A palavra foda

"Tudo que é foda precisa ser dito logo. E por isso a palavra é enxuta, para que não sobre tempo."

Foda. Assim. Curto. Absoluto. Nasceu verbo promíscuo, cresceu na carência de palavras melhores ao longo de séculos, se reproduziu para além de outros vocabulários. Saiu da marginalidade e foi para as casas de família. Foda. É para ser usado quando der vontade — mas que haja critério. Nem tudo é foda. Só aquilo que lhe falta fôlego pra expressar. Quando faltar vontade para consultar o excesso de adjetivos da língua portuguesa. Mas nada é tão funcional. Tudo que é foda precisa ser dito logo. E por isso a palavra é enxuta, para que não sobre tempo. Foda. É o acasalamento da língua com a boca inteira, sem pudor, numa rapidinha que vale por todas as trepadas longas dos adjetivos mais eruditos. Fo-da, apenas duas sílabas. Serve à raiva e ao entusiasmo. Serve à dificuldade e ao orgulho. Existem tantas coisas fodas no mundo, e para todo o resto existe o silêncio, os lábios colados. Foda. Cabe aos tímidos tão bem quanto aos expansivos. Nada no mundo é pouco foda. Ou é foda ou não é. “Foda pra caralho” é uma convenção redundante. Foda é o máximo. Foda é o inesperado. O brilhantismo que tá escancarado, ou a classe que poucos enxergam, porque a sutileza em geral é foda. Uma coisa foda não precisa vir carregada de artifícios. Só precisa ser foda. Algo legal pode enganar e parecer foda quando na verdade é só legal. Assim como algo foda às vezes é mais foda do que parece. Uma foda foda pode ser foda também. Tenho amigos fodas, conheço lugares fodas. Tudo que é foda é imutável, permanece foda pela eternidade. Mas foda é também algo dolorido. Eu diria que é porque muitas vezes é foda ser foda. O erro do homem contemporâneo em achar que o sucesso está no futuro. Ser foda às vezes pode ser hoje. Dá pra ser foda em algumas coisas, mas em outras não. E enquanto não se é, as coisas ficam fodas de serem levadas. O caminho para ser foda um dia é foda. Ou seja antes de ser foda é preciso se foder. Acho que agora entendi.


Originally published at www.cenaseguinte.com.br on April 13, 2016.