O elemento mais importante

Sentado em seu banquinho, pitando seu cigarro de palha, o Preto Velho observava os médiuns do terreiro após o encerramento das consultas naquela noite. Pediu então a palavra e disse:

“Exe meus fios…exe véio quer fazer perguntador.”

Os médiuns olharam de volta, cheios de respeito. As poucas conversas paralelas silenciaram imediatamente.

“Exe véio quer saber”, continuou o Preto Velho, dando mais uma pitada em seu cigarro, “qual é exe elemento material mais importante para exe nego véio cá fajê trabaiadô em terra”.

Os médiuns pareciam surpresos com a pergunta, até que um deles quebrou o silêncio:

“Seu cigarro, vovô. Sem ele o senhor não consegue limpar as larvas astrais dos consulentes”.

“A arruda”, respondeu uma médium. “Afinal é com ela que o senhor dá passes, e com as folhas os consulentes podem fazer os banhos tão necessários”.

“Acho que é o coité”, arriscou um terceiro médium. “Com ele o senhor bebe água e vinho e consegue usar a energia para que seu cavalo aguente até o fim da sessão”.

Como ninguém mais disse nada, o Preto Velho sorriu de leve, olhou os filhos e alertou:

“Suncês esqueceram do elemento mais importante meus fios…ê ê”.

Os médiuns pareciam não entender.

“Se exe véio num tivé coité, cigarro ou arruda, pode usá as mão pra dá passe, bebê a água ou tirá exe larva astral. Mas e se exe véio num tivé banco pra sentá, meus fios?”

Os médiuns faziam silêncio.

“Existe nego véio que trabaia em pé, mas num é o caso dexe véio cá. Então, sem exe banco, exe fio cá num guenta cinco minutos. E se exe fio num guentá, exe véio num pode fazê trabaiadô”.

E concluiu:

“E assim é na vida meus fios. Muitas veis suncês num presta atenção e esquece de cuidá das coisa mais importante, e só se dá conta quando num tem. Então prestem atenção sempre, meus fios, naquilo que é mais importante pra suncês e cuidem com muito carinho. Ê, ê!”


Causos de Umbanda é um blog com histórias sobre os terreiros da vida, atualizado todas as semanas. Gostou do texto? Clica no coraçãozinho ali embaixo. Adorou? Deixa um comentário. A gente agradece!

Além do “Causos”, também sou autor do livro “Toquinho: O Malandro Mirim”, sobre o trabalho de Exu Mirim na Umbanda. Ele já está disponível para venda aqui: http://bit.ly/2fQMWe4