Apoio à agroecologia: Secretária da Família e Desenvolvimento Social reúne-se com presidente do CPRA

[Foto: Divulgação]

“A agroecologia é a única maneira de fazer com que a produção agrícola não prejudique o meio ambiente. É também uma demonstração de respeito à terra e ao pequeno produtor rural, que trabalha e se preocupa em levar alimentos mais saudáveis para a mesa das famílias paranaenses, promovendo a qualidade de vida.” São as palavras da Secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa. Na última quarta-feira (19/07/2017), ela esteve reunida em seu gabinete com o diretor-presidente do Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), João Carlos Zandoná.

A ideia do encontro foi articular possíveis parcerias — com o objetivo de promover o desenvolvimento da agricultura de base ecológica em nosso estado. O Paraná é, atualmente, o estado brasileiro com o maior número de produtores orgânicos certificados, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). “Temos cerca de 10 mil produtores que se dedicam à produção orgânica, dos quais mais de 2.100 já são certificados”, afirma Zandoná.

Ele lembra que a própria existência do CPRA, uma autarquia da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (SEAB), é um dos elementos que faz o Paraná se destacar no setor. “Nossa missão é apoiar ações de pesquisa e capacitação dentro dos preceitos de uma produção agropecuária alinhada às exigências do século 21”, lembra Zandoná.

[Foto: Divulgação]

Além de ser uma importante ferramenta para a promoção da justiça social, da segurança alimentar e da preservação dos recursos naturais, a agroecologia e a agricultura orgânica são setores cada vez mais relevantes para a economia. A atividade movimenta, anualmente, nada menos que 80 bilhões de dólares — sendo Estados Unidos, Alemanha, França e China os mercados que têm apresentado maior crescimento nos últimos anos. No Brasil, esse crescimento tem sido de mais de 20% ao ano. “O mundo todo caminha nessa direção”, comenta Zandoná. “Queremos que o Paraná seja uma referência nesse segmento”.