12 gravações essenciais para conhecer Mr. Domino. Há alternativas: uma playlist no Spotify; outra playlist, no YouTube.

E vai começar tudo de novo… O artista russo Fyodor Pavlov-Andreevich, diretor da Solyanka State Gallery, em Moscou, se apresentará em São Paulo. Nu. Imóvel. Deitado representando Lênin em seu mausoléu. Por horas. E o público é convidado a tocar em seu corpo — quanto mais intenso o toque, mais alta a música na sala. No Sesc Consolação, a partir do dia 6. (Globo)

Nem Narcos, nem Stranger Things. Serviços de streaming como Netflix e Amazon estão gastando bilhões em títulos originais, mas as pessoas ainda preferem assistir às coisas antigas, como Friends ou Grey’s Anatomy. Segundo uma pesquisa do Instituto Nielsen, apenas 20% do tempo gasto nos serviços é com produções próprias. Os outros 80% são dedicados ao catálogo de conteúdos adquiridos de outros estúdios de TV e cinema. via Pioneiros

O rapper norte-americano Eminem acaba de ganhar US$ 413 mil na Justiça. Isso porque o Tribunal Superior da Nova Zelândia decidiu que o Partido Nacional violou os direitos autorais do cantor ao usar uma música parecida com Lose Yourself como jingle em uma propaganda da campanha eleitoral de 2014. A música foi tocada 186 vezes durante a campanha antes do partido retirar a propaganda do ar.

Então: o vídeo de Lose Yourself e a música, no Spotify. E a versão do Partido Nacional.

Galeria: Fotos inspiradas por contos de fadas. Para dar uma fugida. O dia foi duro.

Viver

Deve ser retomado hoje no Supremo o julgamento sobre as regras para doação de sangue por homossexuais. O relator do caso, o ministro Edson Fachin, já havia votado pela inconstitucionalidade das normas do Ministério da Saúde e da Anvisa que restringem a doação por gays a quem está faz 12 meses sem relações sexuais. Fachin foi acompanhado pelos ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, e pela ministra Rosa Weber. Já Alexandre de Moraes votou pela retirada da exigência de abstinência desde que o material fique estocado nos bancos de sangue pelo período da janela sorológica, a ser definido por técnicos de saúde, para futura testagem. Lewandoski sinalizou voto junto a Moraes, mas voltou atrás e deve se posicionar hoje. Além dele, outros quatro ministros deverão votar. (Globo)

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou um memorial ao STF afirmando que as normas são inconstitucionais e ferem a dignidade humana.

O Brasil não cumpriu o objetivo de erradicar o trabalho infantil até 2016. Ainda corre o risco de não conseguir acabar com a prática até 2025. É o que mostra um relatório do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e do Ministério Público do Trabalho. Um dos obstáculos é a falta de fiscalização. E os autores do estudo vão além: em 2017, houve uma redução drástica de verbas para o controle.

A marca de cigarros Kent, do grupo Souza Cruz, pode estar fazendo publicidade no Instagram. Propaganda de tabaco é proibida no Brasil. Segundo denúncia da Exame, jovens influenciadores digitais postam fotos com cigarros à mão ou na boca. Em uma das imagens, um maço de Kent aparece. As publicações, no entanto, não citam a marca, apenas a hashtag #aheadbr, uma plataforma que se diz “uma rede que conecta jovens empreendedores, apoia iniciativas e inspira novas experiências na moda, música e design”. Em nota, a Souza Cruz não confirmou, tampouco negou, a existência da ação.

Maimuna, 16 anos: “Eles me disseram para explodir um hospital, entrar no meio de pacientes e funcionários e detonar uma bomba.” O New York Times entrevistou 18 meninas capturadas por militantes do Boko Haram, na Nigéria, e enviadas para missões suicidas. Elas relatam como foram empurradas às multidões com bombas em suas mãos ou em seus cintos.

Cotidiano Digital

O Senado aprovou requerimento de urgência para votar a lei que regulamentará o transporte privado via apps — Uber, Cabify, 99. No texto, vai ser exigido tudo o que se exige de taxistas: placas vermelhas, proibição de dirigir em cidades vizinhas além, claro, de autorização expressa concedida pelo município. Inviabiliza. via Pioneiros

Aliás… A Uber informa que, em 2017, já pagou R$ 495,6 milhões em impostos.

A Amazon anunciou, nos EUA, o programa Amazon Key. É uma tranca digital para casa, ligada à internet, com câmera. Sai por US$ 250. Quem puser na porta da frente o equipamento permite que os entregadores da loja eletrônica a abram e ponham dentro o pacote. É como dar a chave de casa ao carteiro. O sistema também deixa que os usuários liberem pelo celular a entrada da turma da faxina ou operários. É muita confiança.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.