6ª Festa Regional das Sementes Crioulas reúne agricultores e simpatizantes em Pinhais

No último domingo de agosto (26), Pinhais foi palco da Festa Regional das Sementes Crioulas. Com o lema “defendendo a biodiversidade da roça ao prato”, o evento reuniu cerca de 1.500 pessoas, entre agricultores e simpatizantes da agroecologia, no Centro Estadual de Educação Profissional Newton Freire Maia.

Em sua 6ª edição, a festa trouxe ao público mais de 60 expositores em uma feira de alimentos, artesanatos, mudas e sementes. Além disso, ainda contou com oficinas abertas ao público. Os assuntos abordaram temas práticos como produção de mudas; plantas alimentícias não convencionais; calendário biodinâmico; fitoterapia; sistemas agroflorestais; meliponicultura; criação ecológica de suínos; e hortas urbanas. Ainda foi possível aproveitar o momento para refletir e aprender mais sobre cultura alimentar; proteção das sementes; e consumo consciente.

Outro destaque do evento foi o almoço. Produzido com alimentos orgânicos da agricultura familiar regional e sem a presença de produtos de origem animal, os pratos surpreenderam até mesmo quem não segue esse tipo de alimentação. “Para mim, foi uma quebra de preconceito. Nunca tinha comida uma refeição inteiramente vegana, foi uma surpresa deliciosa! A carne de jaca, por exemplo, parecia carne seca. Incrível”, afirma a agricultora Edna Mara Mühlenhoff. Além disso, o evento ainda teve o conceito de lixo zero: utilizando copos, pratos e talheres reutilizáveis.

O público pode aproveitar também as atrações culturais. Durante o dia, passaram pelo palco da festa a Banda da ABAI, com músicas referentes à agroecologia e à proteção das sementes crioulas; os artistas Amílcar Marcel e Leandro Gaertner, tocando viola caipira e flauta transversal; a rádio Atalalaia, com interações cômicas com o público; As Caixeiras do Divino de Curitiba, animando a todos com roda de Cacuriá; e a banda Alohabana, que encerrou as festividades com música “Guajira” latino-americana.

[Foto: Marina Creplive/CPRA]

Sementes Crioulas

O ato de guardar sementes de uma safra para outra já vem dos princípios da agricultura. Dessa forma, diversas variedades foram desenvolvidas e deram origem a novas espécies vegetais adaptadas à cultura, às condições locais e ao manejo.

Porém, o modelo atual e convencional de agricultura — que produz em monocultura de larga escala, sem preocupação com a conservação do meio ambiente e a qualidade nutricional do alimento –, desqualifica este processo. A preservação das sementes crioulas é, de fato, a garantia da manutenção da cultura local e do desenvolvimento de uma agricultura livre de agrotóxicos e transgênicos, preservando o alimento e o planeta para as próximas gerações.

Para o diretor presidente do Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), Hamilton Borges de Oliveira, “a festa da semente é muito importante para agricultura familiar e para agroecologia. Semente crioula é a origem da vida e dos produtos alimentícios. É a semente que dará continuidade à humanidade”.

[Foto: Marina Creplive/CPRA]

A 6ª Festa Regional das Sementes Crioulas contou com uma comissão de organização composta pelo CPRA em conjunto com a Associação Brasileira de Amparo a Infância (ABAI); a Associação de Agricultura Orgânica do Paraná (AOPA); a Rede Sementes de Agroecologia (ReSA); e a Comissão Pastoral da Terra (CTP); além do CEEP Newton Freire Maia. O evento ainda contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Pinhais e do Instituto Emater, que foram representados, respectivamente, pela vice-prefeita do município Rosa Maria e pelo coordenador Regional da instituição, Júlio Bittencourt.

Marina Creplive