O hipster do futuro

"Ele é retrô, usa moicano. Ela também, alisa o cabelo."

Imagina só se um dia essa década virar moda como vem acontecendo quando os futuros chegam. Daqui a uns 20, 30 anos, numa realidade Black Mirror um pouco menos distópica, essa nostalgia inerente a todas as gerações vai surgir arrebatadora. É muito provável — quase certo — o surgimento do neo-hipster: o hipster do futuro.

Eles é que eram felizes, aqueles que foram jovens em 2017.

Em meio a uma realidade de implantes cerebrais, leitura ocular para efetuar pagamentos, robôs que transam, imagina só o primeiro sujeito que vai ver toda graça em resgatar o iPhone 4s do fundo da gaveta dos pais. Menos funções, uma vida inteligente mais genuína, mais limitada. Quem precisa do FaceTime holograma do iPhone 20? Eles é que eram felizes, aqueles que foram jovens em 2017. Ninguém suporta mais a inconveniente veracidade da TV 18K, realidade, toque, aroma. Blergh! Bons tempos de TVs de LED, aquilo sim era TV. Ah, que saudades do sinal de Wi-Fi que falhava e os familiares podiam conversar uns com os outros por alguns instantes. Do 3G limitado também, que quando esgotava dava pra admirar as paisagens das janelas dos ônibus. Uma vida de verdade. Fora todo o charme dos paus de selfie de então.

Essa futura geração vai achar o maior barato ir à festas flashback que toquem Justin Bieber. “Minha mãe pegou a fase da franja.” Vão tentar reviver os stories e snaps exatamente como seus pais faziam. Nas boates brazucas, Wesley Safadão is the new Raça Negra. E tem quem diga que ainda pegou o finalzinho da fase de carro dirigível. “Táxi era um carro amarelo com uma listra azul no meio, eu lembro.” Imagina só, remake de Game of Thrones com Bruna Marquezine. Ela chegou lá. Por onde andam os atores de Stranger Things? Era tão mais prático quando você ligava na televisão e já tava passando um programa. Vocês lembram de TV à cabo? Risos. O neo-hipster é tão neo-hipster que lê no Kindle.

Ele é retrô, usa moicano. Ela também, alisa o cabelo. Volta, Brownie do Luiz! A Sasha saiu da Globo. Que saudades do Km de Vantagens Hall quando ainda tinha um nome decente. Não se faz mais música como antigamente. Sdds, Anitta. Essa foto é do fundo do iCloud, seu pai com uma panela e uma camisa da CBF na janela, bem antes do hexa. E a legenda: começando os trabalhos. Ai ai, anos dourados.
___

Este texto foi originalmente publicado no site www.cenaseguinte.com.br em 16 de maio de 2017.