Saber ouvir

Quantas vozes habitam seu ser? O que elas te dizem? Que histórias elas estão contando sobre você, sobre os que te cercam, sobre o mundo? As nossas vozes interiores. Sabemos ouvi-las? Dedicamos tempo e cuidado às vozes que vem de todo nosso corpo, nossa alma, nosso pensar e nosso sentir? Tenho dúvidas. Entramos no modo automático da vida que nos pede para nascer, crescer, produzir, reproduzir e morrer e esquecemos de olhar para a vida enquanto ela é vivida. Disse Saramago que é preciso sair da ilha para ver a ilha. Sairmos de nós mesmos para nos colocarmos em perspectiva e ouvir. Ouvir nossos anseios mais profundos. Ouvir o que pede nosso coração, o que nos preenche a alma. Ouvir o que nos diz a intuição, aquela sabedoria interna que relutamos em aceitar por muitas vezes nos dizer o que não é conhecido da nossa mente e, por isso, parece absurdo demais. Ouvir as vozes que nos habitam, mas que não são genuinamente nossas e que, ainda assim, assumimos como verdade e influenciam nossas escolhas. Ouvir nossos julgamentos e críticas sobre nós e sobre o outro. Saber ouvir primeiro dentro, para aí sim termos ouvidos claros e abertos para fora.


Tema sugerido por participante do Sarau Conversar. Obrigada!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.