Entenda o poder oculto das suas intenções.

Parte integrante do livro A Era de Ouro da Humanidade — Carlos Torres , escritor e mensageiro.

Um pensamento é uma coisa real, uma energia tangível. Cada pen­samento, intenção, ou decisão, tem o poder de tomar uma forma física.

Ao enviar conscientemente uma intenção ao Universo, sua mente afeta o Todo. O pensamento potencializado significa intenção e tem a mesma força de uma ação física. Um bom exemplo são os atletas que não fazem qualquer exercício físico para treinar seus corpos enquanto não estão praticando suas modalidades, apenas imaginam seus treinamentos e seus corpos saudáveis e fortes, aumentando assim sua força muscular em mais de 13% em apenas algumas semanas, como foi o caso de Mohamed Ali.

Mohamed Ali era um mestre da intenção, utilizou frequentemente a vi­sualização mental e uma imensa e poderosa afirmação — “Eu sou o maior!”

Para se tornar campeão mundial, Mohamed Ali utilizou diversos ensaios mentais para obter vantagens competitivas.

Você pode melhorar sua saúde, o seu desempenho em todas as áreas de sua vida e alavancar o seu futuro através da prática correta da intenção consciente. O poder da mente positiva há décadas é conhecido pelo grande público e praticado por muitos. É realmente uma prática muito eficaz, mas ela só funciona se você for capaz de condensar a força dos seus desejos às suas intenções mais latentes.

Não é possível imaginar uma pessoa que não utilize esse dom em poten­cial se transformar, por exemplo, em um atleta vencedor, num empresário de sucesso, um grande líder político ou até em um intelectual fabuloso. O que se sabe é que muitas pessoas usufruem desse poder naturalmente sem saber. Outras, no entanto, precisam treinar e aprender. Isso é fato e não devemos duvidar. O importante é dizer que somente pensamentos positivos não capazes de transformar e modificar sua realidade, o que transforma, o que move, o que vibra e o que seu poder mental atrai, são as reais intenções. Quando você estabelece intenções reais positivas, passa a focar a energia correta e magnetizar as circunstâncias ideias para suas realizações. Quando você consegue concentrar suas intenções e interligá-las aos seus propósitos de vida, passa a ter o que costumamos chamar de controle criativo.

Identificar suas intenções é estar no controle de sua própria vida.

Vivemos dentro de um mar de intenções, disso é feito o Universo, das mais diversas formas de intenção que vagam pelas dimensões invisíveis e paralelas.

Você pode encontrar: boas intenções com alta intensidade vibracional; más intenções com baixa intensidade vibracional; intenções voltadas para o bem da humanidade; intenções voltadas para o bem estar do meio ambiente ou das comunidades carentes; mas também, pode encontrar intenções volta­das para a ganância e falcatruas financeiras, para o crime e para a violência, ou seja, existem intenções intrínsecas nas mentes de cada um dos sete bilhões de seres humanos que existem no planeta, e essas intenções são infinitas.

Cada grupo de pessoas por menor que seja — duas, duzentas, dois mi­lhões ou duzentos milhões de pessoas –, podem criar uma corrente intencional muito forte. Elas se unem pelas suas intenções semelhantes, e a força exer­cida de todas elas, constroem vibrações coletivas extremamente poderosas, capazes de transformar e modificar uma sociedade e até o mundo inteiro. A isso chamamos de egrégora vibracional intencional. É o caso das forças que surgiram repentinamente no Oriente Médio em fevereiro de 2011 na cidade do Cairo dando início ao que conhecemos como A Primavera Árabe.

De alguma forma, cada um de nós está inserido dentro de algum tipo de grupo vibracional como esse, um grupo de pessoas que pensam da mesma forma que você e desejam as mesmas coisas. Pare e perceba qual é o seu padrão de pensamento e verifique as pessoas que estão ao seu redor. Olhando para fora, descobrirá um pouco mais sobre você.

Se observar, pessoas com intenções semelhantes às suas, estão se apro­ximando cada dia mais de você, justamente por terem algo em comum. Pode ser algo positivo ou negativo, não importa, mas é dessa maneira que as pessoas se unem — através das suas semelhanças latentes. No entanto, essas semelhanças não são estipuladas por aspectos físicos ou materiais, mas pelos padrões de intenções.

A lei da atração diz que semelhantes se atraem através dos padrões vibracionais que se assemelham entre si. Assim vão sendo construídos os agrupamentos humanos, pela força das intenções, essa é a plataforma da lei da atração. As intenções, e não os meros e vãos pensamentos.

Tente identificar o grupo em que você se encontra atualmente. Pare um instante e olhe a realidade na qual está vivendo. Comece a reparar nas pessoas que estão ao seu redor, nos acontecimentos do seu dia a dia e comece a responder os porquês que surgem em sua mente diariamente.

Existe uma teia vibracional invisível que nos envolve, que chamamos de “mundo de cordas vibracionais”, e é através dela que estabelecemos as mais diversas conexões com as pessoas e os seres que sequer podemos enxergar.

As conexões são sempre feitas através de vibrações semelhantes. Você nunca vai se relacionar com pessoas que têm vibrações diferentes da sua, pois frequências vibracionais diferentes são como água e óleo, mesmo que você tente juntá-las, elas não se misturam. Essa é uma lei universal. Não se engane: os opostos não se atraem. Somente os semelhantes se atraem.

Mas eu sou muito diferente do meu namorado. Somos completa­mente diferentes. Como isso pode ser possível?

Esse é o ponto mais comentado e questionado. Na verdade as pessoas pensam que são diferentes, mas no fundo estão juntas por afinidade, por complementação e por agrupamento de intenções. Elas podem não estar conscientes disso, mas sempre estarão unidas por algum motivo que as completa, seja por um motivo positivo, ou negativo. Por exemplo: um casal pode estar unido há muitos anos por terem o mesmo sonho em comum: construir uma família e viajar juntos o mundo inteiro, conhecendo todos os continentes. Nesse caso o que une esse casal é algo positivo e elevado.

Outro casal pode estar unido por intenções obscuras que ficam es­condidas no fundo de suas consciências e nunca são ditas. Por exemplo: o homem é extremamente fiel a sua esposa e faz tudo o que ela deseja, no entanto, ele faz tudo para sua mulher porque no fundo ele tem um medo mortal de envelhecer e ficar doente, sozinho e abandonado quan­do chegar à velhice. Já a mulher é extremamente compassiva e submissa a esse homem, pois ela sofre de depressão profunda, tem uma incrível baixa estima e morre de medo de não conseguir encontrar alguém mais interessante e fiel como seu marido para viver o resto da vida, pois ela nunca teve confiança em si mesma. Neste caso o que une esse casal é algo negativo — intenções inconscientes e baseadas em medos profundos que vibram no fundo de suas almas, porém, não são esclarecidas. Essas intenções negativas, quando são levadas adiante durante muito tempo, acabam se transformando em conflitos, discórdias, contratempos e geram karmas futuros. O ideal é sempre estar consciente do que está vibrando no fundo do seu coração, pois é exatamente isso que está emitindo para o Universo e atraindo para sua vida — pessoas semelhantes ou pessoas que se completam com você — seja por algo positivo ou negativo. A lei da atração não mede gênero nem grau, ela apenas trabalha através das ressonâncias semelhantes e complementares.

Se for algo positivo que atrai as pessoas para sua vida, então ótimo, continue assim, pois terá recompensas no futuro. Mas se é algo negativo, precisa descobrir o que é e ter coragem de enfrentar e se posicionar.

A coragem é o primeiro passo rumo ao autoconhecimento. Se não tiver coragem de se autoenfrentar, é preferível nem dar o primeiro passo.

Tudo o que existe no Universo vibra e ressoa com uma frequência exata. Veja por exemplo o famoso caso da ponte de Tacoma que caiu em 1940 após sofrer intensas rajadas de vento. O que ocorreu em Tacoma foi que os ventos estavam soprando na frequência natural de oscilação da ponte e fez com que aquela enorme estrutura de aço e concreto balançasse como se fosse uma gelatina, fazendo com que ela vibrasse com amplitudes cada vez maiores até a estrutura não suportar e a ponte se romper.

Como se fosse uma grande harpa harmônica, os mundos das intenções fabricam algo parecido com notas musicais que tocam o tempo todo. Cada corda toca num tom, uma nota musical muito específica e ressoa (vibra) sempre que outra nota no mesmo tom surge.

Quando essa ressonância acontece é o momento em que se estabelece uma conexão.

Por exemplo: quando es­cutamos uma música que real­mente nos toca, nos emocio­namos naturalmente, o braço arrepia e nos sentimos bem. Nesse instante ocorre uma conexão. Na verdade estamos nos conectando com a vibra­ção que está sendo emitida por aquela música e entrou em res­sonância vibracional com ela.

Ponte de Tacoma — Washington — 1940

Como disse Toth em suas Leis Herméticas, tudo vibra. Tudo no Uni­verso vibra, desde os elétrons de um átomo até o som, as cores, as pedras, a luz, as pessoas, os animais, as plantas, a Terra, o Sol e o Cosmos. Tudo está vibrando e interagindo. Dessa forma também interagimos com as pessoas, mas interagimos através das nossas intenções.

Tudo tem uma frequência específica inclusive a sua forma de pensar e ver o mundo. O seu modelo de pensamento determina sua frequência padrão e essa está inserida dentro de uma escala de vibração ainda não descrita pela ciência. Você escolhe em que faixa frequêncial deseja estar e ingressa nela involuntariamente.

Pode escolher estar na frequência dos prósperos que desejam e acredi­tam em um mundo melhor, ou na frequência dos solidários, dos expansivos que desejam riqueza para si e também para todos que lhe acompanham, ou pode escolher estar entre os manipuladores, corruptos, ladrões e enga­nadores que desejam riqueza somente para si, ou escolher estar junto aos gananciosos, aos que acreditam no medo e na destruição do mundo e dos que só pensam em violência, doença, etc.

O Universo não distingue e jamais julga essas divergências, apenas as organiza. Você está no comando de sua vida o tempo todo. Tem um controle em suas mãos, como se fosse um controle remoto de TV. Pode trocar de canal no momento que desejar, pois ninguém lhe obriga a ficar naquela frequência se não quiser. Desta mesma maneira, você tem o con­trole da sua vida, pode estar consciente ou não disso, mas se estiver infeliz em meio às pessoas e circunstâncias ruins que acontecem em seu dia a dia, primeiramente identifique em qual corda vibracional você está, em que faixa de frequência está inserido.

Por exemplo: você deseja imensamente ser uma pessoa rica e próspera no futuro, mas no fundo ainda tem uma mentalidade de pobreza e não con­segue enxergar a prosperidade verdadeiramente. Acredita que o dinheiro é somente para os ricos e sente inveja quando os vê, se perguntando, “por que eles conseguiram enriquecer e eu não?”. Acredita que se o dinheiro chegar até você, deverá ficar escondido, pois ainda o considera algo pecaminoso e o associa a ganância, a avareza ou luxúria. E se descobrirem que você tem dinheiro, será julgado como um pecador. Acredita que a prosperidade e a abundância são impossíveis para você, pois a riqueza deve ser difícil e só vem para os capazes e fortes.

Esse ainda é um padrão de pensamento muito encontrado na América Latina, especialmente nos países colonizados pelos portugueses e espanhóis, mas graças à livre informação, esse padrão aos poucos está se modificando, pois a pessoa que pensa assim jamais alcançará qualquer riqueza, porque não está em ressonância com a vibração da prosperidade e da abundância universal, e continua na vibração do medo, da vitimização, do julgamento, da inveja e da esperança. Nessas condições não é possível se estabelecer mudanças plausíveis e as oportunidades sequer surgirão.

Como dissemos, a lei da atração funciona através das intenções das pessoas, tudo acontece por essa força e por consequência disso, tudo acon­tecerá através das pessoas e nada cairá do céu como muitos pensam. Não existe coincidência, tudo é uma questão de conexão e possibilidades. As conexões são sempre feitas através das pessoas, por meio dos encontros e desencontros que acontecem ao redor do mundo o tempo todo.

O Universo é dinâmico e trabalha pelo prisma da perfeição, como se estivéssemos dentro de uma gigantesca sinfonia com milhares de instru­mentos tocando ao mesmo tempo e emitindo milhares de notas musicais misturadas simultaneamente, mas que de alguma forma todas essas notas estão se harmonizando e sendo magistradas por um Ser Supremo, o que gostamos de chamar de O Arquiteto do Universo. O Maestro Supremo.

Para entender melhor, imagine uma sala repleta de pessoas participan­do de um seminário sobre o bem estar das mulheres no terceiro milênio. Vamos ver duas hipóteses prováveis que podem ou não estabelecer uma conexão intencional entre duas pessoas durante esse evento.

Nessa sala estão presentes mais de cem pessoas sentadas em confortáveis cadeiras, ouvindo um palestrante muito empolgado. Na primeira fileira está a senhorita Raquel, uma jovem arquiteta formada há mais de cinco anos que exerce sua profissão com muito afinco. Na última fileira está sentada a senhora Viviam — uma mulher muito rica, proprietária de uma rede com mais de cem lojas de roupas muito conhecida em todo o país.

Hipótese 1 — Raquel assiste à palestra. Ela está ali para aprender mais sobre a condição das mulheres no mundo atual. Deseja saber mais sobre esse tema e descobrir como poderia melhorar a sua vida pessoal no futuro. Já há algum tempo vem passando em sua mente, constantes informações sobre as mudanças que ela tanto deseja que ocorram em sua vida profissional e isso é muito importante para ela. Há cinco anos continua fazendo pequenos projetos de decoração para apartamentos de alguns clientes amigos, mas ela quer partir para um segmento maior que lhe traga maiores desafios e consequentemente maior possibilidade de crescimento financeiro e profissional. Ela acredita que um dia irá conse­guir e sabe que as oportunidades aparecerão, pois assim poderá comprar o carro dos seus sonhos, a casa que tanto almeja e poderá se casar e ter condições de criar os filhos que deseja ter com seu noivo. Raquel está focada nisso e sempre que pensa sobre esse assunto é da seguinte maneira:

“Quero trabalhar com empreendimentos grandes, de porte empresarial que me tragam satisfação, novas oportunidades, riqueza e prosperidade.”

A intenção dominante de Raquel é essa, esse é seu padrão. Ela não fica repetindo isso o dia inteiro, apenas tem esse sincero desejo muito claro em sua mente e acredita nele. Isso se chama intenção, o que vale é o foco da intenção — aquilo que vibra a maior parte do tempo no fundo da sua consciência.

No fundo da sala está senhora Viviam — uma pessoa íntegra que possui muitas lojas e é muito rica. Ela está ali para ampliar seus conhecimentos e se aprimorar, afinal, a maioria das suas funcionárias são mulheres e ela deseja estar à frente dos assuntos que envolvem o mundo feminino. Mas algo vem lhe incomodando a algum tempo: ela pretende fazer uma grande mudança no layout das suas lojas, pois sua linha de produtos está mudando e suas lojas devem acompanhar essa evolução para atrair o novo público alvo que está surgindo, mas para isso, Viviam vai precisar de um arquiteto inovador muito diferente do Sr. Paulo — o arquiteto mais antigo da sua empresa que já trabalha para ela há mais de vinte anos e não acompanha mais as novas tendências. Viviam deseja muito inovar e encontrar alguma pessoa que possa lhe ajudar a desenvolver esse novo projeto de inovação. Seus pensamentos a esse respeito são:

“Quero encontrar uma arquiteta inovadora, com olhar feminino, que tenha vontade de crescer e enfrentar uma nova experiência. Se eu encontrar essa pessoa, saberei remunerá-la adequadamente, pois meu faturamento certamente aumentará gradativamente e minha empresa se renovará como um todo.”

Esse é o foco da senhora Viviam, essas são suas reais intenções.

Hipótese 2 — Raquel na mesma condição no seminário, se mantém diferente da primeira hipótese. Seu pensamento está rígido há algum tempo e se padronizou da seguinte forma:

“Não quero continuar fazendo pequenos projetos para apartamento, pois isso é muito trabalhoso e não dá para ganhar muito. Sobra-me pouco tempo para pensar em algo maior, estudar etc. Nunca chegarei a comprar minha casa dessa maneira, mas o que eu posso fazer — a vida não é fácil, tenho mesmo é que trabalhar duro o resto da minha existência para sobre­viver. A vida não está fácil para os arquitetos, eu sei, todos estão dizendo a mesma coisa. Se pelo menos eu conseguir comprar meu carro um dia, já está bom. E meu noivo? Bom, ele pode esperar mais um pouco, quando eu ficar rica um dia a gente pode, quem sabe, se casar.”

O desejo de Raquel neste caso é crescer, mas mantém seu foco, sua intenção nos pequenos apartamentos, na falta de oportunidade, de dinheiro e de tempo. Ela sequer tem um planejamento de quando deseja comprar seu carro e qual é o prazo que deseja estar definitivamente rica e casada. Na verdade continua focando na falta e assim a falta certamente se ma­nifestará e Raquel não enxergará qualquer possibilidade de prosperidade pensando dessa maneira.

Mas ela nem imagina que ali mesmo, cinco fileiras atrás, a menos de cinco metros de distância está a pessoa que pode lhe mostrar um novo caminho e mudar completamente sua vida.

Durante o intervalo do seminário, no coffee break, Raquel vê uma amiga que não encontrava desde a Universidade. Ela está na lanchonete do local conversando com a senhora Viviam, estão as duas tomando um cafezinho, pois Mônica já tinha sido gerente de uma das lojas dessa senho­ra há alguns anos. Viviam está aparentemente feliz e está contando para Mônica sobre suas novas lojas que foram inauguradas na semana passada.

Nesse momento, nesse pequeno intervalo de tempo poderá ou não ocorrer uma conexão entre a arquiteta Raquel e a empresária Viviam.

Se o ambiente vibracional estiver construído conforme descrito na primeira hipótese então:

Mônica, simpática e desinibida como sempre foi, verá Raquel passan­do por ali e provavelmente dirá:

“Viviam, quero lhe apresentar uma pessoa, uma amiga de faculdade, ela continuou o curso de arquitetura e hoje faz trabalhos excelentes, você poderia conhecer mais sobre o trabalho dela, afinal, estava me dizendo que está querendo mudar as fachadas das suas lojas urgentemente, não é? Eu vou apresentar minha amiga Raquel e deixar vocês duas conversando um pouco. Fiquem à vontade, pois preciso ir embora buscar meu filho na escola e voltar correndo para o segundo bloco do seminário, após o intervalo”.

Pronto, ali se estabelecerá uma nova conexão, devido às intenções semelhantes que se atraíram dentro daquela sala de seminário. Mônica foi embora e deixou Raquel e Viviam conversando. Desta vez a amiga Mônica serviu somente como elo de conexão. Muitas vezes fazemos esse papel de conectores e sequer percebemos.

Por outro lado se o ambiente vibracional estiver construído conforme a segunda hipótese:

Mônica verá Raquel se aproximando e dirá:

Viviam, se me der licença, preciso falar com uma pessoa que não vejo há algum tempo. Se não se incomoda, nos vemos no final do seminário. Tudo bem?”

Incrivelmente, desta vez, e por um simples impulso, não acontecerá qualquer conexão entre Raquel e Viviam, pois Raquel não estava focada nos grandes empreendimentos e nas oportunidades, ela mantinha seu foco na falta, nos pequenos apartamentos, etc. A oportunidade da vida dela, pode ter passado ao lado, mas ela nem ao menos saberá disso e voltará para a sua rotina seguindo sua vida como sempre imaginou que seria: comum, normal e sem desafios e conquistas maiores.

Esse é só um simples exemplo. Logicamente o Universo não trabalha através de um prisma retilíneo e rígido como descrevemos. Esse exemplo é só uma forma de percebermos que nossas intenções constroem realidades o tempo todo. Mesmo sendo algo intocável e invisível, a intenção é algo real e modifica o mundo.

Para se estabelecer a conexão entre Raquel e Viviam era preciso so­mente uma palavra da amiga Mônica, mas a intuição de Mônica não foi ativada naquele breve instante e ela não teve a iniciativa de chamar sua amiga Raquel e apresentá-la para Viviam. Mas por quê?

Porque Mônica não tinha motivo, não existia algo real pairando no ar para que a vontade de apresentá-las se manifestasse.

Quando desejamos com verdadeiras intenções, a energia se torna real e as vibrações se manifestam através dos ambientes. Quando intuímos, involuntariamente agimos para ajudar alguém. Estamos na verdade rece­bendo uma espécie de alerta inconsciente e informações intuitivas que estão se manifestando nos ambientes, e essas manifestações são involuntárias e provocam uma reação imediata. Na maioria das vezes não é algo propo­sital, mas tudo se manifesta através das pessoas. Os encontros, os novos relacionamentos, os negócios, tudo acontece por intermédio das pessoas. Então, ao invés de querer atrair, por exemplo, dinheiro e riqueza, passe a desejar trabalho, prosperidade, compartilhamento de ideias. Certamente começará a atrair pessoas ricas que lhe oferecerão oportunidades incríveis para encontrar o que tanto procura.

Da mesma forma, se deseja atrair uma pessoa leal e honesta para se relacionar; ao invés de sair procurando a esmo em bares e internet, comece a conviver com pessoas leais e honestas, pois essas pessoas geralmente estão ao lado dos seus semelhantes.

Lembre-se sempre. O que for para ser já é!

Identifique seu foco, sua atenção e suas verdadeiras intenções para com sua família, seu trabalho, seus amigos, seus pais e para com o mundo. Recoloque-se e faça parte do universo, não fique à deriva esperando que alguém faça algo por você. Apenas descubra o que realmente quer para sua vida e trabalhe nessa direção.

Deixe o Universo trabalhar um pouco por você. As pessoas fazem parte disso, são elas que lhe ajudarão e lhe trarão as oportunidades necessárias para seu crescimento. Pare de ser egoísta e orgulhoso e renda-se a humil­dade, pois ninguém conquista nada nesta vida sozinho.

Assim como Raquel poderia ter a possibilidade de receber uma opor­tunidade única em sua vida profissional se mantivesse seu foco, você tam­bém pode conseguir qualquer coisa, tanto na área profissional, emocional ou pessoal. Tudo faz parte de algo maior, alinhe-se com seus propósitos e se alinhará com o Universo e verá os milagres acontecendo em sua vida.

Próximos cursos de Iniciação a Era de Ouro e Reconexão Espiritual com Carlos Torres. Maiores Informações por email: leidaatracao@terra.com.br ou Whatsaap: 11.97303.8899 com Sueli Zanquim.

*Egito — Cidade do Cairo: 18 de Janeiro Hotel Meredien.

*Curitiba-PR — Congresso Diálogo com o Universo (4 dias de Carnaval) site oficial:http://www.dialogocomouniverso.com.br/site2/

*Tubarão-SC: 1 e 2 de Abril

*Gramado-RS: 8 e 9 de abril

*Passo Fundo — RS: 22 e 23 de abril

*Florianópolis-SC: 30 abril e 1 de maio — Mosteiro Morro das Pedras.

  • Indaial-SC: 27 Maio — Espaço Celeste — Yoga e Terapias Integrativas Av Pioneiros 85 — Centro — Indaial — SC Telefone: 47 3019.2846, 47 99960.5300 (Margareth) ou email contato@espacoceleste.com.br
  • São Paulo — SP — Dia 3 de junho.
  • Portugal — Braga:dias 17 e 18 de junho.
  • Conheça mais sobre o escritor e mensageiro Carlos Torres