Antes de usar, consulte a bula. Se os sintomas persistirem, consulte um profissional. — Foto: www.pexels.com

Identidade Visual: modo de usar

A identidade visual é a “cara” de uma empresa. Sabe quando você vê uma roupa ou um objeto e pensa: “Isso é a cara da minha irmã” ? Algo naquele objeto desperta em você o sentimento que um objeto se relaciona com alguém que você conhece. A identidade visual ajuda o público a pensar “isso é a cara daquela empresa/serviço” e, obviamente, isto deve se refletir de forma positiva sobre o negócio.

Uma identidade visual é o conjunto de logotipo, cores, tipografia e outros padrões visuais que representam e identificam a empresa. Ela faz parte da experiência do consumidor junto com outras formas de comunicação e marketing. Como na maioria das vezes, o primeiro contato do consumidor com uma marca é pela visão, a identidade visual é a primeira coisa que o consumidor “enxerga” na empresa.

Mas não basta ter um logotipo. É preciso que ele seja aplicado de forma consistente e coerente, junto de outros elementos chave, dando um estilo específico ao negócio, que irá ajudar o público a reconhecer e a se relacionar com o negócio. É ver para compreender.

É por isso que “um logo bonitinho” ou “uma cor legal” não necessariamente trazem os benefícios de design para um negócio. Uma identidade visual pode ser simples, mas ela precisa se fortalecer com o passar do tempo.

No ballet, não importa o quão experiente e treinada uma bailarina seja, ela sempre retorna aos exercícios mais básicos. Ela sabe que, quanto melhores forem seus movimentos básicos, mais precisos serão os movimentos complexos.

Inspirada nas bailarinas, vamos passar pelos elementos básicos de uma identidade visual? Quanto mais conhecimento tivermos do básico, mais fortes serão os projetos de identidade visual.

O logotipo

O elemento principal da identidade visual. Um bom logotipo tem um conceito por trás, ligado aos valores e propósito da empresa. Todos aqueles envolvidos com a comunicação da empresa, devem conhecer e entender este conceito, respeitar e colaborar para que ele evolua de forma consistente dentro da identidade visual.

Além disto, o logotipo deve ser aplicado nas proporções corretas, no espaço apropriado…Aplicado de forma consistente e coerente, ele ajuda a garantir o reconhecimento da marca em diversos pontos de contato com o consumidor.

As cores

As cores são fortes elementos identificadores e é possível tirar partido disso.Uma boa identidade visual tem uma paleta de cores específica, que pode ser explorada de diversas formas. Mas nada de mudar as cores da identidade só porque “cansei desse azul”. A paleta de cores pode mudar com a evolução da marca, mas esta precisa ser uma mudança planejada.

Pense em formas diferentes de usar a cor na identidade. Cores podem representar sentimentos, emoções, momentos…E não é preciso ficar confinado à monotonia do fundo branco e logotipo colorido. Por isso também é importante que o logotipo tenha versões para ser aplicado sobre fundos coloridos, dando mais opções para a evolução da identidade visual.

A tipologia

Uma identidade visual deve possuir uma família tipográfica definida para ser ser usada nas comunicações da empresa. Vai fazer um documento? Uma apresentação? Um anúncio institucional? Vai com a tipologia da identidade.

É importante que a tipologia tenha uma família completa, com diversos pesos e estilos (bold, itálico, etc) para oferecer mais flexibilidade ao seu uso. A padronização da tipologia traz mais consistência à sua mensagem. Além disso, estabelecer padrões de escrita (o famoso tom de voz) e formatação (organização do conteúdo), pode trazer ainda mais personalidade à marca da empresa.

Slogan ou tagline

Slogans e taglines não são exatamente um elemento visual. Mas ele pode fazer parte da assinatura da empresa, junto do logotipo.

Nem toda empresa precisa de uma assinatura visual incluindo o slogan ou tagline. Mas quando ela existir, deve ajudar na construção da identidade. Se o slogan aparecer numa fonte muito pequena, ilegível ou no meio de muita informação, pode ser que ele atrapalhe ao invés de ajudar.

Elementos gráficos

Alguns logotipos permitem a criação de padrões e texturas a partir do seu desenho. Outros podem ter elementos visuais de apoio — como uma família de ícones por exemplo. Estes “extras” são elementos gráficos que irão enriquecer o universo visual da marca.

Elementos gráficos são elementos secundários da marca que podem ser explorados em materiais institucionais, comunicações, brindes, promoções. Os elementos gráficos ajudam a evoluir a identidade visual e devem ser usados como elementos de apoio. Só não podem se confundir com o logotipo. Cada qual com seu cada um. Logotipo ou elemento gráfico, cada um deve ser usado no espaço e função que lhe cabe.

E misturando tudo…

Todos estes elementos formam a sua identidade visual, os movimentos básicos para criar o seu próprio espetáculo. E para sempre evoluir e melhorar a identidade visual, faça como as bailarinas: retorne aos elementos básicos para encontrar um novo caminho.Toda coreografia é um conjunto dos mesmos movimentos, mas cada bailarina encontra a sua forma de dança e encanta o público do seu jeito.

Dani Lima é profissional independente, especialista em marcas e colaboradora na Abacomm. Já fez ballet, jazz, dança moderna e dança de salão. Hoje em dia só pratica dança livre com seus filhos na sala de estar.

Para meu portifólio, processo de trabalho, valores e crenças, visite:www.danilima.com.br

Se você gostou deste artigo, aperta o coração aí embaixo :)
E continue lendo:

Estudo de caso: MG&F Odontologia
Estudo de caso: Redesign ícone e logotipo Appsy
Os 3 principais ingredientes para criar a identidade da sua empresa